Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Estagiários do TBCS falam sobre o desenvolvimento de Serra Leoa

Originalmente postado no Rising Voices. Todos os links levam a sites em inglês.

A iniciativa Think Build Change Salone (TBCS) destina-se a ajudar a reconstruir a Serra Leoa da era pós guerra civil, treinando jovens em estágios remunerados em organizações sem fins lucrativos, a fim de que eles possam ganhar experiência profissional e contribuir em projetos de desenvolvimento.

A pessoa por trás do projeto, Vickie (conhecida como “Nasratha”) explica quais foram as dificuldades que ela enfrentou e como ela conseguiu superá-las:

“One of the biggest challenges I knew I would face with the internship program was the placement of interns with local organizations. Inexperienced students are primarily seen as a liability in any professional work environment but I also knew that offering to pay the student’s stipend would remove some of the anti-intern feeling.

…I never did get the list I wanted so I had to return to the internet in search of local NGOs. I made visits to several offices that had been closed for over two or three years and no one had bothered to put down the sign.”

“Um dos maiores desafios que eu sabia que enfrentaria com o programa de estágios foi o posicionamento de estagiários em organizações locais. Estudantes inexperientes são encarados a priori como uma obrigação em qualquer ambiente profissional, mas eu também sabia que oferecer pagamento ao bolsista eliminaria algumas das sensações anti-estagiários.

… Eu nunca consegui obter a lista que queria, por isso tive de voltar à internet em busca de ONGs locais. Fiz várias visitas a escritórios que estavam fechados há mais de dois ou três anos, sem que ninguém tivesse se importado de tirar as placas”.

Edward Komba Chaka (23) é um estudante no segundo ano do curso preparatório da Faculdade de Medicina e Ciências Associadas à Saúde. Ele foi recrutado no Programa Nacional de Controle de HIV/AIDS no Hospital Connaught, em Freetown. Ele explica o seu estágio no artigo “HIV é um Vírus, não um problema moral”. Ele compartilha slogans cativantes para prevenir a aids.

Noah Dauda (25) está no terceiro ano de Serviços Financeiros no Instituto de Administração e Gestão Pública (IPAM) e Alhassan Conteh (22), estudante do primeiro ano do DES Instituto de de Negócios e Gestão foram colocados em para investigar a implementação de micro-financiamento em Freetown. Noah nos conta como é a situação atual e o histórico de programas de micro-empréstimos em Serra Leoa:

“Sierra Leone has experienced a high rate of failure of developmental projects over years. These failures did not begin with the onset of civil war. It must be noted that, the near absence of development for many years, declining per capita incomes, increasing competition from a rising population for limited resources and poor governance have contributed greatly to the erosion of civil society and the emergence of conditions that facilitated open conflict. It is this reality that the past government has been trying to combat with its National Action Plan for Poverty Alleviation, its programme of macro-economic reform supported by international development agencies and its policies of support for the private sector.”

“Serra Leoa tem tido uma taxa elevada de fracasso em projetos de desenvolvimento ao longo dos anos. Esses fracassos não começam com o início da guerra civil. Deve-se observar que a quase ausência de desenvolvimento durante muitos anos, a diminuição da renda per capita, a concorrência cada vez maior por recursos limitados por parte de uma população em crescimento e a má administração têm contribuído fortemente para a erosão da sociedade civil e para o aparecimento de condições que facilitaram o conflito aberto. É esta realidade que o governo anterior tentou combater com seu Plano Nacional de Ação para o Alívio da Pobreza, com seu programa de reformas macro-econômicas apoiadas por agências de desenvolvimento internacionais e suas políticas de apoio ao setor privado”.

Ele descreve o tradicional sistema de crédito Osusu e posta imagens de alguns comerciantes que usam micro-financiamentos.

Noah Suluku (21) e Daniella Wilson (19), dois estudantes do ensino secundário, foram colocados em projetos independentes para realçar a vida das crianças da rua, em diferentes áreas da cidade. Noah escreve:

“There are two categories (of street children). The first category is defined as children who stay with their parents /guardians at home but who go on to the street each morning to socialize or to earn money for themselves and sometime they return home in the evening. The second category is children who have abandoned their home and are permanently on the street living and working on the street. They are not under any parental care. Both categories are vulnerable to child abuse and child right violation.”

“Existem duas categorias (de meninos de rua). A primeira categoria é definida como crianças que moram com seus pais/tutores em casa, mas que vão às ruas todas as manhãs para socializar ou para ganhar algum dinheiro, e que às vezes voltam para casa à noite. A segunda categoria é de crianças que abandonaram suas casas e estão permanentemente nas ruas, vivendo e trabalham nas ruas. Elas não estão sob qualquer cuidado parental. Ambas as categorias são vulneráveis ao abuso contra crianças e violação dos direitos das crianças”.

Ele observa algumas das misérias e experiências dessas crianças de rua. Ele também postou algumas fotos dessas crianças desfavorecidas.

Kadi Yata Kandeh (26) é uma estudante brilhante do terceiro ano de Nutrição e Dietética no Fourah Bay College. Ela escreve sobre sua experiência no congresso sobre o status da implementação das recomendações da CVR – Comissão Verdade e Reconciliação onde ela atuou como membro do Comitê Técnico de Planejamento:

“It was an educative program, it gave me the opportunity to know about various civil society organizations and interact with so many. What interested me were the discussions between the civil society groups on various topics.”

“Foi um programa educativo, que me deu a oportunidade de conhecer várias organizações da sociedade civil e de interagir com tanta gente. O que me interessou foram as discussões entre os grupos da sociedade civil, sobre vários temas”.

Por fim, ficamos com notícias de Emmanuel Joseph (24), estudante da Universidade de NJala, que trabalhou como estagiário no Programa para a Paz e o Desenvolvimento Corp, um projeto da comissão nacional de ação social (NaCSA). Ele enumera as experiências recolhidas durante suas viagens às províncias do leste, norte e sul da Serra Leoa e conclui que:

“My documentary visit to the provinces have actually increase my understand(ing) of the provinces and how decentralizing work is being complemented by council and how working condition is like and the challenges of the different kind of bosses that one may encounter during work. Amazing among my discovery of Sierra Leone is that my country is a beautiful country and such build my interest of working in Sierra Leone to aid in developing my country.”

“Minha visita documentária às províncias tem efetivamente aumentado o meu entendimento sobre as províncias e como o trabalho de descentralização está sendo complementado pelo município, assim como são as condições de trabalho e os desafios dos diferentes tipos de chefes que se pode encontrar durante o trabalho. Impressionante entre minhas descobertas na Serra Leoa é que o meu país é um país bonito e isso faz o meu interesse em trabalhar na Serra Leoa para ajudar no desenvolvimento do meu país.”

(Texto original de Rezwan)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.