Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Bangladesh: Blogueiros exigem libertação de cartunista preso

Zafa Noor escreve no E-Bangladesh [en]:

“It has been two weeks since Arifur Rahman’s cartoon “Naam” was published which prompted the Bangladesh police to take him to jail and lock him up without pressing any formal charges or allowing him any legal representation in his defense. Arif was picked up from his Uttara residence under Section 54 of Code of Criminal Procedure for drawing the very harmless cartoon that portrayed a widely used naming convention for Bangali Muslim men. The cartoon did not insult the prophet in any way, nor was it Arif’s intention, because his own first name is Mohammed (newspaper reports addressed him as Md. Arifur Rahman).”

“Já são duas semanas desde que o cartum [en] “Naam” de Arifur Rahman foi publicado, acarretando que a polícia do Bangladesh o colocasse atrás das grades sem que ele tenha sido formalmente indiciado ou sem permitir que ele tenha um representante legal em sua defesa. Arif foi detido em sua residência em Uttara sob a Seção 54 do Código de Procedimento Criminoso [en] por ter desenhado aquela caricatura bem inofensiva em que mostrava um nome amplamente usado para batizar um homem muçulmano Bangladesh. O cartum não insultou ao profeta de forma alguma, nem era essa a sua intenção de Arif, porque o seu próprio nome é Mohammed (repórteres de jornais o chamam de Md. Arifur Rahman).”

free arif

arifur rahman
(crédito da foto: Daily Star)

Arifur Rahman é um rapaz de apenas vinte e três anos de idade, que há apenas um mês antes de ser preso recebeu um prêmio do governo por seus cartuns contra a corrupção. O editor do periódico Prothom Alo se desculpou por ter publicado o cartum, mas é interessante ver que o Islã político tem mantido essa estória viva e pedindo o fechamento do jornal progressivo Prothom Alo. Uma outra popular revistar do grupo Prothom Alo, chamada Saptahik2000, também foi alvo das autoridades e a edição Eid foi retirada das prateleiras enquanto o Governo proibiu a publicação de algumas palavras em memória do escritor exilado Daud Haider. The third world view e E-Bangladesh [ambos em inglês] tem mais pano de fundo nesse assunto.

Os blogueiros de Bangladesh estão conclamando uma campanha internacional para libertar Arifur Rahman que foi aprisionado por causa de seu cartum satírico e inofensivo [en] publicado no Alpin, o suplemento satírico do jornal diário de Bangla, Prothom Alo. Deve se notar que a imprensa de Bangladesh está, surpreendetemente, calada em relação à libertação de Arifur Rahman.

* Shourav criou [en] o excelente banner acima e está pedindo apoio (qualquer um pode usá-lo sob o creative commons).

Outros blogueiros uniram vozes:

* Mash do “Or how I learned to stop worrying” [en] o chama o herói do cartum de Bangladesh.

* Keep me honest [en]

* Addafication [en]

* Dhaka Shohor [en]

* Voice of Bangladeshi Bloggers [en]

- In the Middle of Nowhere [en] que também pede a libertação de Nurul Islam, o trabalhador de ajuda humanitária de Bangladesh (BRAC) sequestrado no Afeganistão pelo Talibã.

- Serious Golmal [en]

- Unheard Voices [en]

- Tacit [en]

- E mais blogueiros de Bangla nas plataformas “Bandh Bhanger Awaaj” [en] e “Sachalayatan” [bn]

Várias organizações internacionais exigem a libertação deArifur Rahman:

- Repórteres Sem Fronteiras (RSF) – Cartunista preso por causa de brincadeira inocente com o nome Mohammed [en]. Um trecho:

“The play on words had no intention of attacking the Prophet,” Reporters Without Borders said “It was a joke about a cultural custom. The government should not yield to pressure from extremist leaders who are trying to politicize the case. Rahman should not be made a scapegoat. He must be freed.”

“A brincadeira com as palavras não teve a intenção de atacar o profeta” diz o Repórters Sem Fronteiras. “Trata-se de uma piada sobre um costume cultural. O governo não deveria sucumbir à pressão de líderes extremistas que estão tentando fazer politicagem do caso. Rahman não deve ser feito um bode expiatório. Ele deve ser libertado.”

- O Instituto Internacional de Imprensa (IPI) protesta contra o aprisionamento do cartunista e a suspensão da publicação satírica semanal [en]. Um trecho:

IPI would like to remind Your Excellency that the state of emergency imposed in January after the cancellation of the general election is not an excuse to restrict press freedom. With a general election planned for the end of 2008, it is vital that the country’s citizens have access to information and that the media is free to report facts and express opinions.

IPI gostaria de lembrar a Vossa Excelência que o estado de emergência imposto em janeiro após o cancelamento das eleições gerais não é uma desculpa para restringir a liberdade da imprensa. Com eleições gerais planejadas para o fim de 2008, é vital que os cidadãos desse país tenham acesso a informações e que a imprensa é livre para relatar fatos e mostrar opiniões.

Mostre o seu apoio a Arifur Rahman colocando o banner no seu blogue.

Entre no grupo do facebook para saber as últimas notícias da campanha.

(texto original de Rezwan)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.