Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Equador: Um Fim De Semana De Software Livre Em Todo O País

ubuntu.jpg
Foto por Lens Geek. Reproduzida sob licença do Ccommons License.

Terminou recentemente, em toda a América Latina, o “Festival Latino-Americano de Instalação de Software Livre” (FLISOL 2008). Este evento, que vem se realizando desde 2005, tem como principal objetivo promover o uso de software livre, apresentando sua filosofia, sua extensão e seu desenvolvimento. Durante o evento, diversas comunidades locais de software livre (em cada país, em cada cidade/localidade), organizaram, simultaneamente, eventos nos quais eram instalados, gratuitamente e de acordo com da lei, software livre nos computadores levados até lá pelo público. Além disso, também eram oferecidas, ao mesmo tempo, palestras, apresentações e oficinas a respeito de software livre em todas as suas formas de expressão e dentro do contexto local, nacional e latino-americano.

No Equador, este evento recebeu bastante atenção, especialmente depois que o presidente da república, Rafael Correa, determinou, através do decreto No. 1014 de 10 de Abril de 2008, que os computadores da administração pública deveriam utilizar software livre. Esse decreto é o cumprimento de uma promessa feita em 2007, em um discurso, no qual ele afirmou que migraria todos os computadores para estes sistemas.

No caso do Equador, 14 cidades participaram este ano. A coordenação foi feita através de listas de e-mail e chats do IRC, onde materiais promocionais foram distribuídos para cidades menores.

Rafael Bonifaz (ES) é um dos pioneiros no país e escreve um post, no qual ele explica em detalhes o que é e como funciona o FLISOL no Equador:

El FLISOL lo organiza las comunidades de Software Libre de América latina. En el caso de Ecuador los organizadores son gente de las comunidades de: ASLE, Ecualug, Equinux, OpenEcuador, Ubuntu-ec, entre otras. Básicamente estas comunidades de software libre son listas de correo o foros donde la gente que comparte el interés del software libre comparte sus conocimientos a través del Internet.

O FLISOL organiza as comunidades de Software Livre da América Latina. No caso de Equador, os organizadores são pessoas das seguintes comunidades: ASLE, Ecualug, Equinux, OpenEcuador, Ubuntu-ec, entre outras. Basicamente, estas comunidades de software livre são listas de e-mail ou fóruns onde as pessoas que se interessam pelo software livre compartilham seus conhecimentos através da Internet.

Jhon Calderon (ES) conta quais as cidades que participaram no país e relata o que ocorreu na cidade de Loja, onde ele mesmo estava envolvido com a organização do evento:

En el marco del evento Flisol Loja se distribuyeron variantes del sistema operativo GNU/Linux de manera gratuita y también a un dólar por cd para cubrir gastos que conlleva el mismo. La instalación se realizo en cerca de 20 maquinas, la distribución de los cd’s al publico alrededor de 80 cd´s y la concurrencia del publico fue masiva quedando muy satisfechos por lo expuesto en el evento.

No evento Flisol-Loja foram distribuídas versões do sistema operacional GNU/Linux gratuitamente e também a um dólar por cd para cobrir as despesas do mesmo. A instalação foi feita em cerca de 20 máquinas, foram distribuídos aproximadamente 80 cd´s, o público compareceu em massa e saiu de lá muito satisfeito pelo que foi exposto.

flisol.jpg

Uma das participantes do evento em Loja, cidade do Sul do Equador. Foto por Jhon Calderon. Reproduzida sob licença do CCommons license.

Eduardo Palacios (ES) escreve em seu blog sobre o que ocorreu na cidade de Guayaquil, e inclui fotografias do evento ocorrido na ESPOL (Escuela Superior Politécnica del Litoral). Ele acrescenta que suas expectativas em relação ao público, comparando com o evento de 2007, não se confirmaram:

Esperaba que por realizarse en el Campus Peñas -que está dentro de la ciudad a diferencia del Campus Prosperina-, la cantidad de asistentes a este evento superara a la del FLISOL 2007, pero creo que no fué así, al menos no durante el tiempo que permanecí en el campus (hasta cerca de las 14h00).

Esperava que, por ter se realizado no Campus Peñas (que, diferente do Campus Prosperina, fica dentro da cidade), a quantidade de pessoas no evento superaria a do FLISOL 2007, mas acredito que isso não tenha acontecido. Pelo menos não durante o tempo em que eu estive no campus (até mais ou menos 14:00h).

Ecubuntu (ES) fala sobre a possibilidade de acompanhar as atividades do FLISOL através da FLISOLTV, que disponibiliza na internet uma compilação dos vídeos produzidos durante o evento. Nem todas as cidades têm vídeos on line, mas esse foi o jeito encontrado para que as pessoas possam acompanhar a programação em outros países.

Esteban Mendieta (ES) disponibilizou links para os sites dos eventos no Equador, mas um dos comentários deixados em seu blog diz que o software livre não é o que deveria ser, especialmente em relação à instalação:

Me quedo con el sabor amargo de esta ingrata experiencia, pense que istalar WIN yUBUNTU seria mas facil que instalar WIN y LEOPARD, (los he instalado un sinnumero de veces en PCs y en MACS particionadas) pero WINDOWS con UBUNTU definitivamente no se llevan, un enigma para mi… Bueno esperare otra FLISOL o que el sistema sea MAS AMIGABLE, o esperar pacientemente la lenta marcha del software libre.

Fico com o sabor amargo desta experiência ingrata, pensei que instalar WIN e UBUNTU seria mais fácil que instalar WIN e LEOPARD, (já instalei os mesmos inúmeras vezes em PCs e MACS particionados), mas WINDOWS e UBUNTU definitivamente não combinam. É um enigma para mim… Bom, agora é esperar outro FLISOL, ou que o sistema seja MAIS AMIGÁVEL, ou esperar pacientemente a marcha lenta do software livre.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.