Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Cazaquistão: Tensões étnicas e identidade subestimada

O Cazaquistão é um país que frequentemente se vangloria de sua tolerância inter-étnica e religiosa – na época czar, o país aceitou muitos trabalhadores imigrantes da Ucrânia e da Rússia. Na época de J. Stalin, era o destino de nações de prisioneiros e e políticos deportados. No período Soviético, milhares profissionais da indústrias e agricultura foram ao país para participar da modernização econômica da República. Foi em 1980 quando o Cazaquistão ganhou o título de “laboratório de amizade inter-étnica” e agora todos os anos, a nova capital, Astana, organiza o Fórum de consentimento inter-confessional com o apoio do presidente Nazarbayev. Ao mesmo tempo, nem toda a gente acredita que esta é uma característica do Cazaquistão moderno, já que pequenas tensões étnicas vêm ocorrendo quotidianamente e os cazaques prevalecem nas estruturas estatais.

Slavoyara, uma jornalista Rússia que vive no Cazaquistão Central, é tão cautelosa em relação à esmagadora predominância de Cazaques nos organismos estatais, que ainda contempla a emigração:

“That's how political balance work here… When all nationalties of the country will be proportionally represented in the
government, tax bodies, local administrations etc., then we would be able to speak discuss it. Frankly, I don't care much about this issue. We live well, make money and eat sufficiently. But my kids will live in another – genuinely international – country. And they will speak English, not Kazakh” [ru].

“É assim que o equilíbrio político funciona aqui… Quando todas as nacionalidades do país forem proporcionalmente representadas no governo, nos órgãos fiscais, nas administrações locais etc, então seremos capaz de discuti-lo. Francamente, não me importo muito sobre esta questão. Vivemos bem, ganhamos dinheiro e comemos suficientemente. Mas, meus filhos vão viver em outro – verdadeiramente internacional – país. E eles vão falar inglês, não cazaque “[ru].

Curiosamente, outro blogueiro do Norte do Cazaquistão (onde a quota da população russa tem sido historicamente muito elevada), aslili testemunha uma situação diferente, e chama o Cazaquistão de “país suficientemente sábio”, para evitar confrontos:

“So, we are sitting in the courtroom – I am a Russian born in Armenia, our lawyer is a Russian born in Karabah, the judge is a kazakh born in Russia, another lawyer is a local Kazakh, and the court expert is a Tatar born in Bashkiria (a region in Russian Federation). Then I go out and go to the market – buying grapes from an Uzbek, salads from a Korean, pomegranates from an Azeri. In the shopping mall a young Chechen girl asks me to look how a new dress fits her… Everyone is so friendly and respectful to each other” [ru].

“Então, estamos sentados no tribunal – Eu sou um russo nascido na Arménia, o nosso advogado é um russo nascido em Karabah, o juiz é um cazaque nascido na Rússia, um outro advogado é um cazaque local, e o tribunal especializado é um Tatar Nascido em Bashkiria (uma região na Federação Russa). Então eu saio e vou ao mercado – comprar uvas de um uzbeque, saladas de um coreano, romã de um azeris. No shopping, uma jovem moça chechena me pede para olhar como um novo vestido fica nela… Todo mundo é tão amigável e respeitoso uns com os outros “[ru].

Megakhuimyak, um blogueiro Cazaquistão de Almaty, não está muito satisfeito com a atual mentalidade predominante dos cazaques – a cultura cazaque e os movimentos nacionais são marginalizados e não incidiram sobre o problemas sócio-políticos, mas sim sobre a questão das línguas. Megakhuimyak reage à entrevista de Dos Kushim, um cidadão patriota, membro da Câmara Cívica sob o aval do presidente. Um antigo jornalista e ex-vice-governador afirma que as eleições não são tão importantes para um cazaque quanto a oportunidade de falar com um oficial do estado no idioma cazaque. Kushim também curiosamente opinou que apsicologia cazaque é a de que o “patrão tem sempre razão”.

“In other words, the message is as follows: “you can do what you want with us, but we really want you to shout at us only in Kazakh” [ru]”.

“Em outras palavras, a mensagem é a seguinte:” vocês podem fazer o que quiser com a gente, mas nós realmente queremos que gritem conosco apenas em cazaque “[ru]”.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.