Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Vídeo de refugiados colombianos atacando uma família no Chile causa preocupações.

Um vídeo de celular onde um grupo de pessoas armadas com paus e pedras é visto atacando uma família, deixando a maioria das vítimas inconscientes, foi apontado como o registro do momento em que 10 refugiados colombianos atacaram uma família de residentes peruanos que voltava para casa após uma festa na cidade de Iquique, no Chile, em 3 de agosto de 2008. Esta evidência em vídeo foi usada pelo procurador distrital no processo e encarceramento de ao menos dois dos refugiados colombianos, que foram depois libertados.

De acordo com os testemunhos das vítimas, os refugiados colombianos pareciam acreditar que estes eram uma família de chilenos, e diziam que queriam matar ao menos um deles. Este ato violento envergonhou muitos colombianos, que se apressaram a pedir desculpas em nome de seus compatriotas na área de comentários do vídeo, mas comentários de ódio e discussões nos comentários também eclodiram por lá. No blogue CiberAmérica [Es], o autor faz um questionamento sobre a soltura dos colombianos mesmo após a evidência em vídeo de sua culpa:

“La justicia reacciona en forma desconcertante al considerar como riña un episodio que aparece como un ataque a una familia donde todos fueron lesionados.

¿Hubiera sido la misma reacción si las víctimas hubieran sido chilenas?”

“A justiça reagiu de uma forma desconcertante ao considerar que o episódio, que aparenta ser um ataque a uma família onde todos saíram feridos, não passou de uma rixa pessoal.
Será que esta reação teria sido a mesma caso as vítimas fossem chilenas?”

O vídeo pode ser assistido no YouTube, assim como no Vimeo.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.