Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Geórgia: Guerra na Ossétia do Sul

Veja a página de cobertura especial [en] do Global Voices sobre a crise na Ossétia do Sul.

Na sequência dos confrontos e alegações de bombardeamento de aldeias na Geórgia por grupos separatistas na região da Ossétia do Sul, brota o receio de que mais uma vez a guerra comece no volátil sul do Cáucaso. Com a imprensa relatando que tropas da Geórgia cercaram a capital [en], Tskhinvali, toda a atenção se volta para a Rússia, a espera de como o país reagirá aos últimos acontecimentos. Escrevendo no BattleForums em 8 de agosto, Uncle_Vanya afirma que trata-se de guerra [en]:

The war has just begun yesterday, Georgia began massive military operations to capture South Ossetia, so far the civilian bodycount is 15 dead. South Ossetian capitol of Tshinvali is surrounded by Georgian forces and is being pounded by Georgian airforce. A few minutes ago Russian Peacekeeper HQs in the region reported that there were direct artillery hits on the barracks of the Russian peacekeepers and there were wounded. Russia is going to war, we haven't moved the troops yet but with our peacekeepers wounded we now have no choice, Russia is at a defacto state of war with Georgia. There is a report by Georgian ministry of Defense of a pack of Russian Su-24 ground attack aircraft dropping bombs of a Georgian city of Karel, the main city police building has been heavily damaged with bombardment, no reports of casualties as of yet. As I said, weeks later Russian forces have already been assembling at the North Ossetian-South Ossetian border and will most likely begin mobilizing towards the conflict zone some time today. […]

A guerra acabou de começar ontem, a Geórgia deu início a uma maciça operação militar para capturar a Ossétia do Sul, até agora foram contabilizadas 15 mortes de civis. Tshinvali, capital da Ossétia do Sul, está cercada por forças da Geórgia e sendo triturada pelas forças aéreas daquele país. Há poucos minutos o quartel general das forças de manutenção da paz na região informou que houve alvejamento direto sobre os alojamentos das forças de paz russas e houve feridos. A Rússia está indo à guerra, ainda não enviamos tropas, mas com membros de nossa força de paz feridos agora não temos outra escolha, a Rússia está de fato em estado de guerra contra a Geórgia. Há um relatório do Ministério da Defesa da Geórgia que diz que uma esquadrilha russa de Su-24 fez um ataque aéreo soltando bombas na cidade de Karel, na Geórgia, deixando a principal delegacia de polícia da cidade bastante destruída com os bombardeios, não há relatos de vítimas até o momento. Como eu disse, há algumas semanas as forças russas se posicionaram na fronteira entre Ossétia do Norte e Ossétia do Sul e provavelmente começarão a se mobilizar em direção à zona de conflito em algum momento do dia. […]

A Geórgia já considera a presença das forças de paz russas no território como parte do conflito, e a situação se torna ainda pior pelo fato da maior parte das pessoas da Ossétia do Sul terem passaportes russos. Algumas veículos de comunicação relatam que a Rússia é acusada de ter de fato alvejado a Geórgia. B & C Go To Georgia [B & C vai à Geórgia, en] um blog de um integrante da Peace Corps, relata que há indícios de que isso possa ser verdade [en]:

Brenden left for Khashuri this morning to go to a session for the trainees […], whereas I remained in Tbilisi. He was supposed to come back to Tbilisi this afternoon, but at some point after they passed Gori, the highway by Gori was blown up (this is my understanding–this hasn't been reported in English language media yet). […]

With all that said, the situation here is worse than it has been in the time we've been in Georgia. This is my own personal opinion (not the opinion of Peace Corps or the U.S. government), but I think this might develop into a full-scale war.

Brenden foi para Khashuri na manhã de hoje para participar de uma sessão com o pessoal em treinamento […], enquanto eu continuei em Tbilisi. Ele deveria voltar a Tbilisi nesta tarde mas, algum tempo depois que eles passaram por Gori, a estrada foi destruída em uma explosão (pelo menos é o que acho – esse fato ainda não saiu na imprensa de língua inglesa). […]Tendo dito isso, a situação aqui é a pior desde que chegamos na Geórgia. Esta é a minha opinião pessoal (não a do Peace Corps ou do governo dos EUA), mas penso que esta situação poderá evoluir para uma guerra em grande escala.

Aid Worker Daily [Cotidiano de um trabalhador de ajuda humanitária, en] posta um vídeo e, preocupantemente, intitula a postagem de “Ossétia – Se não for guerra, não sei o que é”, enquanto Horizons Unlimited [Horizontes Ilimitados] aconselha os viajantes internacionais a ficarem longe da Geórgia [pt]:

Its all booting off now in Georgia … The Georgian military have stormed into one of the two wannabe breakaway zones, South Ossetia … and the Russians are vowing to defend their “compatriots”. Russian peacekeepers have been among the casualties. President Medvedev has summoned his security council, PM Putin has vowed there will be a response from Russia. Georgian President Saakashvili has called up all reservists.
Might be an area to avoid.

Tá tudo começando agora na Geórgia… A força militar da Geórgia invadiu uma das duas zonas que querem se tornar separatistas, na Ossétia do Sul… e os russos estão jurando defender os seus “compatriotas”. As forças de paz russas estão entre as vítimas. O Presidente Medvedev conclamou seu Conselho de Segurança, Primeiro Ministro Putin prometeu que vai haver uma resposta por parte da Rússia. O Presidente da Geórgia Saakashvili convocou todos os reservistas. Um lugar a ser evitado.

Nachspiel at Polemarchus’ diz que o conflito na Ossétia do Sul é um teste para a Nova Ordem Mundial, mas não tem certeza se os Estados Unidos ou a Rússia permitirão que o incidente tome maiores proporções:

[…] I’m not an expert on this matter, or even on international relations at all. But I do notice one thing: an absence of the kind of confronational rhetoric categorizing the cold war. Admittedly, the big guys themselves haven’t started commenting yet, leaving the speaking to the diplomats. But that might also mean neither Moscow nor Washington are prepared to let this escalate into a major international crisis.

This is a test of the new world order after the Cold War, as fighting erupts on Russia’s doorstep. Let’s hope this won’t be proof of the new cold war neoconservative Robert Kagan claims is in the making. As yet it’s too early for an uninformed being to make predictions. I’m waiting for European and later American commentators to wake up and tell me what we can expect.

[…] Não sou especialista nesta matéria, ou nem mesmo em relações internacionais. Mas uma coisa eu percebo: a ausência de um tipo de retórica confrontacional categorizando uma guerra fria. Evidentemente, os grandes caras ainda não começaram a comentar, deixando o falatório para os diplomatas. Mas isso também pode significar que nem Moscou nem Washington estão dispostos a deixar que esse problema se transforme em uma grande crise internacional.
Este é um teste para a nova ordem mundial pós Guerra Fria, com a batalha explodindo na porta da Rússia. Esperemos que esta não seja a prova da nova guerra fria que o neo-conservador Robert Kagan reivindica que esteja a caminho. No momento, é demasiadamente cedo para fazer previsões mal-informadas. Estou esperando que os comentadores europeus e, mais tarde, os americanos, despertem e me digam o que podemos esperar.

groul as a'housekeeper está atualizando seus leitores sobre a situação, mas também relata que vários sites na Ossétia do Sul já podem ter sido hackedos ou bloqueados [ru]. Mas numa região onde as tensões e conflitos étnicos paralisados ameaçam a estabilidade, talvez a última palavra deva ser deixada para two cups of tea [duas xícaras de chá] que diz que a “guerra está destruíndo a bela Ossétia do Sul” [en]:

War has come to a new part of our world today. As in all wars, innocent lives are affected in tragic ways. This does not come as a surprise on any of the party’s involved in the conflict.

It is sad however that Georgia, Russia and South Ossetia cant come to a peaceful solution.

[…]

We can only hope and pray peace, brotherhood and the willingness to listen to the people of Ossetia and Georgia, will win over pain and war.

A guerra chegou a uma nova parte do nosso mundo de hoje. Como em todas as guerras, vidas inocentes são atingidas de maneira trágica. Isto não chega a ser surpresa para qualquer uma das partes envolvidas no conflito. É triste, porém, que a Geórgia, a Rússia e a Ossétia do Sul não possam chegar a uma solução pacífica.

[…]

Só nos resta esperar e rezar para que a paz, a fraternidade e a vontade de ouvir as populações da Ossétia e Geórgia ganhem em relação à dor e à guerra.

Mais atualizações virão na sequência.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.