Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Tunísia: campanha implacável contra o jornalista e blogueiro detido, Slim Boukhdhir

Nas últimas semanas, comenta-se que Slim Boukhdhir, blogueiro e jornalista detido de 39 anos de idade, está submetido a um nível de assédio incomum por autoridades prisionais na prisão Sfax, onde ele está cumprindo um ano de sanção imposta por um tribunal da Tunísia em 4 de Dezembro de 2007. Boukdhir foi acusado de “agressão contra um funcionário público” e de “afrontar a decência pública”.

Sua esposa, Dalenda Boukhdhir, disse ao Global Voices que as autoridades prisionais colocaram Slim em regime de “cela seca” durante três dias, entre 20 e 23 de Março de 2008, cortando a água em sua cela, de modo que ele não
podia se lavar. Estas medidas têm agravado ainda mais o já grave estado de saúde do marido, ela disse. Mme Boukdhir já se queixaram à Cruz Vermelha sobre as condições prisionais e está esperando que funcionários vinculados à instituição vão visitar Slim na prisão.

Slim Boukhdhir protagonizou várias greves da fome em protesto contra desumanas condições em que ele está sendo submetido. Sua mais recente greve da fome foi cancelada em 2 de Fevereiro de 2008, a pedido de sua esposa.

“Evitar que um prisioneiro veja sua família ou tenha sua cela limpa é uma flagrante violação aos direitos humanos,” Repórteres Sem Fronteiras afirmam, “a injustiça da condenação deste jornalista a um ano de prisão está se agravando pelas suas condições de detenção e fazergreve de fome se tornou seu único meio de se fazer ouvir. “

Incluímos abaixo um alerta de Luiza Toscane, ativista de direitos humanos, publicado em uma seção do fórum do site tunisino Nawaat. (A tradução em inglês foi feita por Jennifer Brea, editora do Global Voices Língua Francesa):

Lors de la visite qu'elle a rendu jeudi 13 mars à son mari, Slim Boukhdhir, journaliste incarcéré à la prison de Sfax, Dalenda Boukhdhir a pu constater que l'acharnement des autorités pénitentiaires à l'endroit de son mari ne connaissait pas de répit : ce dernier lui a dit que non seulement il vivait toujours dans sa cellule infecte et exiguë, mais aussi que depuis trois jours, il n'avait plus accès à un point d'eau. Les autorités pénitentiaires ont fait couper l'eau, et à la différence de ses co détenus, il ne peut sortir pour se laver ailleurs.

No dia 13 de Março, durante uma visita ao seu marido, Boukhdir Slim, um jornalista encarcerado na prisão Sfax, Dalenda Boukhdhir viu que as autoridades prisionais cruelmente não conheciam limites: Slim disse a ela que ele não só se encontra confinado a uma cela péssima e apertada, como também nos últimos três dias, ainda não teve acesso a uma fonte de água. As autoridades prisionais cortaram a água, e ao contrário dos seus
companheiros se prisão, ele não podia deixar sua cela para se lavar em outro lugar.

Slim Boukhdhir a alors envisagé une nouvelle grève de la faim pour protester contre cette nouvelle atteinte à ses droits élémentaires, projet que ses proches lui ont proposé d'abandonner. Et aujourd'hui, le couffin de nourriture qui lui a été apporté par sa mère a été accepté par l'administration pénitentiaire, signe que le détenu aurait consenti à renoncer à sa grève, signe aussi que Slim Boukhdhir renvoie la balle dans le camp des défenseurs des droits de l'homme : à nous d'exiger que soit mis un terme à ses conditions infra humaines d'incarcération, à nous de tout mettre en oeuvre pour sa libération.

Portanto, Slim Boukhdhir planeja uma nova greve da fome para protestar contra esta nova afronta aos seus direitos básicos, um projeto que sua família e amigos o aconselham a abandonar. E hoje, as autoridades prisionais permitiram-lhe receber a cesta de alimentos que sua mãe trouxe, um sinal de que o prisioneiro concorde em renunciar à sua greve, e também um sinal de que Slim Boukhdhir está passando a bola de volta para os defensores dos direitos humanos, em seu tribunal. Cabe a nós exigir o fim das condiçõesdesumanas de encarceramento. Cabe-nos fazer tudo o que pudermos para garantir a sua liberdade.

Slim Boukhdir foi detido em 26 de Novembro, acusado de “agressão contra um funcionário público” e “afronta à decência pública”. Ele começou a escrever seu blog no Serviço Árabe de Blogs: Maktoob Blogs depois de perder o seu trabalho como jornalista no jornal tunisino “Akhbar Al-Joumhurya” (Notícias da República) em agosto de 2004. Em Julho de 2007,seu blog foi cortado, hackeado e apagado. Até sua prisão, em 26 de novembro de 2007, Slim Boukhdhir continuou seu trabalho como correspondente para Al-Arabiya TV Website, para o diário pan-árabe baseado em Londres, Al Quds Al Arabi, e para o portal alemão Qantara.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

2 comentários

  • http://tunisie-harakati.mylivepage.com

    Tiene ver esta historia en Tunisia, la de senora Sameh Harakati que acaba de ser condenada a once anos de prision firme mientras que su inocencia ha sido probado por sus abogados. Un escandalo de justicia en Tunisia para esta joven animadora de turismo.
    Ver el sitio internet de senora Sameh Harakati y découvrer su historia y su destino que sobrepasa la ficcion a través de documentos, articulos, clips vidéos,…….una historia verdaderamente todavia de actualidad.

    http://tunisie-harakati.mylivepage.com

  • Hello Pascoal,

    I’ve just visited the linked website and sent it to our authors on the Tunisian region. If is there anything to be said about it, I’m sure they share it with us. Thanks for the link.

    Best wishes and prayers for Sameh.

    Daniel Duende.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.