Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Marrocos: Liberdade para blogar

 

O Marrocos é frequentemente visto como um dos países de maior liberdade entre os maiores países do mundo muçulmano. As mulheres gozam de quase os mesmos direitos [en] que os homens, a imprensa [en] é relativamente liberal, poucos sites são proibidos [en], e agora, blogueiros estão livres para escrever sobre o que a imprensa não pode, de acordo com um recente artigo publicado pela Agence France-Presse (AFP) afirmando que a blogosfera marroquina é “a animada zona da liberdade de expressão na região muçulmana conservadora da África do Norte”.

The View From Fez foi o primeiro a lincar para o artigo [en] destacando:

The View From Fez is one of the few successful blogs in English and is read by around a thousand people every day.

The View From Fez é um dos primeiros blogues bem-sucedidos em inglês e é lido por carca de mil pessoas a cada dia.

E para provar o que está falando, The View From Fez divulga o resultado de um recente prêmio da blogosfera marroquina [en], onde eles foram eleitos o 2º melhor blogue.

Kelvy K. (It Belongs to Man to Err), blogueiro indiano residente no Kuwait, disse a respeito do artigo [en]:

well since we Indians have all the freedom we want, we wont understand it when blogs and press freedom are not allowed. We will feel it is ridiculous when so many blogers end up in jail for many of their comments. Like for example, a Saudi bloger is in jail now for some blog article of his, similar cases have happened in Africa, Tunisia, Bahrain, Kuwait, Egypt, Algeria etc..

Bem, considerando que nós indianos temos toda a liberdade que queremos, não entendemos quando blogues e imprensa têm liberdade. Nós achamos que é ridículo que tantos blogueiros acabem na prisão muitas vezes por causa de seus comentários. Por exemplo, um blogueiro saudita está agora na prisão por causa de uns artigos do seu blogue, casos semelhantes têm acontecido na África, na Tunísia, em Bahrein, no Kuwait, no Egito, na Argélia, etc.

The Morocco Report também cita o artigo [en], dizendo:

As a Morocco-related blogger for the past two-odd years, I would have to agree with the article – Moroccan bloggers really do have significant freedom in what they choose to write about, as evidenced by some of the posts seen at maroc-blogs.com.

Needless to say, congratulations blogoma! May you continue to generate interesting, exciting, and thought-provoking posts, and may the freedom to express your ideas continue.

Como um blogueiro relacionados com o Marrocos pelos últimos dois ou três anos, eu teria de concordar com o artigo – blogueiros marroquinos realmente têm uma liberdade significativo para escolher sobre o que escrever, como evidenciado em algumas das postagens encontradas no maroc-blogs.com [en].

Nem precisa dizer, parabéns blogoma! Tomara que continue a gerar postagens interessantes, empolgantes e
intelectualmente instigantes, e que a liberdade de expressar as suas idéias continue.

O próprio artigo mencionou alguns blogueiros marroquinos populares, Larbi e Mehdi7.

De resto, Everything Morocco também tinha algo a dizer sobre fazer parte do blogoma:

I blog from home now, on a laptop with a DSL connection, in one of the oldest fully-functioning medieval cities in the world. As I sit here typing this, neighbor women are carrying their bread to the public oven and donkeys are hauling goods down the narrow streets of the city and tourists are picking over the displays of hand-crafted souvenirs in the souks. Satellite dishes dot the surrounding rooftops where many women still wash laundry and prepare spices by hand. You are just as likely to spot a sheep or a rooster on a roof as a cat or a swallow.

Time and technology seem to be always advancing, faster now than ever, but in a comforting way, the daily routines of life stay the same. That's especially true in Fez.

Estou blogando de casa agora, num laptop com uma conexão DSL, em uma das mais antigas cidades medievais ainda em funcionamento no mundo. Enquanto sento aqui digitando esta postagem, mulheres da vizinhança estão levando o seu pão ao forno público, burros são carregando as mercadorias pelas ruas estreitas da cidade e os turistas estão escolhendo suas lembrancinhas feitas a mão nos souks [feiras árabe ao ar livre]. Antenas parabólicas enfeitam os terraços onde muitas mulheres ainda lavam a roupa e preparam especiarias feitas a mão. É tão provável ver uma ovelha ou um galo nos terraços quanto um gato ou uma andorinha.

Tempo e tecnologia parecem estar sempre avançando, mais rápido agora do que nunca, mas de uma forma consoladora, as rotinas diárias da vida permanecer as mesmas. Isso é especialmente verdadeiro em Fez.

Mas enquanto muitos avanços estão acontecendo no Marrocos, tanto no campo da tecnologia quanto no da liberdade, há ainda um longo caminho a percorrer. Blogueiro do MoTIC [fr] rastreia injustiças e censura no Maroccos. Sami ben Gharbia do Global Voices Advocacy também tem feito a cobertura de censura no Marrocos [todos os links em inglês].

(Artigo original de Jillian Cork)

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

2 comentários

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.