- Global Voices em Português - https://pt.globalvoices.org -

Irã: Milhares de trabalhadores famintos entram em greve

Categorias: Irã, Direitos Humanos, Economia e Negócios, Mídia Cidadã, Protesto, Trabalho

Milhares de trabalhadores mal remunerados da usina de cana-de-açúcar Haft Tapeh em Shoush, na província iraniana do Khuzestan [1] [en] começaram uma greve nessa semana. O governo enviou forças de segurança para reprimir trabalhadores, mas a greve continua. Vários blogueiros cobriram o evento, e as difíceis condições dos ativistas trabalhistas.

Kaargar (que quer dizer trabalhador) diz [2] [fa] que a greve dos trabalhadores da usina Haft Tapeh começou no sábado, 27 de outubro. No blogue também é dito que o slogan dos trabalhadores não pagos é “Empregados da Haftapeh estão com fome”. O blogueiro acrescenta que o número de grevistas gira em torno de 3.000 e que eles queriam fazer um protesto na frente do gabinete do governo, mas a polícia não deixou.

O blogueiro escreve que os funcionários da Haft Tapeh já entraram em greve outras vezes e a cada vez o governo promete e não cumpre.

Kaargar acrescenta [3] [fa] que:

“… no quarto dia de greve e protestos, alguns dos funcionários da usina de açúcar Dezfoul, que tinham perdido seus empregos, juntaram-se aos trabalhadores da Haft Tapeh. Os grevistas entonavam em coro ‘nosso salário é nosso direito absoluto’ (o slogan do governo iraniano é ‘energia nuclear é nosso direito absoluto’).”

Workers-1may diz [4] [fa] que no dia 12 de setembro, todos os 5.000 empregados da Haft Tapeh anunciaram em uma carta a decisão de entrar em greve. O blogueiro diz que durante os meses que passaram, os trabalhadores negociaram com o Governo Iraniano, mas receberam promessas vazias. Segundo o blog, uma carta foi enviada à Organização Internacional do Trabalho.

Repressão

Kaargar acrescenta [5] [fa] que as forças de segurança atacaram vários trabalhadores e feriram 10 deles. Um dos ativistas, Ferydoun Nikofard, foi detido dentro de casa.

Pejvakezendanyan (que quer dizer eco de prisioneiros) diz [6] [fa] que depois de dois dias de greve, os agentes do serviço secreto iraniano colocaram pressão nos trabalhadores, que foram ameaçados de punição severa. Segundo o blog, quando os trabalhadores não recebem salários e são ameaçados, é hora da intervenção da Organização Internacional do Trabalho [7] [en].

Trabalhadores em correntes

Kargaran (que significa Trabalhadores) nos informa [8] [Fa] que os trabalhadores da Haft Tapeh não são os únicos passando por dificuldades. O blogue publicou um vídeo de Mahmoud Salehi, um ativista trabalhista no Kurdistan, que está na cadeia. Ele é mostrado no vídeo algemado em um hospital.

(texto original de Hamid Tehrami [9])

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online [10]. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português [11], com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista [12]. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui [11]. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui [13].