Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Paquistão: Estabilidade, ativismo e emergência

À medida que a realidade da situação de emergência vai se assentando, as reações dos blogueiros exploram a idéia da democracia e estabilidade no país, olhando para as conseqüências da situação política atual. Metroblogging Lahore [en] destaca os altos e baixos na Bolsa de Valores de Karachi, e uma tendência similar pode ser vista na Bolsa de Valores de Lahore Stock.

Karachi Stock Exchange (KSE 100) nose-dived on the first trading day under Emergency rule this Monday while registering a record fall of 635 points. However, the market regained some ground on Tuesday by jumping up 146.87 points to close at 13,426.1

A Bolsa de Valores de Karachi (KSE 100) mergulhou de ponta no primeiro dia de transações sobre o estado de emergência nessa segunda feira, enquanto registrava uma queda recorde de 635 pontos. No entanto, o mercado reconquistou algum terreno na terça, pulando de 146.87 pontos e fechando de 13.426,1

O blogue também traz atualizações constantes de um protesto estudantil [en] em Lahore.

iFaqeer [en] tem uma opinião diferente da situação, uma perspectiva que sublinha que as pessoas provavelmente não serão participantes passivos nessa situação política.

As Adil says, people see a picture and all they feel is shame for the 5 policemen beating up a lawyer; I feel nothing but pride, for I see one Pakistani putting his self on the line for his principle. People see a media blackout; I see journalists that a dictator has no choice but to ban.

Como Adil diz, as pessoas vêem uma imagem e tudo o que elas sentem é vergonha de cinco policiais batendo em um advogado; eu só sinto orgulho, porque vejo um paquistanês se arriscando por seus princípios. O povo vê uma supressão da imprensa, eu vejo jornalistas a quem um ditador não tem outra escolha, a não ser bani-los.

Uma idéia e um comentário provocaram uma discussão no Sepia Mutiny como Abhi [en] escreve:

To be clear, I do not condone the jailing of lawyers and judges but Pakistan is not ready for the type of democracy they currently protest in favor of. There is not one shred of proof pointing to a better outcome if elections were to take place, nor a single candidate that one could point to as a competent successor to Musharraf, one likely to provide stability in Pakistan and by extension in Afghanistan and Iraq.

Para esclarecer, eu não condeno a prisão de advogados e juízes, mas o Paquistão não está pronto para o tipo de democracia que eles pelo qual eles protestam no momento. Não tem nem uma nesga ou a mínima prova de que uma solução melhor viria se eleições tivessem que acontecer, nem um único candidato que poderia se apontar como um sucessor competente a Musharraf, um que provavelmente venha a alcançar a estabilidade no Paquistão, e por conseqüência, no Afeganistão e Iraque.

Amardeep, outro blogueiro do Sepia Mutiny argumenta contra o seu ponto de vista.

My point is this: elections are necessary for democracy to occur, but they aren’t sufficient for democracy to sustain itself. What Musharraf should have done, if he really cared about transitioning to democracy, was, first of all, let the Supreme Court rule on whether the recent Presidential election was valid. Secondly, he needed to give up his uniform (though admittedly, that should probably have happened first). Thirdly, Parliamentary elections.

Meu ponto de vista é: eleições são necessárias para que ocorra democracia, mas elas não são suficientes para que a democracia se sustente. O que Musharraf deveria ter feito, se ele se preocupasse de verdade com a transição à democracia, era, primeiro de tudo, deixar que a Suprema Corte decidisse se as recentes eleições presidenciais foram ou não válidas. Em segundo lugar, ele deveria abrir mão de seu uniforme (embora reconhecidamente isso deveria ter acontecido antes). Em terceiro, eleições parlamentares.

Law and Other Things [en], um blogue indiano, refletiu sobre o ativismo judicial sobre a mudança de rumos no Paquistão. Indian Muslims [en] comenta sobre o Paquistão voltando ao passado, e como Musharraf parece ter quem o apóie dos dois lados.

Gradually Musharraf has found himself losing his grip. Tribesmen accuse him of killing his own people and have adapted suicide bombings, a deadly new import to Pakistan. The secular Pakistanis chafing under dictatorship accuse him of failing to protect Pakistan from the growing reactionary extremism within Pakistan.

Gradualmente, Musharraf se encontrou perdendo terreno. Gente das tribos o acusam de matar o seu próprio povo e adaptaram os homens-bombas, um novo e mortal artigo de importação no Paquistão. Os paquistaneses seculares magoados durante a ditadura o acusam de falhar em proteger o Paquistão do crescimento do extremismo reacionário no Paquistão.

Ativismo parece estar no ar. Chapati Mystery [en] linca a um documento:

From students and activists in Pakistan comes The Emergency Telegraph [pdf link] – the first issue of a comprehensive booklet that hopes to fill in the vacuum created by the media blackout in Pakistan”. It includes a short note from Asma Jahangir as well other links, eye-witness reports etc.

Dos estudantes e ativistas do Paquistão, vem o The Emergency Telegraph [pdf link] – o primeiro número de um folheto abrangente que espera encher o vácuo criado pela supressão da imprensa no Paquistão”. Ele inclui uma nota rápida de Asma Jahangir assim como outros links, relatos de testemunhas, etc.

(texto original de Neha Viswanathan)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.