Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Egito: Sete anos por assassinato

Os blogueiros no Egito comemoraram nessa semana a prisão de policiais corruptos, que torturam um carpinteiro até a morte.

A celebração é ainda mais especial depois da sentença dos uniformizados que torturaram Emad Al Kabir. Eles usaram um telefone celular para filmar os atos de sadismo cometidos contra o motorista de ônibus e fizeram o vídeo circular entre os colegas da vítima para humilhá-lo. Eles não contavam com o fato de que os blogueiros rapidamente seguiriam a mesma trilha e que a mesma ferramenta que serviu para causar humilhação à vítima seria usada contra eles no julgamento.

Elijah Zarwan [en] explica:

Close on the heels of the conviction of the men who tortured `Imad al-Kabir, a court in Mansoura has sentenced four police officers to prison for slamming Nasr Abdallah’s head into the wall until he died. Abdallah was a carpenter. The police were trying to get him to tell them where his brother, a suspect in a drug case, was hiding.
The sentence was the most severe imposed on a policeman for torture in 10 years. Three cops will serve seven years. Another will serve four. For torturing a man to death.

Seguindo o modelo da condenação dos homens que torturaram Imad al-Kabir, um tribunal em Mansoura sentenciou quatro oficiais da polícia a prisão por baterem a cabeça de Nasr Abdallah contra uma parede até que ele morreu. Abdallah era carpinteiro. A polícia estava tentando forçar que ele contasse onde o irmão dele, suspeito em um caso de drogas, estava escondido.
A sentença foi a mais severa já imposta a um policial por tortura em dez anos. Três policiais pagarão por sete anos. Outro cumprirá quatro. Por torturarem um homem até a morte.

Ibn Al Dunya aprofunda-se [en] em mais detalhes:

On Tuesday evening the Mansoura Criminal Court convicted three policemen, a captain and two informers of torturing a man to death, a fourth man received a lighter sentence of three years.
The incident occured on July 31st , when Nasr Ahmed Abdullah, a carpenter was taken into custody and held without charges when police was searching for his brother in the village of Telbana, 110 Km north of Cairo. He was later taken to hospital where he died. The cause of death was determined as internal bleeding close to the brain.
This is the harshest sentence in a similar case for the last ten years according to Gasser Abd al Razeq from the Human Rights watch.

Na noite de terça-feira, o Tribunal Criminal de Mansoura condenou três policiais, um capitão e dois agentes, pela tortura de um homem até a morte, um quarto homem recebeu uma sentença mais leve de três anos.
O incidente aconteceu em 31 de julho, quando Nasr Ahmed Abdullah, um carpinteiro foi preso e mantido sem acusação enquanto a polícia procurava pelo seu irmão na vila de Telbana, 110 km ao norte do Cairo. Mais tarde ele foi levado ao hospital, onde morreu. Foi determinada como causa da morte hemorragia interna próxima ao cérebro.
Essa foi a sentença mais pesada em casos similares dos últimos dez anos, de acordo com Gasser Abd al Razeq do Human Rights Watch.

Ibn Al Dunya, no entanto, continua pessimista que casos tão conhecidos pelo público arrancariam o mal da corrupção e abuso dos direitos humanos pela raiz no país. Ele observa:

Human Rights Organizations claims that torture is widespread and systematic, something that the state refutes, allthough it admitts to occasional cases were individuals make mistakes. These two sentences is hopefully the beginning of a new page in terms of taking torture cases involving police and innocent caitizens seriously. I am very pessimistic though. There are ample cases to suggest that the opposite is still the norm. Just to days after the sentences in the Imad al Kabir case, came the next dead victim in the Omraniyya police station case. If the government wants to adress the issue in a positive way, they could start by expanding the definition of torture in Egyptian law according to their international obligations. This would be a good sign of The Egyptian state taking their role role as a current member on the UN Human Rights Council seriously. A positive step has recently been taken by the state affiliated National Council for Human Rights, something that i salute. It would be nice if their friends in the same building could take notice of theiir work.

Organizações de Direitos Humanos dizem que tortura é prática difundida e sistemática, algo que o estado nega, embora admita casos ocasionais onde indivíduos cometem erros. Espera-se que essas duas sentenças sejam o início de uma nova página em termos de casos de tortura envolvendo polícia e cidadãos inocentes. Embora eu seja muito pessimista. Existem casos demais para sugerir que o oposto ainda é norma, apenas dias antes da sentença no caso Imad al Kabir, apareceu morta a próxima vítima na delegacia de polícia de Omraniyya. Se o governo quiser tratar desse problema de uma forma positiva, poderia começar expandindo a definição de tortura na lei egípcia, de acordo com suas obrigações internacionais. Esse seria um bom sinal por parte do Governo Egípcio assumindo seriamente sua atual posição de membro do Conselho de Direitos Humanos da ONU. Um passo positivo foi dado recentemente pelo Conselho Nacional de Direitos Humanos, parceiro do governo, algo que eu aplaudo. Seria bom se os amigos deles no mesmo prédio observassem o trabalho dele.

Em um tópico relacionado [en], Ibn Al Dunya está alarmado porque o site de hospedagem de vídeos YouTube desabilitou a conta de Wael Abbas, que trouxe a tortura policial à linha de fogo. Ele diz:

It´s such a shame that You Tube does not take the opportunity to stand up for such a basic issue as torture. The BBC has a You Tube ¨channel¨, would anyone ever fathom the idea of you tube suspending the BBC, because of them showing graphic images from Abu Ghu´raib for instance?

É uma grande vergonha que o You Tube não aproveita a oportunidade de lutar por uma causa tão básica como a questão da tortura. A BBC tem um “canal” no You Tube, será que alguém imaginaria a idéia do you tube suspendendo a BBC, por causa deles mostrando imagens de Abu Ghu por exemplo?

Em uma atualização do caso, Wael agora diz [ar] que sua conta de e-mail no Yahoo foi também desabilitada.

(texto original de Amira Al Hussaini)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.