Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Descanse em paz: Benazir Bhutto do Paquistão

A paquistanesa Benazir Bhutto (54) foi assassinada em Rawalpindi hoje durante um comício político. Ironicamente, segundo notícias na imprensa, Rawalpindi é uma das cidades mais seguras do Paquistão e repleta de segurança pessoal. Em outra ironia, de acordo com uma reportagem da BBC, Benazir foi assassinada quase no mesmo lugar onde morreu o primeiro primeiro-ministro do Paquistão.

Seu assassinato [en] tumultua o futuro político do Paquistão e levanta questões sobre se o Paquistão vai mergulhar ou não numa guerra civil.

Benazir foi a primeira mulher a ser eleita duas vezes como primeira-ministra do Paquistão.

Que trágico fim para uma líder que lutava pela democracia no Paquistão. Seu retorno ao Paquistão, no início deste ano, começou com o pé esquerdo quando houve uma tentativa de bombardear a cavalaria com a qual ela viajava do aeroporto até à sua terra natal. Com esta morte súbita, o futuro político do Paquistão está, mais uma vez, em um caminho incerto. A pergunta é se haverá ou não eleições no próximo mês.

Líder controversa, as opiniões políticas Benazir [en] foram influenciados pelas de seu pai Zulfikar Ali Bhutto, ex primeiro-ministro do Paquistão. Escritora e oradora versada, Benazir [en] estudou no Reino Unido e nos EUA antes de retornar ao Paquistão, e juntando-se ao partido político do seu pai, o Partido Popular do Paquistão (PPP), foi primeira-ministra do Paquistão. No Metroblogging Lahore [en], um blogueiro afirma que, apesar de não apoiar a política de Bhutto, a morte súbita da líder é um acontecimento trágico.

I personally have never supported Ms Benazir and her party (the PPP). But this, by all means, goes beyond the immediate politics of pretty much everything. It goes without saying that no one, and I mean no one — even for a moment — deserves to go this way, to die in such an unnatural manner and for such obnoxiously stupid reasons. Fate, as we already should know, is not without a sense of irony; Benazir has died (primarily) due to gunfire wounds while leaving a political gathering at Liaquat Gardens; Liaquat Gardens is not only named after, but is also the same place where the first Prime Minister of Pakistan, Khan Liaquat Ali Khan was murdered with a bullet.

Eu, pessoalmente, nunca apoiei a Sra Benazir e o seu partido (o PPP). Mas isso, sem dúvida, vai além da política imediata de praticamente tudo. É óbvio que ninguém, e eu quero dizer ninguém – sequer por um momento – merece passar por isso, de morrer de maneira tão anormal e por razões absolutamente estúpidas. Destino, como já deverímos saber, não passa sem um sentido de ironia; Benazir morreu (principalmente) devido a ferimentos a bala enquanto saía de uma reunião política no Jardim Liaquat; O Jardim Liaquat não só foi batizado em homenagem, mas foi também o mesmo local onde o primeiro-ministro do Paquistão, Khan Liaquat Ali Khan, foi assassinado a tiros.

(texto original de Kamla Bhatt)

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.