Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Vídeos cubanos: manobra midiática ou exemplo de liberdade de expressão?

Flying the flag by exfordy
Bandeira cubana por exfordy

Um trecho de um vídeo online de 4 minutos difundido pela mídia internacional, registrando 2 horas de um encontro entre o presidente da Assembleia Nacional e estudantes de Ciência da Computação da Universidade (UCI [ES]), produziu mais reações e debates contrastantes quanto liberdade de expressão em Cuba e o destino da Revolução Cubana.

Há cerca de um mês, a BBC recebeu uma gravação de uma reunião anônima entre os estudantes da UCI e Ricardo Alarcón, e mostrou um vídeo de 4 minutos que mais tarde se espalhou através YouTube [ES] mostrando alguns alunos perguntando ao presidente da Assembléia Nacional (PPAN) de Cuba, Ricardo Alarcón de Quesada, por que existe um peso conversível, quando trabalhadores do campo ganham seu salário em moeda nacional, que equivale a 1/25 em relação ao anterior, entre outras questões. A resposta do presidente também foi mostrada no video editado pela BBC [ES]. A primeira impressão obtida deste vídeo foi que estes debates são algo inédito em Cuba, a certeza de que as coisas estão mudando agora que Fidel Castro já caiu, como foi relatado em The Cuban Triangle e do Havana Journal.

Blogueiros cubanos responderam de volta com vídeos inteiros e não editados, alguns deles tentando mostrar que este encontro entre alunos e governo foi um exemplo de liberdade de expressão que não é incomum, e uma forma pela qual os estudantes que detêm posições políticas no interior da universidade podem colocar questões ao Sr. Alarcón, para que outros estudantes possam ouvir as respostas a partir de uma fonte melhor.

Em Mexico, Cuba and other things [ES], o autor acredita que os estudantes pertencem a uma elite: porque eles estão estudando ciências da computação, eles possuem acesso à internet, coisa que outros estudantes provavelmente não têm, tornando-os mais críticos do sistema. O autor de Cuba, the truth comes out into the light [ES], entende o contrário: porque estes alunos estudam totalmente de graça na melhor universidade do seu país, independentemente de sua origem humilde, eles provavelmente apoiam a revolução e fazem perguntas porque podem obter respostas. Ela escreve:

 

Yo no quiero convencerlos de nada solo quiero que analicen, si es verdad lo que dicen los medios de prensa que dicen que los jóvenes cubanos cuestionaron el gobierno y ellos no manipularon la información, Por qué no ponen el video completo del intercambio y si solo lo que les conviene?

Não quero convencer ninguém de nada, eu quero apenas que você analise, se é verdade o que a mídia e a imprensa estão dizendo que estes jovens cubanos estavam ativamente questionando o governo e que eles não manipulam informações. Por que eles não mostram o vídeo completo da reunião e só mostram o que lhes convém?

Em Yohandry´s Blog [ES] [ES], cuja página está hospedada na plataforma do jornal espanhol El País, ele afirma que foi as eleições parlamentares no dia 24 de fevereiro que impulsionou esta campanha “anti cubana”. Ele também publica as 11 partes completas do vídeo, para que telespectadores possam julgar por si próprios, e graças aos blogueiros e à juventude que se reúnem e ajudam a conseguir e a tornar públicos os vídeos completos. Segue a 1 ª parte da conversa, você pode ver
os outros 10 vídeos sobre Yohandry´s blog [ES].

Em Pascual Serrano.net [ES], O jornalista espanhol do mesmo nome analisa o significado por trás dos vídeos: ele afirma que a mídia retrata-o como um caso de motim contra o governo cubano, por conta de sua ineficiência, e ele pensa o contrário. Para o deputado Serrano, o vídeo demonstra que o governo cria espaços em que todos os cidadãos possam fazer qualquer pergunta a aqueles que estão no poder, e que essas perguntas receberão resposta. Ele menciona um evento anterior que ele participou onde se seguiu a mesma dinâmica. Ele também ridiculariza o pensamento que a liberdade de expressão e o direito de fazer perguntas ao governo é anátema em Cuba: por sua vez, ele usa o exemplo do estudante que fez uma pergunta desconfortável para John Kerry e foi puxado para fora da sala [link Video EN]. No post seguinte [ES], Pascual Serrano menciona que a mídia internacional relatou que o aluno que falou contra o Sr. Alarcón foi detido, e que isso foi provado absolutamente falso pelo mesmo estudante, que foi entrevistado por um repórter da mesma universidade e que, juntamente com outros, explicou que eles foram capazes de mover-se livremente e que a notícia sobre a prisão de Eliécer Ávila era completamente falsa.Seguem o links para o vídeo 1 e o vídeo 2 com as entrevistas feitas pela jornalista cubana Rosa Miriam Elizalde e que foram disponibilizados por cubadebate [ES].

Os comentários sobre quaisquer desses lugares e vídeos mostram como a população está dividida: aqueles qu defendem que a informação foi manipulada pela BBC, talvez os alunos foram incitados a responder como fizeram durante a entrevista. Outros acreditam que os vídeos completos e não editados são o melhor exemplo do que realmente se passa em Cuba. Até mesmo Ricardo Alarcón Si tem comentado sobre o que ele chama manipulação da mídia sobre processos políticos transparentes, tal como foi publicado no Weblog de Lapolillacubana [ES]:

Pensé en Mills cuando el domingo 24 de febrero al concluir la sesión del Parlamento cubano una periodista europea me expresó su sorpresa pues, según ella, las decisiones que acabábamos de tomar no correspondían con lo que se suponía debía ocurrir. No entendía que “un desconocido” como Machado Ventura pudiera ser elegido Primer Vicepresidente del Consejo de Estado y del Consejo de Ministros y tampoco comprendía que yo hubiese sido reelecto Presidente de la Asamblea contradiciendo ciertas especulaciones mediáticas. Con la mayor dulzura posible le respondí que los medios pueden manipular la realidad pero no son capaces de crearla.

Pensei em Mills [C. Wright Mills [EN]] quando no domingo 24 de Fevereiro ao concluir a sessão do parlamento cubano, uma jornalista européia expressou sua surpresa, uma vez que, de acordo com ela, as decisões que tinham acabado de ser tomadas não correspondiam ao que se imaginava que deveria acontecer. Ela não compreendia como um “desconhecido”, como Machado Ventura poderia ser eleito Primeiro Vice-presidente do Conselho do Estado e do Conselho de Ministros, e tampouco entendia como eu tinha sido reeleito presidente da Assembléia, contradizendo certas especulações midiáticas. Com a maior doçura possível, respondi que a mídia pode manipular a realidade, mas não é capaz de criá-la.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.