Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Trinidad e Tobago: Resultado das eleições

Depois de uma campanha durante um período de cinco semanas – o que deixou alguns blogueiros frustrados e furiosos, e provocou a paródia e a sátira de outros – os votantes Trinidad e Tobago foram às urnas ontem para eleger os 41 membros do parlamento (o partido que forma a maioria parlamentar apóia o governo). Nas semanas que precederam o dia das eleições, a maioria das pesquisas não conseguia chegar a um acordo sobre qual seria o resultado mais provável, com alguns sugerindo uma pequena vantagem para o atual líder People's National Movement (PNM), e outros que mostravam o PNM disputando emparelhado com o partido da oposição United National Congress (UNC) e um terceiro partido, o Congress of the People (COP). O tempo e dinheiro gastos com a campanha atingiram ao que o blogueiro André Bagoo descreveu como “uma completa saturação do mercado”:

And come Monday, after the millions are spent, millions which could have gone toward a day-care programme to help children with special needs, like my nephew, we will have another politician in office, with another song to sing.

E chega a segunda-feira, depois de milhões serem gastos, milhões que poderiam ir para creches para ajudar às crianças com necessidades especiais, como meu sobrinho, nós teremos um outro político na função, com uma outra música para cantar.

Os resultados da eleição em Trinidad e Tobago geralmente caem para um pequeno número de cadeiras onde nem o PMN, nem o UNC possui uma maioria clara, e no sistema eleitoral de voto partidário, partidos terceiros geralmente tentam ganhar um número significante de votos sem conseguir efetivamente uma vaga no parlamento. Passado o dia da eleição, analistas políticos e cidadãos comuns esperaram ansiosamente para ver se o COP quebraria essa tendência, e se o partido “quebraria a votação” para a margem. “Lembre-se, você tem o governo que merece,”, advertiu Club Soda and Salt, um tobaguiano que vive fora do país.

Muitos blogueiros publicaram fotos do seu dedo indicador manchado com tinta vermelha, uma prova de que votaram (e uma prova contra o voto múltiplo). “O dia em que eu votei pela primeira vez“, Haveworld pôs um titulo em a sua foto. “Eu votei. E você?”, perguntou The Manicou Report. “Eu fiz a minha parte,” disse Lifespan of a Chennette. “Minha parte nesse primeiro estágio, de qualquer forma”. Georgia Popplewell, do Caribbean Free Radio, relatou sobre sua viagem ao local de votação, e compartilhou suas lembranças da eleição histórica de 1986: “a primeira e única vez que eu me senti profundamente envolvida em uma campanha eleitoral, para não dizer esperançosa com o resultado.”

Enquanto isso, IZATRINI.com publicou os resultados de uma pesquisa eleitoral (nada científica) realizada no Facebook. 1,884 membros do votaram, com a maioria claramente optando pelo COP. “Isso certamente diz algo sobre a juventude de Trinidad e Tobago,” IZATRINI observou.
Mas, uma vez que a votação foi encerrada, às 18 horas, e os primeiros resultados começaram a serem divulgados pelos colégios eleitorais, um cenário bem diferente apareceu. “Parece ruim”, escreveu Further Thoughts, um bogueiro tobaguiano que vive nos EUA e que acompanhou a cobertura noturna das eleições em seu blog através da Internet via rádio. “Parece que o PNM ou o UNC está em primeiro, e o COP em segundo. Mas consistentemente atrás e bem atrás.” Mais tarde, Further Thoughts reportou o resultado: uma vitória do PNM. “Eleições com três partidos não funciona em um sistema bipartidário.”

A contagem final: 26 cadeiras para o PNM, 15 para o UNC, e nenhuma para o COP, apesar de este último ganhar cerca de 25% do voto popular, um bloco maior do que o UNC, de acordo com números anteriores. “A inadequação do sistema de voto partidário é gritante”, comentou Further Thoughts.

The second largest group of voters have no representation. Yes, we get to cast our votes. Yes, elections are mostly free and fair. No, this isn’t democracy.

O segundo maior grupo de votantes não teve nenhuma representação. Sim, nós conseguimos jogar fora nossos votos. Sim, eleições são na maioria das vezes livres e justas. Não, isso não é democracia.

Ele tentou racionalizar sobre a situação do COP:

There’s a real constituency of people who want something different. They are a third party, waiting in the wings, waiting to happen. A third force in a two-party state, coming together once every few decades, then fading back, sitting uncomfortably in one party or the other.

Há um real eleitorado formado por pessoas que querem algo diferente. Eles são um terceiro partido, esperando nos bastidores, esperando acontecer. Uma terceira força em um estado bipartidário, se unindo uma vez a cada poucas décadas, e então desaparecendo, sentado desconfortavelmente em um partido ou em outro.

KnowProSE.com, que vive na seção eleitoral do Primeiro Ministro Patrick Manning, foi bruscamente acordado às 3 da madrugada pelas comemorações barulhentas:

This level of noise at this hour — which is actually against the Law unless there is a variance — certainly does not make me feel happy that the PNM won…. The grasshoppers are dancing outside. I wonder how the ants who have to go to work in a few hours feel?

O nível de barulho a essa hora – o que na verdade é contra a lei, a não ser que haja uma variação – certamente não me faz feliz com a vitória do PNM…os gafanhotos estão dançando lá fora. Fico imaginando: como as formigas, que têm que trabalhar em algumas horas, se sentem?

Na manha após as eleições, alguns blogueiros tentaram avaliar o que a vitória do PNM significaria para a nação. Jumbie's Watch foi pessimista:

The “creeping dicatorship” will now become a galloping executive presidency…. I foresee a situation somewhat like Pakistan.

A “ditadura horripilante” agora se tornará uma presidência executiva galopada…Eu prevejo uma situação parecida com a do Paquistão.

“Tenho muito a dizer sobre isso”, fumegou Mindsight (atenção: ele usa uma linguagem forte):

We've got 5 more years of the PNM, and for better or worse they are my government. They are going to be the key to true change over this period, and it's up to the voters (as they're the only ones who in my opinion care) to hold them to the promise of change.

Temos mais 5 anos de PNM, e, para melhor ou pior eles são o governo. Eles serão a chave para uma mudança real durante esse período, e cabe aos votantes (já que eles são os únicos a se importarem, na minha opinião) a cobrarem deles as promessas de mudanças.

Further Thoughts tentou entender a estratégia de campanha da UNC — o partido concorreu às eleições com dois co-líderes e nenhuma indicação clara sobre quem seria o primeiro ministro, caso ganhassem a maioria das cadeiras. Isso foi parte de um plano do ex-primeiro ministro Basdeo Panday para eleger sua filha (parlamentar recém-eleita) como líder do partido?

Enquanto isso, Georgia Popplewell foi surpreendida pela decisão de Patrick Manning — anunciada em seu discurso da vitória – de fazer o juramento do cerimonial de posse em um lugar não convencional. KnowProSE.com se perguntou por que mais blogueiros tobaguianos não comentaram os resultados. E The Secret Blog of Patrick Manning, um blog de paródia lançado poucas semanas antes do início oficial da campanha para as eleições, anunciou que tinha chegado ao fim:

Seems I’ve achieved what I set out to do here. Or perhaps I’ve failed miserably. It was fun while it lasted.

Parece que consegui alcançar o que pretendia aqui. Ou talvez eu falhei miseravelmente. Foi divertido enquanto durou.

Matéria de Nicholas Laughlin.

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.