Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Oscar Niemeyer: 100 anos de uma arquitetura ousada

O mais celebrado arquiteto brasileiro, Oscar Niemeyer, completa 100 anos hoje – vivo, lúcido, trabalhando e envolvido em muitos projetos. Trata-se do homem que planejou a capital do país, Brasilia, considerada sua obra prima. Ele também deu ao mundo jóias da arquitetura, como a sede na ONU [en] em Nova York, o Museu de Arte Moderna de Caracas e a sede do Partido Comunista Francês.

O último fundador do movimento modernista em arquitetura segue firme e forte, cheio de idéias para novos projetos que têm se tornado mais ousados a cada ano que passa. Entre os seus próximos projetos está um novo centro cultural para a cidade espanhola de Avilés, que segundo revelou em entrevistas, embora esse projeto só deva ser concluído em 2010, já é um de seus trabalhos favoritos.

Museu Oscar Niemeyer, Curitiba, Brasil. Foto de acewill, sob licença do Creative Commons

Blogueiros do Brasil e do mundo tiraram o dia para desejar feliz aniversário ao arquiteto, publicar fotos de seus trabalhos e comentar sobre sua força, idéias e projetos. Começando com Fernando Assad, que explica porque o brasileiro é um gênio:

As obras de Niemeyer são formadas por traços limpos e dinâmicos, e por isso evocam a modernidade. O dinamismo, a simplicidade e a clareza das obras valorizam o Ser Humano, pois são indicativos, porque o Humano só consegue o sucesso em seu labor quando se compromete com o dinamismo, a simplicidade para a otimização e a clareza de seus atos. Sem contar a beleza das obras, ricas em curvaturas insinuantes. (Que os engenheiros continuem quebrando suas cabeças para colocarem as obras de Niemeyer de pé).

Communist Party Headquarter, Paris, France. Photo by fromform, sob licença do Creative Commons

Valéria Borborema acrescenta que essa leveza que ele deu ao concreto através de suas curvas ousadas pode ser:

Uma tentativa de brincar com a sisudez tão presente na arquitetura, que passou a gozar de uma plasticidade impensável até Niemeyer.

Durante a ditadura militar, Niemeyer se exilou em Paris, depois de ter tido seu escritório e a redação de uma revista que ele coordenava destruídos. Quando o assunto é seu ponto de vista político, Pedro Nelito observa que o arquiteto não mudou muito do jovem que foi:

Oscar Niemeyer, foi amigo de Luiz Carlos Prestes(Cavaleiro da Esperança) político e militante do PCB, perseguido por todas as ditaduras que se estabeleceram em nosso país. Oscar é o que nós chamamos de “Velho Comunista”, mesmo sendo festejado pela Rede Globo, não abre mão de suas convicções políticas e é muito respeitado pela sua história de vida.

Museum de Arte Conteporânea, Niterói, Brazil. Foto de Hendo101, sob licença do Creative Commons

calamity jane cita idéias de Niemayer sobre o socialismo – ele faz 100 anos ainda acreditando na justiça social e na revolução – e fica inspirada com elas:

O mesmo senhor diz também que a vida é um sopro. E eu, que acredito que temos uma missão na vida, caso contrário não sei bem o que estaríamos aqui a fazer, digo-vos, inúmeros e incontáveis: se há quem chegue aos 100 anos a acreditar na revolução, no amor e na felicidade, então temos de acordar rapidamente para fazer a nossa parte. (…) É possível mudar o mundo porque eu quero.

Muitos outros publicaram o trailer do documentário de Fabiano Maciel citado acima, A vida é um sopro, no qual Eduardo Galeano, autor de As Veias Abertas da América Latina, diz:

“É sabido que Oscar Niemeyer odeia o capitalismo e odeia o ângulo reto. Contra o ângulo reto, que ofende o espaço, ele tem feito uma arquitetura leve como as nuvens, livre, sensual, que é muito parecida com a paisagem das montanhas do Rio de Janeiro. São montanhas que parecem corpos de mulheres deitadas, desenhadas por Deus no dia em que Deus achou que era Niemeyer”.

Edifício Copan, São Paulo, Brasil. Foto de ojjo, sob licença do Creative Commons

Mesmo aqueles que pessoalmente discordam das idéias radicais do arquiteto, hoje se curvam diante dessa lenda viva, como faz Vera Fróes:

Independente de concordar ou não com suas idéias, admiro a figura do arquiteto que sempre se mostrou firme em seus ideais sejam eles ideologicos(comunismo), religiosos(ateu) ou arquitetônicos(concreto armado). Além disso chegar nessa idade lúcido e desenvolvendo vários projetos, não é para qualquer um, tem que ser iluminado.

E as celebrações seguem mundo afora. Pelo Mar Aberto publica uma dúzia de imagens, Varal de Idéias traz um punhado de ilustrações e caricaturas e Esthefani Magalhães linca para vídeos-homenages do YouTube. Outros falam das muitas exposições que acontecem no Brasil, Portugal e outros países para marcar esse centenário. Tem galerias de fotos aqui e aqui. Uma busca na blogosfera traz muitas postagens e reportagens em vários outros idiomas. Entre elas, a gente finaliza com uma citação de uma entrevista recentemente dada por Niemeyer ao The Times [en] sobre o dia de hoje:

“The date is not important. The age is not important. Time is not important. Life is very fleeting. It’s important to be gentle and optimistic. We look behind and think what we’ve done in this life has been good. It was simple; it was modest. Everyone creates their own story and moves on. That’s it. I don’t feel particularly important. What we create is not important. We’re very insignificant.”

A data não é importante. A idade não é importante. O tempo não é importante. A vida é muito fugaz. É importante ser gentil e otimista. A gente olha para o que passou e pensa no que fizemos de bom em nossas vidas. Foi uma vida simples, foi modesta. Cada um cria a sua história e segue adiante. É isso. Eu não me sinto importante em especial. O que criamos não é importante. A gente é muito insignificante.

Catedral Nacional em Brasília, Brasil. Foto de guilhermekardel, sob licença do Creative Commons

(texto original de Paula Góes)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

14 comentários

  • Olá novamente, Licas. Sou a favor de olhar todos os erros, tanto à esquerda quanto à direita. Fechar os olhos é uma boa maneira de se chocar contra muros quando se tenta dirigir seu destino.

    Como disse no comentário anterior, não sou um grande conhecedor do tema. Prefiro deixar as análises para aqueles que são mais aprofundados no assunto. Tudo que posso dizer é que tenho maior simpatia pelas idéias marxistas do que pelas neoliberais, embora reconheça que há problemas e injustiças grandes ocorrendo na implementação de ambas em nosso mundo.

    Abraços do Verde.

  • michele

    eu assisti o filme do OSCAR na escola adorei,nós estamos estudando sobre a vida do nosso grande arquiteto brasileiro.Nós ficamos imprecionados como as pessoas falavam dele,etc;O Oscar com mais de 100 anos lucido,trabalhando,tendo uma vida normal.Dai você olha pra um jovem e pra Oscar, dai você diz que o Oscar Niemeyer que é o jovem pela força de vontade de trabalha.

  • FABIO SOUSA

    É IMPRESSIONANTE, A SUA VITALIDADE E HISTÓRIA DE VIDA .PARABÉNS PORQUE VC É UM GÊNIO NA ARTE DE VIVER…………………….

  • marina

    muito lidas as obras de oscar niemeyer

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.