Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Moçambique: Diferentes formas de usar camisinhas

Somewhere on a dusty soccer pitch in Mozambique, a group of boys are playing a game of soccer. Suddenly a man runs onto the field shouting. He stops the game and accuses the boys of stealing his condoms. There are different ways to use condoms. In Mozambique, young boys are great consumers of them…

Em um campo de futebol empoeirado em algum lugar de Moçambique, um grupo de garotos está jogando uma partida de futebol. De repente, um homem invade o campo gritando. Ele interrompe a pelada e acusa os garotos de roubarem suas camisinhas. Há formas diferentes de usar camisinhas. Meninos são os grande consumidores delas.

Em um país que luta para combater a AIDS, vinte milhões de preservativos são distribuídos a cada ano. Considerando que pelo menos 4 milhões de homens são sexualmente ativos em Moçambique, dentro de um universo de 17,4 milhões de habitantes, a quota pessoal é de cinco camisinhas para o ano inteiro. Dirigido pelo cineasta moçambicano Orlando Mesquita, A Bola [en] foi um dos filmes exibidos no PangeaDay e apresenta um ponto de vista leve – e surpreendente – sobre o uso de camisinhas no país: milhares delas acabam se transformando em bolas de futebol, um dos muitos exemplos de como as crianças se divertem com os preservativos.

A Bola é parte de uma coletânea de vídeos do Steps for the Future [en], um coletivo de cineastas internacionais e da África Austral com três objetivos:

“To produce a collection of 40 documentaries and short films that examine the lives of people living in Southern Africa whose lives have been affected by the HIV/AIDS pandemic.
To provide invaluable training to Southern African filmmakers with the support of some of the best filmmakers drawn from around the world.
To distribute the films to regional AIDS organisations for use in AIDS education and training.”

“Produzir uma coletânea de 40 documentários e filmes de curta metragem que examinem as vidas das pessoas na África Austral que tenham sido afetadas pela pandemia do HIV/AIDS.
Fornecer um treinamento inestimável aos cineastas da África Austral com o apoio de alguns dos melhores cineastas do mundo.
Distribuir os filmes a organizações regionais que lidam com a AIDS para o uso em educação e formação”

Estima-se que 16% da população, cerca de 1,5 milhões de moçambicanos, sejam soropositivos. De acordo com o site da UNAIDS, os números estimados de HIV e AIDS são:

Quantidade de pessoas vivendo com HIV: 1.500.000 [1.300.000 – 1.700.000]
Taxa de prevalência entre adultos entre 15 a 49: 12,5% [10,9% – 14,7%]
Adultos a partir de 15 anos vivendo com HIV: 1.400.000 [1.200.000 – 1.600.000]
Mulheres a partir de 15 vivendo com HIV: 810.000 [690.000 – 960.000]
Crianças entre 0 e 14 vivendo com HIV: 100.000 [87.000 – 120.000]
Mortes causadas por AIDS: 81.000 [67.000 – 98.000]
Órfãos por causa da AIDS entre 0 e 17: 400.000 [280.000 – 590.000]

O grupo de maior risco é o de mulheres entre 15 e 24. Um carregamento de 700 milhões de preservativos femininos, adquiridos pelo governo em parceria com a UNAIDS, está para chegar em Moçambique e será distribuído gratuitamente pelo país. Vasikate va Moçambique recebe bem a idéia e pede que outras mulheres lancem mão do método:

Mas, sendo que não há bela sem senão: ele pode fazer um pouco mais de barulho durante a relação sexual. A colocação não é tão simples quanto a versão masculina, exigindo um pouco mais de concentração na colocação. Depois de colocada, uma pequena parte fica visível fora da vagina, criando uma aparência um pouco esquisita para quem não está acostumado tal como o preservativo masculino que também já deve ter causado quando começou a ser utilizado! Mulheres, joguem com os vossos trunfos! Se na hora da negociação não conseguirem se impor, usem a única alternativa para a mulher se proteger quando um parceiro não quer usar preservativo masculino: o preservativo feminino pois o poder de decisão na hora do sexo, que é uma escolha de vida, ainda está em nossas mãos.

A camisinha feminina. © Asian Community AIDS Services. A pergunta é: será que elas também dão boas bolas de futebol?

2 comentários

  • […] no Global Voices 30 Nov – Dia Mundial de Luta Contra a AIDS: Blogando Positivamente 29 Nov – Moçambique: Diferentes formas de usar camisinhas 27 Nov – AIDS awareness through Videos 08 Nov – A Vitória de Obama: Um Impulso para a Saúde […]

  • Mario Luis Pereira Dalmao

    A AIDS TEM CURA!

    Os produtos da Forever Living Products a base de Aloe-Vera solucionam este problema.

    O sucesso da Forever se deve a qualidade da planta Aloe-Vera, que não é remédio, mas é usada há mais de 5.000 anos com excelentes resultados.

    Várias experiências médicas vem sendo feitas em pacientes de diversas doenças desde 1934. Em 1987 o Dr. H. Reg McDaniel de Dallas provou que a Aloe-Vera pára o progresso da AIDS.

    Em 1988 o Dr Terry Pulsen também de Dallas administrou Aloe-Vera extraída da folha diariamente em 69 portadores de AIDS onde 81% deles tiveram os sintomas desaparecidos.

    Em abril de 1990, na cidade de Bruxelas, Bélgica, os Dres. Jasbir B. Kolhon, Maurice C. Kemps, Robert H. Carpenter, William M. Shannon e Bill H. McAnalley apresentaram uma pesquisa concluindo que a Aloe-Vera, ou a substância extraída dela, pode ser utilizada como um tratamento muito eficiente contra o HIV-1 e outras lesões do vírus que causa a AIDS.

    A pesquisa confirma que essa ingestão diária pode imunizar o organismo contra o vírus.

    Em 1991 o Triputic Laboratories isolou a Acemannan substância extraída da Aloe-Vera, que estimula o sistema imunológico, injetando-a em gatos portadores do vírus HIV-1.

    Apenas com essa substância, 58% deles sobreviveram.

    Em 1994 o FDA aprovou o uso do Aloe-Vera para testes em pacientes portadores do vírus da AIDS por causa dos benefícios comprovados nos testes já realizados.

    Desejo que simplesmente testem estes produtos em alguns casos para que possam entender que estes produtos são realmente eficazes. Não estamos sugerindo parar com os tratamentos médicos, senão que sejam administrados em pacientes que não mais se podem alimentar normalmente. Como ele necessita de alimentos solúveis para serem administrados na sonda, diluam estes produtos e verão que numa semana os resultados já começam a ser visíveis, mesmo em pessoas com apenas 5% de chance de vida.

    Se houver algum impedimento por parte do Conselho, encaminhem as pessoas ao meu endereço eletrônico para que possam adquiri-los e também procuro distribuidores nessa cidade.

    Para maiores informações entre em contato com Mario L. Pereira Dalmao.

    mariopereiradalmao@yahoo.com.br

    O SEGREDO DO ACEMANNAN

    O Suco Aloe Vera (nome científico da planta conhecida como babosa), contém alto teor de uma substância denominada Acemannan. Sua estrutura química é representada por uma longa cadeia em forma de sacarídeo (açúcar) e pertence ao grupo dos mucopolissacarídeos. Acemannan é uma substância produzida pelo nosso corpo até a puberdade. Após esta fase precisa ser absorvida através da alimentação. Acemannan é parte constitutiva de todas as membranas celulares e sua presença é o que faz aumentar a resistência imunológica do organismo contra parasitas, vírus e bactérias causadores de enfermidades. É a base de todas as células do tecido conjuntivo, inclusive a pele, as mucosas, os tendões, articulações, as cartilagens e a parte de que se originam os ossos.

    Acemannan é particularmente essencial ao perfeito funcionamento do líquido sinovial – aquela substância do organismo presente nas articulações. Pode prevenir a ocorrência de afecções como a artrite, e, em casos agudos, pode curar. Promove a absorção de água e nutrição do trato digestivo.

    O Dr. John C. Pittman explica em seu relatório de pesquisa em “Health Consciousness” (vol.13, no. 1/1992), o seguinte: “Acemannan possui propriedades antivirais, antibacterianas e antimicóticas, que podem ajudar a controlar infestações por Cândida e estabilizar a flora bacteriana dos órgãos digestivos”.

    Acemannan estimula a movimentação dos órgãos digestivos e contribui para a eliminação, pelo intestino grosso, de proteínas estranhas, causadora de alergias.

    Acemannan tem efeito direto sobre as células do sistema imunológico. Ativa e estimula macrófagos, monócitos, anticorpos e também linfócitos T (células cujo papel é aumentar a resistência imunológica do organismo).

    Experimentos de laboratório mostram que Acemannan serve de ponte entre proteínas estranhas e macrófagos (células matadoras) e favorece uma enormidade a captação dessas proteínas estranhas pelos macrófagos.

    Esta função de ponte funciona como chave para o fortalecimento imunológico do núcleo celular, que em infecções, tal como HIV/AIDS estão em quantidade insuficiente.

    Células protegidas pela presença de Acemannan não mais podem ser destruídas pelos vírus agressivos da AIDS/HIV. Os leucócitos recebem da Acemannan a mesma proteção. Acemannan quebra a capa das proteínas de células CANCEROSAS. Desta forma, células defensoras podem agredir e eliminar, efetivamente, as células tumorosas (do câncer, por exemplo). Acemannan protege a medula contra os prejuízos causados por venenos químicos e drogas impregnadas.

    Por estar presente na membrana celular, o Acemannan pode proporcionar esta abrangente função imunológica e propicia, a um só tempo, tanto a desintoxicação como a atividade preventiva contra doenças. Essa desintoxicação influencia em todo o corpo, e tem como conseqüência uma enorme energização.

    A força imunológica de Acemannan encontra-se também nas raízes de Ginseng, Astragalus (erva chinesa), cogumelos Reishi e Shiitake, como também na famosa barbatana de tubarão.

    Além destes principais efeitos do Acemannan, encontramos ainda no Suco de Aloe Vera as seguintes substâncias, entre outras: mais de 13 mucopoli e monopolissacarídeos, 11 antraquinonas, 20 espécies de sais minerais, 12 vitaminas, 15 enzimas, 18 aminoácidos (7 essenciais e 11 secundários), 4 ácidos graxos essenciais, saponinas, ligninas e óleos etéricos

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.