Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Bahrain: Mulheres quase nuas em jornal desagradam blogueiro

Ver fotos daquilo que ele descreve como “mulheres quase nuas” nos jornais locais desagrada o blogueiro Jaffar, de Bahrain, que aproveita a oportunidade para divagar sobre outras práticas desaprovadas por ele na mídia e na vida real, neste post traduzido hoje da língua árabe.

Tudo começou com fotos de mulheres não vestindo o Hijab, publicadas em jornais diários locais que cobriam a celebração do Dia da Educação deste ano em Bahrain, onde os mais importantes graduados do país são homenageados. Jaffar reclama:

من خلال تصفحي لجرائدنا المحلية الأسبوع الفائت.. كنت أشاهد صور كثيرة لفعاليات عيد العلم وأخذت أقلب الصور وأفكر فيها.. صور نساء بعضهم بدون حجاب وبعضهم بلبس فاحش لا يتقبله إسلامنا.. هل نطلق على هؤلاء مسلمون وهل هذا بلد الإسلام.. أصبحت هذه الصور تعرض في صحفنا وفي شاشات التلفاز ونشاهد هذه المشاهد حية أيضا عند زيارة الاماكن العامة كالمجمعات والمنتزهات.. فكيف وصلنا إلى هذا الحد وما الفرق بيننا وبين الدول الغير مسلمة..

“Enquanto lia os jornais na semana passada eu ví várias fotos das celebrações do Dia da Educação. Enquanto virava as páginas, comecei a pensar… [havia] fotos de mulheres sem o Hijab (lenço de cabeça islâmico) e algumas estavam com vestimentas indecentes, que não são aceitáveis para o Islã. Nós chamamos estas pessoas de muçulmanos e nós afirmamos ser um país muçulmano? Estas fotos estão agora sendo exibidas em jornais e na televisão e até podemos ver estas pessoas ao vivo em lugares públicos como centros comerciais e parques. Como chegamos a este ponto e qual é a diferença entre nós e os países não islâmicos?”

Das mal vestidas graduadas, que incluíam algumas das mais importantes graduadas assim como aquelas que obtiveram seu mestrado e doutorado, Jaffar volta sua atenção para os anúncios de televisão. Ele escreve:

الصورة ذاتها عند مشاهدة الإعلانات التجارية في التلفاز حين يكون الإعلان عبارة عن منتج كسائل غسل الشعر والجسم او ألة إزالة الشعر لتظهر لنا بطلة الإعلان وهي في الحمام مثلا تظهر شعرها ومناطق من جسدها كالرقبة والظهر والأرجل.. وكأنة شيء لم يكن ونحن نشاهد ونضحك..

“A mesma imagem se repete em comerciais de televisão. Quando a propaganda é para um produto como um shampoo, higiene do corpo ou removedor de cabelos, nós podemos ver uma garota no banheiro mostrando seu cabelo e partes de seu corpo como o pescoço, as costas e as pernas. E nós rimos disso como se não fosse nada.”

E então ele compartilha uma conversa que teve com um colega de trabalho e diz:

أمس كان أحد الزملاء في العمل يستنكر وجود صورة لعارضة أزياء غربية في صحيفة بحرينية.. فذكرت له إن الملام في عرض هذه الصورة هي الصحيفة فقط.. أما عرض صور مشابهة في محافل بحرينية تظهر فيها نسائنا بصور غير مشرفة للإسلام وهنا الملام هو المجتمع بأسره..

“Um de meus colegas de trabalho condenou ontem a presença de uma fotografia de uma modelo estrangeira em um jornal do Bahrain. Eu lhe disse que o jornal é culpado por ter a foto dela alí. Contudo, a exibição de fotos como estas na sociedade de Bahrain, onde mulheres são apresentadas em situações que são desonradoras ao Islã, é uma falha da sociedade como um todo”

Em um comentário ao post, Jr7 escreve:

اعتدنا على هذه الصور وأصبح ذلك عاديا في مجتمعنا الاسلامي!!!
اعتقد تلك النساء الغير متحجبات او ذواتي اللباس الفاحش الغير محتشم ناتج عن ضعف ايمانهم وقله ثقافتهم وعدم رقي تفكيرهم وانحطاط مسؤليتهم..والسبب الاول هو البيئة والمجتمع والمحيط التي تعيش فيه..وهم الاهل
ربما تلك المرأه نشأت في بيئة أو اسره غير مكترثه للحجاب..فالاسلام لا يجبرها بالحجاب ..لابد ان تشعر بالاقتناع والرضى من الداخل على لبسه..لان عمر الشى ما يجي بالغصب..
الصور التي في الاعلانات التجارية واسمها تجارية ماهي الا لكسب المال ولذلك نشاهد كثير من النساء ذواتي الاجسام الرخيصة يعرضونها ليتمنظر بها الشباب ..شفتوا شلون يبيعون اجسامهم بجم ربيه..

“Nós nos acostumamos a ver estas imagens e elas se tornaram normais na sociedade Muçulmana!!! Eu acredito que mulheres que não usam o Hijab e aquelas que vestem roupas indecentes tem crenças fracas, não são cultas nem civilizadas em seu pensamento e são irresponsáveis. A causa principal disso é o seu ambiente, a sociedade e aquilo que nos cerca em nossa vida… e às suas famílias. Talvez aquela mulher tenha sido criada em um lar que não deu grande importância ao Hijab. O Islã não exige o Hijab (para as mulheres)… elas precisam ser convencidas e ficarem internamente satisfeitas por usá-lo. Nada é forçado. As fotos que vemos em anúncios comerciais são apenas isso — comerciais. Elas servem apenas para fazer dinheiro. É por isso que vemos mulheres com corpos baratos que estão prontas para se colocar à mostra para a juventude. Você vê como elas vendem seus corpos por algumas moedas?”

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

2 comentários

  • Do meu ponto de vista ocidental, não muçulmano (nem cristão), os posicionamentos do blogueiro e de seu comentador parecem exagerados, se não opressores.

    Mas, como eu disse, meu ponto de vista é o de um ocidental não muçulmano (nem cristão). Talvez eu não entenda dessas coisas, ou não entenda do mesmo modo que eles entendem…

    Vai saber?

    Abraços do Verde.

  • Eloisa Menezes Pereira

    Momentos inebriantes

    Sentimentos estraçalhados
    Alçam pelas recordações
    Histórias constantes
    Dançam nas emoções

    Lembranças estacionadas
    Brilham amarguradas
    Na esperança da satisfação
    Anestesiam a solidão

    Reaparecem embaladas
    A amizade dolorida
    Gravando os passados
    Nessa infinita vida

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.