Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Peru: Tudo sobre Alan García

Os tópicos discutidos na blogosfera peruana variam de um dia para o outro, mas temas recorrentes certamente têm algo a ver com o Presidente Alan García. Os trechos que vêm a seguir são alguns dos assuntos relacionados a Garcia que passaram recentemente pelas mentes dos blogueiros peruanos.

Silvio Rendón do Gran Combo Club discute alguns artigos recentemente publicados por García, onde ele escreve sobre Daniel Carbonetto [es], que foi um de seus principais assessores de economia durante o mandato presidencial:

La incursión de Alan García en la actividad periodística (artículo 1 y artículo 2) ha despertado una serie de reacciones … Lo que ha escrito García está en tono acusador, con lo cual lo que pueda haber allí de elaboración queda en segundo plano. García es un regañador nato. Cuando habla siempre parece que estuviera dándole una reprimenda a alguien. En mi opinión, es una indicación de que está en problemas. Quien va avanzando, así sea lentamente, no está para dedicarse a acusaciones subalternas. Sin embargo, hay otra forma de leer entre líneas, y esta es una total especulación. Y es que García no ha escrito el artículo o al menos no lo ha escrito solo. Tendría un “grupo de apoyo” que le haría el trabajo intelectual. Aparte de las reprimendas, García no es reconocible en el texto que lleva su firma, ni son temas de los cuales García haya venido hablando. …

A incursão de Alan Garcia na atividade jornalística (artigo 1, artigo 2) despertou uma série de reações… Garcia escreveu num tom acusatório, no qual o que poderia haver de elaboração ficou num segundo plano… Garcia é um bruto nato. Quando fala sempre parece que está repreendendo alguém. Na minha opinião, isso é um indicativo que ele está passando por problemas. Talvez ele esteja avançando vagarosamente, mas não está na posição de fazer acusações a subalternos. No entanto, há outra leitura feita entre as linhas, e essa é uma especulação total: talvez García não tenha escrito o artigo, ou pelo menos não tenha o escrito sozinho. Ele deve ter um ‘grupo de apoio’ que faça o trabalho intelectual. Além das reprimendas, García não é reconhecível no texto que leva a sua assinatura, nem são os temas dos quais García tem falado…

José Talavera do Blogiarquia também escreve sobre o presidente e suas declarações desconcertantes. Ela cita um trecho de um dos artigos de García [es]:

Cada uno de nosotros sufre algo de lo que he llamado “síndrome del perro del hortelano”. Muchas veces el Estado, las instituciones y las personas padecen de “patrimonialismo”. Es decir, de la voluntad de no ceder ningún espacio y reservar para sí, para el ministerio o para la empresa, todas las funciones, los trámites y las decisiones. Ocurre también cuando un grupo que captura el poder, una región o un municipio, decide gobernar solo y bloquea el aporte técnico y profesional de muchos otros ciudadanos. En este caso, el perro del hortelano dice: “Si no lo hago yo, nadie debe hacerlo”, y concluye: “Solo puede hacerlo la gente de mi propio equipo”.

Cada um de nós sofre de algo que se chama ‘síndrome do cachorro do fazendeiro’. Muitas vezes o Estado, as instituições, as pessoas caem no ‘patrimonialismo’. Quer dizer, da vontade de não ceder espaço a ninguém e reservar para si, para o ministério ou para a empresa todas as funções, todos os trâmites e todas as decisões. Ocorre também quando um grupo que captura o poder, uma região ou um município decide governar de maneira solo e bloqueia o suporte técnico e profissional de muitos outros cidadãos. Nesse caso, o cachorro do fazendeiro diz: “se eu não faço, ninguém deve fazer”, e conclui “só quem pode fazer são os da minha equipe”.

Talavera responde [es]:

Mi primera pregunta es, ¿en ese todos se incluirá el mismo presidente?… Y creo que la pregunta es además necesaria por la actitud que viene tomando García en el manejo del poder de su actual gestión. No seamos mezquinos y reconozcamos que no lo está haciendo mal, o tan mal en comparación con su gobierno anterior, pero hay cosas (en él mismo) que denotan esa actitud patrimonial que él critica…… pero nuevamente García no toca el tema educación, desarrollo, innovación, conocimiento, que toqué la semana pasada.

Minha primeira pergunta é, nesse grupo todos se incluem, até mesmo o presidente? E creio que a pergunta é mais que necessária por causa da atitude que ele vem tomando. Garcia, no manejo do poder de sua atual gestão. Não sejamos mesquinhos e reconheçamos que ele não está indo mal, ou tão mal em comparação com o governo anterior, mas há coisas (com ele mesmo) que denotam essa atitude patrimonial que ele mesmo crítica… mas novamente, Garcia toca no tema da educação, desenvolvimento, inovação ou conhecimento, que ele tocou na semana passada.

Juan Sheput do Mate Pastor escreve sobre a última pesquisa do CPI de novembro de 2007 [es], que perguntava sobre a taxa de aprovação do presidente:

Según la última encuesta nacional de CPI difundida por el diario Correo y RPP el señor Alan García tendría sólo un 28,8% de popularidad. En el oriente la popularidad ya es de un dígito: 8,3% con tendencia aún a la baja y en la costa sur el índice es de 16% a pesar de los disfuerzos del amigo presidencial el señor Hernán Garrido Lecca. La popularidad de Alan García es la más baja del continente. Sin oposición, con mucho dinero, con medios de comunicación mayoritariamente “comprensivos”, es decir teniendo todo a su favor, el gobierno de García brilla por su incompetencia.

Segundo a última pesquisa nacional do CPI publicada pelo jornal Correo e RPP, o senhor Alan García teria apenas 28.8% de popularidade. No leste, a população lhe dá apenas um dígito 8.3% com tendência a baixar, e na costa sul o índice de 16% apesar dos esforços do amigo presidencial, senhor Hernán Garrido Lecca. A popularidade de Alan García é a mais baixa de todo o continente. Sem oposição com muito dinheiro, com meios de comunicação em sua maioria ‘compreensivos’, parece que tem tudo a seu favor, o governo de Garcia brilha por sua incompetência.

Por fim, do blogue Menoscanas, Laura Arroyo escreve sobre possíveis mudanças na lei que podem beneficiar Alberto Fujimori [es]:

Puede ser por conveniencia, complicidad o sincera cercanía; el punto es que el mandatario parece haber optado por obedecer a los intereses del grupo fujimorista que, desde hace buen tiempo, ha evidenciado tener un único interés: salvar el cuello de su líder. Ahora bien, me queda claro que esta cercanía no es nueva, ni se inicia con la llegada de Alberto Fujimori, sino mucho antes, desde que en la campaña electoral Alan García presentó una plancha presidencial que incluyera como primer vicepresidente a Luis Giampietri. Sin embargo, lo vergonzoso es la explicitación que, de pronto, ya no le preocupa al mismísimo Presidente García quien, sin asco, ha decidido impulsar una ley que “acelere los procesos judiciales orales” justo ahora que estamos ad portas del juicio de Alberto Fujimori. Con dicha ley, el ex mandatario podría optar por no enfrentar personalmente a quien fuera su asesor Vladimiro Montesinos.

Pode ser por conveniência, cumplicidade ou sincera proximidade; o ponto é que o presidente parece ter optado por obedecer aos interesses do grupo fujimorista que, há algum tempo, evidencia ter um único interesse: salvar o pescoço de seu líder. Agora bem, me parece claro que essa proximidade não é nova, não se inicia com a chegada de Alberto Fujimori, mas muito antes, desde a campanha eleitoral quando Alan García apresentou uma plataforma presidencial que incluía como vice-presidente principal Luis Giampietri. Ainda assim, o vergonhoso é o fato explícito que, de pronto, o mesmíssimo Presidente García não se preocupa que, sem asco, decidiu aprovar uma lei que ‘acelera os processos orais judiciais’ bem agora que estamos nas portas do julgamento de Alberto Fujimori. Com essa lei, o ex-presidente poderá optar por não enfrentar pessoalmente aquele que foi seu assessor, Vladimiro Montesinos.

(Artigo original de Juan Arellano)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.