Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Paquistão: Uma perspectiva do Oriente Médio

O que os blogueiros no Oriente Médio estão dizendo sobre os últimos acontecimentos no Paquistão? As reações vão do lançamento de petições parar a lei marcial a conselhos, passando por lamentos sobre oportunidades na hora errada.

Mideast Youth:
Escrevendo no Mideast Youth, Umar Farooq discuste [en] a lei marcial no Paquistão.

“Emergency as proclaimed by Musharraf’s regime is just a pretty word to replace a visibly harmful noun ‘Martial Law’. Without being partial, it can be easily said that the current step by General Musharraf’s government is in fact an imposition of Martial Law and not that of an emergency,” he explains.

“A emergência como decretada pelo regime de Musharraf é só uma palavra bonita para substituir o substantivo visivelmente prejudicial ‘Lei Marcial’. Sem ser parcial, pode ser facilmente dito que a etapa corrente do governo do General Musharraf é de fato uma imposição de Lei Marcial e não emergência,” ele explica.


Farooq
segue acrescentando:

(The) larger population of Pakistan is peaceful. However, due to certain harsh and unjust policies of Musharraf’s regime has made certain areas of Pakistan vulnerable to extremist mindset. Such policies and its effects could only come to end with an end of Musharraf’s regime. However, to attain this goal, the world must help the people of Pakistan by giving a strong message to Musharraf’s regime.
This message should first incorporate an unconditional with drawl of the proclamation of emergency (Martial Law) and then should invoke Musharraf’s regime to ensure free and fair elections in Pakistan, according to schedule.

A maioria da população do Paquistão é de paz. No entanto, devido a certas políticas cruéis e injustas do regime de Musharraf, certas áreas do Paquistão ficaram vulneráveis à mentalidade extremista. Essas políticas e seus efeitos poderão apenas chegar a um fim com o fim do regime de Musharraf. No entanto, para alcançar esse objetivo, o mundo deve ajudar ao povo do Paquistão enviando uma mensagem de peso ao regime de Musharraf.
Esse recado deve primeiro abranger uma retirada incondicional da proclamação do estado de emergência (Lei Marcial) e em seguida deve exigir que o regime de Musharraf garanta eleições livres e justas no Paquistão, de acordo com o planejado.

Mideast Youth também está promovendo uma petição para parar o apoio à lei marcial no Paquistão aqui.

Palestina:
Kabobfest‘s Will lida [en] com esse assunto usando sátira. Ele escreve:

“On behalf of several Arab states, the Palestinian Authority and Israel, KABOBfest welcomes Pakistan to the exclusive club of states under emergency law. Though these are long-time members of this esteemed, exceptional group, a Musharraf-led Pakistan should fit right in…
In solidarity, and to deal with the greatest threat to KABOBfest security, I declare a state of emergency for this blog. I am suspending open commenting access, will rigorously edit and screen posts, and am cutting down on flirtatious dalliance on the KABOBfest e-mail listserv until the “anonymous” terrorists attacking us in the comments section halt their assaults,” he writes.

“Em nome de vários estados árabes, a Autoridade Palestina e Israel, KABOBfest dá as boas-vindas ao Paquistão ao exclusivo clube de estados sob o estado de emergência. Embora aqueles sejam membros de longa data desse grupo honrado e excepcional, um Paquistão conduzido por Musharraf deve se encaixar perfeitamente…
Em solidariedade, e para tratar dentro da maior segurança do KABOBfest, eu declaro um estado de emergência nesse blogue. Eu estou suspendendo o acesso aberto a todos os comentários, vou rigorosamente editar e filtrar postagens, e estou cortando galanteios paqueradores no e-mail KABOBfest do listserv até que terroristas “anônimos” nos atacando na seção de comentários parem com suas investidas”.

Egito:
No Egito, a blogueira Zenobia comenta [en] sobre os eventos no Paquistão em uma postagem chamada A Última Dança de Musharaff's no Paquistão:

“What you are seeing in Pakistan is Pervez Musharaff's last dance , this is how dictators act when they feel that their thrones and rule are in danger.
What Prevez is doing is not an attack on democracy , what he is doing is just like suicidal attack in order to preserve his existence it is very simple , the man feels that he is unwanted especially after the huge receptions Bhutto had received despite that huge terrible terrorist act,” she notes.

“O que vocês estão vendo no Paquistão é a última dança de Pervez Musharaff, é assim que ditadores agem quando eles acham que os seus tronos e governos estão em jogo.
O que Prevez está fazendo não é um ataque à democracia, o que ele está fazendo é bem como um ataque suicida para preservar a sua existência, é muito simples, o cara sente que ele é desprezado especialmente depois das grandes recepções que Bhutto teve apesar daquele imenso ato terrorista”, ela observa.

Zeinobia acrescenta ainda:

“It is very sad to see what is happening in Pakistan , the real Islamic country with a real nuclear power , forget about Iran , Pakistan has a Nuclear weapon already first
Pervez is a real classical example of a dictatorship that depends on both the army and the west , now the west is leaving him behind because depending dictators like Musharaff proved it brought nothing to the west except destruction , the only power the general is depending on is the army and that's why I predict that he will be removed insh Allah soon enough either by an army coup just like the one he led from a couple of years and brought him to the rule
By the way that rush of arrests in Pakistan reminds me so much with the infamous September arrests that proceeded directly the assassination of President Sadat , Fool Musharaff should learn for the other's mistakes.”

“É muito triste ver o que está acontecendo no Paquistão, o verdadeiro país islâmico com energia nuclear de verdade, esqueça o Irã, o Paquistão já tem uma arma nuclear pronta.
Pervez é o genuíno exemplo clássico de ditador que depende tanto do exército quanto do ocidente, agora que o ocidente o está deixando para trás porque a dependência de ditadores como Musharaff demonstrou não trazer nada de bom ao ocidente, a não ser destruição, o único poder do qual o general depende é o exército e é por isso que eu prevejo que ele será removido Inshallah em breve, seja por um golpe militar igual ao que ele comandou há alguns anos e que o levou ao poder.
Por falar nisso, a rapidez das prisões no Paquistão me lembra muito das infames prisões de setembro que prosseguiram diretamente com o assassinato do presidente Sadat, Musharaff o Tolo deveria aprender com os erros do outro”.

[Nota da tradução: insh Allah, do árabe, se deus (ou Alá) quiser]

Turquia:
Da Turquia, Metin acha [en] que os acontecimentos no Paquistão ofuscaram a visita do Primeiro Ministro Turco, Recep Tayyip Erdogan, aos EUA.

“Of course, the situation in Pakistan with Musharraf, the former poster child of the U.S. until Benazir Bhutto came back on the scene, overshadowed the Erdogan visit . . . once again, poor timing by the Turks,” he writes.

“Claro que a situação no Paquistão com Musharraf, o ex-garoto propaganda dos EUA até que Benazir Bhutto voltou ao cenário, ofuscou a visita de Erdogan . . . mais uma vez, ocasião inoportuna para os turcos”, ele escreve.

(texto original de Amira Al Hussaini)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.