Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Américas: A saída de bola das eliminatórias da copa

 

Nota do editor: Juan Arellano fez uma parceria com autores e editores do Global Voices da América do Sul para escrever esse artigo sobre os caminhos que levam à Copa do Mundo de 2010.

As eliminatórias para a Copa do Mundo da África do Sul na América do Sul  em 2010 começaram na semana passada com partidas que acontecem a cada quatro anos e que atraem uma multidão de fãs apaixonados por futebol. Veja a seguir opiniões e reações de todo o continente, coletadas por autores do Global Voices.

No sábado, dia 13, a primeira rodada de partidas foram disputadas. Uruguai e Bolívia deram a largada com um resultado que favoreceu o time da casa, Uruguai. Os blogueiros bolivianos escreveram antes e depois do jogo. Rolando Lopez do Rocko Weblog escreveu [es]:

empezar una eliminatoria siempre es renovarse de esperanza y como tal, la confianza de buen fútbol, resultados y clasificación –como en el 94- están puestas en la joven selección Boliviana en estas tierras. Y como en Bolivia, en el resto de países de Sur América vivirán durante 2 años las mas grandes alegrías y las mas horribles tristezas que puede regalar el fútbol, al ver a su selección y su bandera en una metáfora de guerra danzada en el rectángulo verde que hará las veces de campo de batalla donde nacerán ídolos y caerán héroes.

Começar uma eliminatória sempre é renovar a esperança, e, dessa forma, a confiança no bom futebol, nos resultados e na classificação – como em 94 – está colocada na jovem seleção boliviana. E como a Bolívia, os outros países sul-americanos passarão durante dois anos pelas maiores alegrias e as piores tristezas que o futebol pode trazer, ao ver a suas seleções e suas bandeiras em uma metáfora da guerra disputada no retângulo verde, que faz as vezes do campo de batalha onde nascem ídolos e caem heróis.

Depois do jogo, que acabou de um jeito bem diferente, Hugo Miranda do Angel Caido disse o que pensa [es]:

Como lo dije luego de la Copa America en un Podcast, esto no pintaba bien, pero igual la ILUSION ESTA y CONTINUA POR SI ACASO. Pero luego de lo sucedido estos dias Jueves y Viernes, en los que los Jugadores se PUSIERON A EXIGIR PLATA, por presentacion, por victoria de local (IMAGINANSE SEMEJANTE TONTERIA, PREMIO POR GANAR EN LA PAZ), por empate de visitante (seria milagro), por victoria de visitante (esto seria como ganar la LOTERIA), bueno cuando primero te ocupas de LA PLATA Y TE VALE LA PLANIFICACION (la poca que habia), cosas como estas suceden. Y asi nos fue, acaba de terminar el partido y Uruguay repitio la dosis de la anterior Eliminatoria nos clavo 5.

Como eu disse num podcast sobre a Copa América [es], não é um bom presságio, no entanto a ESPERANÇA CONTINUA E PERMANECE. Depois do que aconteceu na quinta e na sexta, quando os jogadores se PUSERAM A EXIGIR GRANA [es], para cada apresentação, pela vitória em casa (IMAGINE QUE ABSURDO, PRÊMIO PARA GANHAR EM LA PAZ), por um empate no campo do oponente (o que seria milagre), por uma vitória fora de casa (o que seria como ganhar a LOTERIA), quando primeiro você se preocupa mais com a GRANA DO QUE COM A PREPARAÇÃO (a pouca que havia), esse tipo de coisa acontece. A assim foi, acaba de terminar a partida e o Uruguai repetiu a dose das eliminatórias anterior, nos metendo 5.

Do lado uruguaio, como eles não tinham esperanças nenhuma, Juan 1989 do Charruaha Hasta Los Huevos calmamente comenta, enquanto espera o próximo jogo [es]:

La celeste “aplastó” al seleccionado de Bolivia por 5-0, con goles de todos los delanteros que jugaro; Forlán, Abreu, Suárez, V. Sánchez y Bueno. Uruguay jugó muy bien contra un seleccionado que no mostró mucho, y jugó mas de medio tiempo con un jugador menos por la expulsión de Ronald García. Dominamos el juego de inicio a fín, y podrían haber llegado más goles.

O celeste “destruiu” a seleção da Bolívia por 5 a 0, com gols de todos os atacantes: Forlan, Abreu, Suarez, V. Sanchez e Bueno. O Uruguai jogou muito bem contra um time que não mostrou muito, e jogou boa parte do segundo tempo com um jogador a menos por causa da expulsão de Ronald Garcia. Dominamos o jogo do início ao fim, e poderiam ter tido mais gols.

Venezuela x Equador não teve um placar desequilibrado como a partida anterior, mas a Venezuela ganhou com uma pequena diferença, que de certa forma foi uma surpresa pelo fato de que eles derrotaram o Equador em Quito, uma cidade a 2.850 metros acima do nível do mar, o que implicaria uma certa vantagem tática quando se joga em casa, ou assim seria. Cronista escreve sobre as primeiras conclusões sobre a derrota do Equador [es].

El mito de Quito déjenlo para las fábulas de don Luis Chiriboga y otros que crearon en torno a la ciudad, una especie de muralla invencible, por la dichosa altura. Estas eliminatorias son distintas. En los dos procesos anteriores, empezamos ganando a Venezuela. Hoy perdimos. Dejen de llorar por la ausencia del TIN. Si don Chucho Benítez, insigne goleador del torneo mexicano, hubiese concretado una de las tres oportunidades que tuvo, creánlo que el marcador hubiese sido distinto.

Deixaremos o mito de Quito para as fábulas de Don Luis Chiriboga e outros que criaram em torno da cidade uma espécie de muralha invencível, por causa da tal altitude. Essas eliminatórias são diferentes. Em dois processos anteriores, acabamos ganhando da Venezuela. Hoje perdemos. Parem de chorar pela ausência de “Tin” (Augustin Delgado, atacante). Se Chucho Benitez, o maior goleador da liga mexicana, tivesse concretizado uma das três oportunidades de gols que teve, creio que o placar seria outro.

Do lado Venezuelano, Luis Carlos Diaz do Periodismo de Paz [es] nos conta sobre algumas características peculiares dessas eliminatórias na Venezuela, que entre outras coisas não despertou muitas emoções:

La “vinotinto” que ha sido una cenicienta en el fútbol, se ha subido en carrozas de calabaza en algunos partidos de los últimos años. Tras la gran venta mercadotécnica que le hizo creer a medio país que íbamos a clasificar para el Alemania 2006, y tras una Copa América con visos faraónicos en nuestra república petrolera, este inicio de eliminatorias empezó como con poca visibilidad pero nuevas esperanzas. Quizás teníamos que ligar para Sudáfrica 2010 desde un principio, pero aquí somos inmediatistas y apasionados de media hora, así que esta victoria de Venezuela sobre Ecuador es algo que sólo los fanáticos han sabido reconocer, ya veremos el despegue de marketing más adelante. Les dejo tres enlaces: Previo: el despliegue de seguridad del evento, Un parecer del partido, con encuestas de usuarios incluida y un fanático de esos que postea con adrenalina y promete “para después”, pero deja el video del golazo solitario. Lo dice bien este último… aquí consideramos milagros estas victorias. Suerte al resto de los hermanos latinoamericanos… aquí nos va mejor el béisbol.

O “vinho tinto” que tinha sido uma cinderela na história do futebol, montou na carruagem de abóbora em alguns jogos nos últimos anos. Um grande golpe de marketing fez metade do país pensar que nos classificaríamos para a Alemanha 2006, e depois a Copa América com visões faraônicas em nossa república do petróleo, esse início de eliminatórias começou com pouca visibilidade mas esperanças renovadas. Talvez a gente devesse ter tido esperanças para a África do Sul 2010 desde o começo, mas somos imediatistas e apaixonados de meia hora, portanto essa vitória da Venezuela sobre o Equador é apenas algo que só os fanáticos têm sabido reconhecer, veremos o jogo de marketing mais adiante. Eu deixo vocês com três links [todos os três em espanhol]: sobre a segurança do evento, sobre as opiniões sobre o jogo, incluindo uma pesquisa e um vídeo do único gol. Como o último blogueiro escreve …aqui consideramos essas vitórias milagrosas… Boa sorte aos irmãos latino americanos… aqui vamos melhor de beisebol.

O terceiro jogo entre Peru e Paraguai acabou no zero a zero. O resultando não convenceu a ninguém, nem aos blogueiros, como De Media Cancha escreve [es]:

Lamentarse a estas alturas, buscar culpables, cuestionarnos que nos falto Paolo Guerrero, no cabe ahora, simplemente no se pudo, queda solo pensar en el próximo partido ante Chile, ya pasó el debut, se empato a cero goles ante el cuadro guarani, de locales se debe ganar, porque no se gana un punto se pierden dos y eso cuesta en las sumatorias finales. Solo diremos COMO CUESTA GANAR DE LOCAL. Podemos seguir hablando y analizando este empate pero es seguir en lo mismo, la falta de definición como siempre, pasemos la pagina que esto recién empieza.

Lamentar-se a essas alturas, buscar culpados, questionar que faltou para que Paolo Guerrero não tem cabimento, simplesmente não pudemos ganhar, e resta pensar na próxima partida com Chile. Nossa estréia acabou, empatamos contra o time guarani, em casa se deve ganhar, porque não se ganha um ponto, se perdem dois, e isso conta nas somatórias finais. Só diremos COMO CUSTA GANHAR EM CASA. Podemos continuar falando e analisando esse empate, mas é continuar na mesma, a falta de definição, como sempre, mas vamos virar a página para que possamos finalmente começar.

O quarto jogo foi Argentina e Chile, que acabou 2 a 0 a favor do time azul e branco (Argentina). Foi, claro, a vitória que o mundo inteiro esperava, inclusive os chilenos. Como Charla Tecnica comentou [es]:

Lamentable pero esperable derrota, yo tenia las esperanzas de que se podía obtener algo más pero bueno, no se pudo y se ve que hay bastante trabajo por hacer. Puedo destacar algunas cosas como la intención de atacar con harta gente, o pese a estar perdiendo y con 10 hombres, se intentaba atacar y no defender el 2 a 0 como ocurria en procesos pasados. Los rendimientos individuales fueron bajos, especialmente de mediocampo hacia adelante. Fue un equipo largo, que cometio mucha fallas, que no presionó la salida Argentina, que perdio el balón en la salida o en situaciones complicadas en donde no se puede perder. La expulsión fue una “huevada”, y agradezco por un lado la suspensión de “Limitado”.

Lamentamos mas esperamos a derrota, e eu tinha esperanças de que se poderia obter algo melhor, mas não foi possível e há bastante trabalho a fazer. Posso destacar algumas coisas como a intenção de atacar com muita gente, mesmo tendo perdido 10 homens, se tentava atacar e não defender os 2 a 0 como aconteceram em jogos passados. Os rendimentos individuais foram baixos, especialmente do meio de campo para frente. Foi um time devagar, que cometeu muita falta, que não marcou a saída da Argentina, que perdeu a bola no ataque ou em situações complicadas onde não se pode perder. A expulsão foi “infeliz” e agradeço por um lado a suspensão de de “Limitado”.

Jorge Gobbi do Blog de Viajes [es] escreve sobre a reação na Argentina.

La primera fecha de las eliminatorias fue muy buena para Argentina, que derrotó a Chile 2 a 0, con goles convertidos por Román Riquelme de tiro libre. Ambos goles fueron muy similares, tal como comentan en Vale Chumbar: “Parecen los mismos videos, pero no es así. Juan Román Riquelme concretó 2 golazos (26 y 45´) de tiro libre casi idénticos para darle el triunfo a la Argentina por 2-0 ante Chile”. Y agregan: “Más allá de ciertos “chistes”, el partido se terminó a los 27´cuando Riquelme clavó el primer tiro libre. Hasta ahí, el equipo de Bielsa -recordemos que es Chile- intentó fiel a su estilo ser protagonista, siendo Suazo su arma más peligrosa. Habrá que ver si cuenta con los valores necesarios para plasmar su idea futbolística”.En Futblogs también destacan la actuación del 10 de Argentina: “Riquelme venía de una inactividad bastante prolongada; actualmente se encuentra en el Villarreal de España, donde su técnico, el chileno Manuel Pellegrini, no lo tiene en cuenta y ni siquiera lo incluye en el banco. Con poca delicadeza, dicen al respecto en Pasión Redonda: “¿Habrá visto el partido Manuel Pellegrini? ¿Se habrá dado cuenta de que su pollo Matías Fernández fue un verdadero desastre y se cagó en las patas? (perdón por las palabras)”.

O primeiro dia das eliminatórias foi muito bom para a Argentina, que derrotou o Chile por 2 a 0, com gols de Román Riquelme em
tiro livre. Ambos os gols foram parecidos, como comentou Vale Chumbar [es]: “Pareceram os mesmos vídeos, mas não foram. Juan Román Riquelme marcou dois golaços (aos 26′ e 45′) em dois
livres idênticos para dar o triunfo à Argentina por 2 a 0 em cima do Chile”. E acrescenta: “Mas além de certas “brincadeiras” o jogo acabou quando Riquelme marcou o primeiro tiro livre. Dali pra frente, a equipe de Bielsa – lembremos que é o Chile – tentou ser fiél a seu estilo de ser protagonista, sendo Suazo sua arma mais perigosa. Tem que se levar em conta os valores necessários para para tornar realidade sua idéia de bom futebol. No Futblogs [es], também destacam a atuação do número 10 da Argentina: “Riquelme vinha de uma inatividade bastante prolongada, no momento se encontra no Villarreal da Espanha, onde seu técnico, o chileno Manuel Pellegrini, não considerou escalar o jogador nem para o banco. Com pouca delicadeza, Pasión Redonda [es] diz: “Será que Manuel Pellegrini assistiu ao jogo? Ele teria se dado conta de que seu frango Matías Fernández (jogador do Chile e Villarreal) foi um verdadeiro desastre e se cagou todo (desculpem-me o palavreado)”

A última partida da rodada foi no domingo dia 14, onde Brasil e Colômbia encararam um empate de 0-0. Los Amigos Colochos de Futblog [ES] escreve:

La selección Colombia empató sin goles con Brasil en el primer partido de eliminatorias sudamericanas, pero pudo ganar. El resultado es bueno teniendo en cuenta que los puntos conseguidos frente a equipos como Brasil o Argentina pueden ser determinantes en el momento de definir los clasificados al mundial, porque son unidades con los que casi nadie cuenta. Este fue el mejor partido desde que Jorge Luis Pinto asumió su cargo como técnico de la selección mayor, el equipo salió motivado por comenzar bien la eliminatoria, con un rival de la talla de Brasil enfrente y no decepcionó.

A Seleção Colombiana empatou sem gols com o Brasil na primeira partida das eliminatórias sul-americanas, mas podiam ter ganhado. O resultado é bom, levando-se em consideração que pontos ganhos às custas de um time como o Brasil ou Argentina podem ser determinantes no momento de se definir a classificação para o mundial, porque são pontos com os quais quase ninguém conta. Essa foi a melhor partida desde que Jorge Luis Pinto assumiu o cargo de técnico da seleção nacional, a equipe saiu motivada para começar bem a eliminatória, com um rival da altura do Brasil a enfrentar e não decepcionou.

E finalmente, pode se dizer que ninguém confia mais na seleção brasileira quanto os próprios brasileiros. O editor de língua portuguesa do GV, José Murilo tinha escrito:

Começam domingo as eliminatórias. O Brasil nunca deixou de ir, e não vai ser agora. E ainda que acontecesse, dariam um jeitinho pra gente participar. A Seleção Brasileira estréia contra a Colômbia, que já não bota medo em mais ninguém. Acho que ganhamos fácil. O segundo jogo contra o Equador, quem diria, é que vai ser mais complicado apesar de ser em casa. Mas ganharemos também. Eliminatórias sulamericanas para 2010Blog Extralibris

E eis um comentário sobre o resultado:

Com 45 minutos de atraso por causa da forte chuva que caiu sobre Bogotá, Colômbia e Brasil começaram a partida com perspectivas opostas: os colombianos em busca de jogo, os brasileiros para fazer o tempo passar. Porque 2640 metros de altitude são 2640 metros de altitude… Enfim, num jogo nota 4, com 10 só para a altitude, a grande vilã que a Fifa ameaçou matar mas não teve peito para cumprir, parece justo dar 5 para cada brasileiro em campo, com 6 para Júlio César, e 7 para Dunga que, afinal, conseguiu o que queria. A arbitragem merece 7 e o gramado, quase perfeito depois daquela borrasca, fica com 9. Em La Paz será pior, em Quito será igual, mas bom mesmo será em Lima, em Montevidéu, em Buenos Aires, Assunção, enfim, onde dá para jogar bola, como no Rio, em São Paulo, Belo Horizonte, Porto Alegre… Em tempo: que os blogueiros me poupem com comentários do tipo “altitude é frescura”. Faltaram ar e futebolBlog do Juca

A próxima rodada de qualificadores acontece nas próximas terça e quarta.

(texto original de Juan Arellano)

 

Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.