Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Marrocos: Corpos em Mudança

Obesidade e imagem corporal são dois tópicos que raramente são discutidos no Marrocos. O país, que ainda é considerado “em deselvolvimento” em vários aspectos, parece ter sempre cultivado uma relação saudável com a comida. A cozinha do Marrocos, muito conhecida em todo o mundo, usa muitas carnes frescas, frutas, vegetais e azeite de oliva. Mas esta relação saudável parece estar mudando, assim como em muitos outros lugares do mundo, conforme o Marrocos recebe um crescente influxo de cadeias de fast-food e de produtos alimentícios industrializados. Embora alguns estudos [En] tenham sido realizados, o tema foi muito pouco abordado na blogosfera, ao menos até agora.

Em uma série de seis blogadas, Margot the Marrakesh Mystic lança um olhar mais aprofundado sobre como os corpos marroquinos (e consequentemente a imagem corporal dos marroquinos) está mudando. Na primeira blogada da série, a blogueira reflete [En] sobre a obesidade e sobre o aumento da diabetes no Marrocos:

According to the WHO Global Database on Child Growth and Malnutrition, “the percentage of overweight children in Morocco more than tripled between 1987 and 2004.” This is attributed to the dual trend of decreasing physical activity levels, and a shift in diets to include more fats and sugars. The trend of overweight children is happening far more in cities, and mostly among the middle and upper classes

I have a Moroccan friend who is an assistant in one of the classes at the local American School. Children in this school are mostly from the upper-middle and upper classes. I asked him, “Out of the 21 Moroccan children in his own class (foreigners excluded from the count), how many were overweight?“

He responded, “Five are quite fat, seven are rather chubby, but not yet obese; and the remaining nine are of normal weight.” So that means 57 percent of the class is overweight, or obese; while 43 percent are of normal weight.

“De acordo com as Bases de Dados Mundiais da Organização Mundial de Saúde (OMS) sobre crescimento infantil e desnutrição, ‘a porcentagem de crianças acima do peso no Marrocos mais do que triplicou entre 1987 e 2004.’. Isto é atribuído à dupla tendência de diminuição dos níveis de atividade física e de mudança nas dietas com aumento da ingestão de gorduras e açúcares. A tendência de obesidade na infância está ocorrendo majoritariamente nas cidades e principalmente nas classes média e alta.
Eu tenho um amigo marroquino que é assistente em uma das turmas da Escola Americana local. As crianças desta escola são em grande maioria das classes alta e média-alta. Eu perguntei a ele, ‘Das 21 crianças marroquinas em sua turma (crianças estrangeiras foram excluídas da contagem), quantas estão acima do peso?’.
Ele respondeu, ‘cinco são bem gordas, sete são um tanto fofinhas, mas ainda não obesas; as outras nove tem peso normal’. Então isso significa que 57% dos alunos está acima do peso, enquanto 43% tem peso normal.”

Enquanto a segunda e a terceira blogadas da série tratam de questões similares (o aumento de supermercados e de eletrodomésticos modernos no Marrocos), a quarta blogada lida com um tópico interessante: o desejo das jovens marroquinas de ganhar peso. Nesta blogada, a blogueira compartilha uma anedota sobre sua irmã mais nova:


My little sister THINKS she is too skinny (at least she’s teased by the girls at school who say she is, but they are chubby, so it’s probably jealousy). So she wears four pairs of pants under her jeans. I ask her why she is doing this, especially when it is over 100°F outside! She says it’s so that the thigh area of the jeans will not look “loose,” but filled out, and tight all around, like her friends look in their jeans. All I can say is that I remember being this age (fourteen) and how important it is at that age to dress like your friends.

“Minha irmã PENSA que é muito magra (ou ao menos é provocada pelas colegas de escola que dizem que ela o é, mas elas são gordinhas, e devem estar com inveja). Então ela usa quatro calcinhas debaixo de seu jeans. Eu pergunto a ela por quê ela está fazendo isso, principalmente quando está fazendo quase 40 graus lá fora! Ela diz que faz isso para que a área ‘apertada’ da calça não pareça ‘frouxa’, mas preenchida, e toda apertada, como ficam nos jeans de suas amigas. Tudo que posso dizer é que eu me lembro de ter tido sua idade (quatorze anos) e como era importante naquela época me vestir como minhas amigas.”

A parte cinco [En] trata dos restaurantes de fast-food no Marrocos. Curiosamente, a blogueira conclui:


T
here were no fast-food restaurants until recently. But in my opinion, they are NOT contributing to the problem of obesity in Morocco. Instead, they have enhanced our lifestyle considerably. We want these choices available here too, as they are available in the more developed countries.

“Não havia restaurantes de fast-food por aqui até recentemente. Mas em minha opinião, eles NÃO estão contribuindo para o problema da obesidade no Marrocos. Em vez disso, eles melhoraram nosso estilo de vida consideravelmente. Nós queremos estas escolhas disponíveis para nós aqui também, assim como elas estão disponíveis em países mais desenvolvidos.”

A parte seis, que ainda não foi publicada, irá atacar a questão do diabetes no Marrocos [En]. Algo que, embora não seja novidade, é um problema crescente no país.

2 comentários

  • Thanks for translating this Daniel! I hope it will be of interest to the lusosphere!

  • You’re welcome, Jillian. :)

    It’s a great article. But I am a little surprised about the blogger’s position about the fast-food chains, and her desire to “have the choices available to the more ‘developed’ countries”. I’m afraid the “alimentary globalization” has a lot to do with the growing obesity and alimentary-related diseases in the “developing” countries. Marrocos had a wonderful traditional cuisine in the past, and the arrival of the “western” food and alimentary habits at the same time obesity and diabetes is rising in the country sounds as more than mere coincidence.

    Best,
    D.D.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.