Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Ronda da Liberdade de Expressão: Turquia, Rússia, Paquistão, Índia

 

(1) YouTube bloqueado novamente na Turquia. (2) Usuário russo do LiveJournal enfrenta prisão por uma história fictícia. (3) Blogspot.com bloqueado mais uma vez no Paquistão. (4) Polícia de Mumbai planeja instalar monitores de digitação em cyber cafés .

Turquia Bloqueia YouTube. De Novo.

Pela segunda vez em um ano, uma corte turca ordenou, na Terça, 18 de Setembro, que fosse bloqueado o acesso[En] ao YouTube.com por vídeos considerados afrontas aos líderes do país.

“The decision followed a complaint by a resident in the eastern city of Sivas that the site hosted videos containing insults against Turkey's founding father Mustafa Kemal Ataturk, President Abdullah Gul, Prime Minister Recep Tayyip Erdogan and the army.”

“A decisão seguiu uma reclamação de um residente da cidade de Sivas, ao Leste do país, dizendo que o site hospedou vídeos contendo insultos ao pai fundador da Turquia Mustafa Kemal Ataturk, ao presidente Abdullah Gul, o primeiro ministro Recep Tayyip Erdogan e ao exército.”

São tempos tumultuosos[En] para o YouTube na Turquia. Uma onda de controvérsias em relação a um vídeo ultra nacionalista[En] comemorando o assassinato do jornalista turco-armeno Hrant Dink[En] postado no site de compartilhamento de vídeos conseguiu chegar às páginas dos jornais mais lidos do país– e às cortes. De acordo com o Turkish Daily News[En], os advogados de Dink disseram que o vídeo “incita as pessoas a cometerem crimes de ódio abusando de raça e religião e elogiando um assassino.” Os advogados estão se preparando para protestar.

Em Março deste ano, o maior provedor de serviços de telecomunicação do país, Turk Telekom[En], bloqueou o acesso[En] ao YouTube por dois dias, seguindo uma decisão da corte acusando vídeos que apareceram no site de insultar o pai da Turquia moderna, Kemal Atatürk[En], e ao povo turco.

Em 17 de Agosto de 2007, a Segunda Corte Civel de Primeira Instância turca bloqueou o acesso a todo o domínio wordpress.com[En] depois que advogados do criacionista-islâmico[En], Adnan Oktar, aka Harun Yahya[En] alegou que um blogue hospedado no wordpress.com continha material que difamava seu cliente.

Blogueiro russo do LiveJournal pode enfrentar sentença de três anos

O blogueiro russo de 23 anos, Dmitry Shirinkin, que postou uma história fictícia em seu blogue inspirado no tiroteio na Virginia Tech[En] , pode enfrentar até três anos na prisão (leia a história completa no Global Voices). Dmitry Shirinkin mantinha um blogue LiveJournal sob o pseudômino “tetraox” e escreveu sobre comprar uma arma e matar um número de pessoas em uma das faculdades da cidade. Ele está sendo acusado de “dar um alerta falso de ameaça terrorista[En].”“A Promotoria analisou o blogue de Dmitry e concluiu que ele tinha o desejo de atirar e matar uma dúzia de pessoas,” reportou o Russia Today[En]. Entretanto, a defesa de Shirinkin está requerindo um analista da linguagem para dar sua opinião de especialista em relação ao texto controverso. O julgamento foi marcado para o dia 20 de Setembro.Em uma entrevista no Russia Today (veja o vídeo abaixo), Shirinkin diz “Não esperava que um texto curto provocaria tal reação dos serviços de segurança. Eles me interrogaram perguntando onde estava minha arma, mas eu nunca tive uma.”

De acordo com o Russia Today, mesmo antes da acusação Dmitry já era uma figura popular, sendo premiado como o melhor blogueiro da região. Os blogueiros russos estão preocupados, com razão, que o caso de Shirinkin possa ser um mau precedente para os usuários da Internet do país.

Outro[En] blogueiro russo do Livejournal enfrenta uma sentença de dois anos na prisão ou uma fiança de 100.000 rublos (US$4.000) por “incitar o ódio” contra a polícia. De acordo com a promotoria regional de Komi[En] , a mensagem alegadamente ofensiva – que foi deletada do site – do jovem de 21 anos chamado Savva Terentyev contêm “um chamado direto ao ódio e à hostilidade, assim como ferir a dignidade de… um grupo social particular: policiais.”

Paquistão: blogspot.com bloqueado novamente

Não Bloqueie o Blogue[En] reportou que o acesso à popular plataforma de blogagem blogspot.com[En], pertencente a Google Inc, foi mais uma vez bloqueada no Paquistão:

“For about four months (since May, 2007) Google fortunately had changed the IP address of its Blogspot servers. The new IP addresses were not demarcated as prohibited by the censorship filters located at the Pakistan Internet Exchange. Today, for some odd reason, Google has suddenly reverted back to its original IP address, which has been on the block list since March of 2006. This move has resulted in the blocking of all internet traffic to the blogspot.com domain. Millions of blog readers in Pakistan now are unable to read or and interact with any of these websites.”

“Por cerca de quatro meses (desde Maio de 2007) o Google felizmente conseguiu mudar o endereço IP address de seu servidores Blogspot. O novo endereço IP não era demarcado como proibido pelos filtros da censura localizados no Pakistan Internet Exchange. Hoje, por alguma estranha razão, Google repentinamente reverteu para seu endereço IP original, que tem estado na lista de bloqueados desde Março de 2006. Essa mudança resultou no bloqueio de todo o tráfego na internet ao domínio blogspot.com. Milhões de leitores de blogues no Paquistão agora não podem mais ler ou interagir com nenhum desses websites. “

A campanha “Não Bloqueie o Blogue[En]” (NBoB) foi lançada em resposta ao banimento a plataforma de blogagem Blogspot.com[En] instituída pela Autoridade Paquistanesa de Telecomunicações (APT)[EN] em 3 de Março de 2006.

Leia nossa entrevista feita anteriormente
com Omer Alvie[En], o co-fundador do (NBoB), sobre o banimento e a campanha paquistanesa de apoio à liberdade de expressão online.

Polícia de Mumbai monitorará cyber-cafés

Em apoio à sua guerra anti-terrorismo, a polícia em Mumbai, Índia, está planejando instalar monitores de digitação[En] nos cyber-cafés da cidade. De acordo com Vijay Mukhi[En], presidente da Fundação para Segurança da Informação e Tecnologia:

The police needs to install programs that will capture every key stroke at regular interval screen shots, which will be sent back to a server that will log all the data. The police can then keep track of all communication between terrorists no matter, which part of the world they operate from.This is the only way to patrol the net and this is how the police informer is going to look in the e-age.”

“A polícia precisa instalar programas que irão capturar screenshots de cada tecla pressionada em um intervalo regular, que serão levadas para um servidor que registrará todos os dados. Assim a policia pode rastrear toda comunicação entre terroristas não importando de que parte do mundo eles operam. Essa é a única forma de patrulhar a rede e esse é o modo que os informantes da polícia verão a e-era. “

Esse novo programa de monitoramento[En], CARMS (Cyber Access Remote Monitoring System – Sistema de Monitoramento remoto de Cyber Acesso), que a polícia de Mumbai está requerindo que os 500 cyber-cafés da cidade instalem, “irá capturar cada tecla pressionada por usuários e levar essa informação ao governo – quase em tempo real, pelo que se diz,” disse o jornalista indiano Amit Varma[En].

 (Texto original de Sami Ben Gharbia)

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.