Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Colômbia: Diário secreto da guerrilha FARC mantido por uma holandesa

Tanja Nijmeijer, “Eillen”No dia 1º de setembro, El Tiempo [ES], um jornal da Colômbia, escreveu sobre uma descoberta das forças armadas após pegar de surpresa um campo de insurgentes em julho. Uma das notícias mais quentes, possivelmente, já as informações encontradas no computador portátil do líder revolucionário Carlos Antonio Lozada [ES] são secretas, foi a de um diário encontrado no campo. Essa coleção de cadernos de espiral contém os pensamentos e sentimentos de Tanja Nijmeijer, uma holandesa que pelos últimos 5 anos mora e trabalha com FARC, as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia. Dentro desse grupo, ela é conhecida como “Eillen”. O conteúdo parcial desses diários já foi publicado em jornais e na internet, tanto em espanhol [ES] quanto em inglês, pela Radio Netherlands Worldwide.

Em Colombia, Tierra Galactica y Cosmica! [ES] Paul O’Leary resume:

…En este diario Tanja Nijmeijer escribe lo que ya sabemos los colombianos y esta sabiendo todo el mundo, pero sobre todo los europeos que creen que estos narcotraficantes están luchando por la vida y la libertad (mas asesinos y violadores que estos narcos de las farc hay pocos en este mundo)…..escribe que las farc es una carcel, una basura…donde algunos tienen rolex y otros son tratados como animales(ella misma) y los guerrilleros razos. dice que en medio de la soledad de la selva, los guerrilleros de las farc tienen sexo todo el dia, hasta contagiase de sida,osea….. culiar,matar y culiar que este mundo se va a acabar!

…Nesse diário, Tanja Nijmeijer escreve o que nós colombianos já sabemos e o resto do mundo começa a descobrir, especialmente os europeus que acreditam que esses traficantes de drogas estão lutando pela vida e pela liberdade (mais assassinos e estupradores que esses traficantes da farc existem poucos no mundo)… ela escreve que farc é uma prisão, um lixo… onde alguns têm Rolex e outros são tratados como animais (ela mesma) e sobre a vida privada da guerrilha. Disse que no meio da solidão da selva, os guerrilheiros da Farc fazem sexo o dia inteiro, até se contagiar com aids, em outras palavras… foder, matar e foder porque esse mundo vai acabar!

Em Tumbo2 [ES], stultaviro leva o assunto com uma dose de humor:

Conmoción en Holanda por ‘Eillen’, una joven de ese país que se enroló en las filas de las Farc. Voceros de la organización N.T.N.I.D.L.Q.P.E.C.P.L.F.S.C. (No Tenemos Ni Idea De Lo Que Pasa En Colombia Pero Las Farc Son Cool), anunciaron la apertura de varios puntos de inscripción en todo Amsterdam para atender la horda de jóvenes enloquecidos por seguir los pasos de su compatriota, quien según estadísticas en la última semana logró desbancar en popularidad a Paris Hilton, Harry Potter y Shrek.

Comoção na Holanda por “Eillen”, uma jovem senhora desse país que se alistou nas filas do FARC. Porta-vozes da organização N.T.N.I.D.Q.S.P.N.C.M.A.F.S.L. (Não Temos Nenhuma Idéia Do Que Se Passa Na Colômbia Mas As Farc São Legais), anunciou a abertura de várias mesas de registro em toda a Amsterdã para conter a multidão de jovens loucos que querem seguir os passos de sua conterrânea, que de acordo com as estatísticas da semana passada conseguiu superar Paris Hilton, Harry Potter e Shrek nas pesquisas de popularidade.

Em Equinoxio [ES], Daniel Ramos se lembra do filme-documentário Guerrilla Girl e pondera:

Las historias de Tanja e Isabel, de tantos otros jóvenes que entregan su vida a la lucha por ideales de justicia social e igualdad enrolándose en las FARC desafortunadamente quedan registradas como algunas de las más tristes crónicas utópicas que conocemos hoy en día, como un testimonio más de la criminalidad absurda que no parece tener fin en Colombia y de las utopías enfermas que pretenden aliviarla…

As estórias de Tanja e Isabel, e de muitos outros jovens que entregam suas vidas a lutar por ideais de justiça social e igualdade alistando-se as FARC, infelizmente continuam registradas como algumas das mais tristes crônicas utópicas que conhecemos nos dias de hoje, como testemunha da criminalidade absurda que parece não ter fim na Colômbia e as utopias doentes que pretendem aliviá-la…

Em En Medio del Ruido [ES], Mauricio Duque Arrubla coloca links para buscas [EN] e outros blogues [EN] que estão discutindo o assunto, e em seguida escreve:

Ojalá esta situación sirva para que los gobiernos de Europa Occidental pongan presión sobre los terroristas, la misma que están poniendo sobre el gobierno colombiano por sus vínculos para militares. No debe eliminarse la fiscalización al gobierno de Uribe y debe comenzar a hacerse a los narcotraficantes y asesinos de las FARC.

Tomara que essa situação sirva para que os governos da europa ocidental coloquem pressão nos terroristas, a mesma pressão que está sendo colocada no governo colombiano pelos seus vínculos com os militares. Não se deve eliminar a fiscalização do governo de Uribe e deve se começar com os traficantes de drogas e assassinos das FARC.

Colombianos e estrangeiros da mesma forma debatem em Poor But Happy [EN] onde Tinto sucintamente publica o artigo e os comentários dão vida a ele, passando por questões de privacidade, possível retaliação, tentativas de recrutamento internacional por parte das FARC a o que atrai esses estrangeiros a se filiar à guerrilha [ES]:

Sr Tertius comenta:

Here’s another issue: Regardless of whether she is a criminal or not, her privacy should be respected, no? Her diary is a private document, and the police and army may use it for intelligence and whatever other purposes, but what purpose does it serve to make it public?

Aqui está um outro problema: independente de se ela é ou não criminosa, a sua privacidade deveria ser respeitada, não? Seu diário é um documento privado e a polícia e o exército devem usá-lo no serviço secreto e outros propósitos, mas a quem propósito serve torná-lo público?

O comentário de Billyb parece refletir o que muitos colombianos podem estar pensando, mas não têm coragem de escrever abertamente:

Regarding the point made, differentiating political and common crimes, what happens when the lines between the two become nebulous when applied to the organization (the FARC in Her case) you delinquent in? As for wishing her evil, she enthusiastically joined an organization that kidnapped 3 of my cousins, one who they put a bullet in his head and another we never saw again and I’m sure she’s participated in actions where unarmed civilians have lost their lives, and as far as I can tell, her dairies have not expressed any remorse for the loss of innocent lives. As a matter of fact she laments the fact that she didn’t get the chance to kill the helicopter crew. Whatever good she thought she was doing by joining the FARC will never in my mind balance out what has happened to so many innocent people at the hands of the FARC. So I see no need to cut her any slack. To many people, specially foreigners, the conflict in Colombia is a chance to participate in an abstract intellectual feelgood exercise, but to many of us it’s a bitter personal experience.

Em relação ao ponto colocado, diferenciação de crimes políticos e crimes comuns, o que acontece quando a linha que divide os dois se torna nebulosa ao ser aplicada a organização (FARC no caso dela) em que o delinquente está? Quando se trata de desejar o pior a ela, ela entusiasticamente entrou numa organização que sequestrou 3 de meus primos, em um deles colocaram uma bala na sua cabeça, o outro nunca mais vimos novamente e tenho certeza de que ela participou de atos onde cidadãos desarmados perderam as vidas, e até onde eu posso dizer, seu diário não expressou remorso algum pela perda de vidas inocentes. Na realidade, ela lamenta o fato de que não teve a chance de matar os tripulantes do helicóptero. O que quer que ela tenha pensado que estava fazendo de bom ao entrar nas FARC nunca justificará em minha mente o que tem acontecido a tantos inocentes nas mãos das FARC. Então não vejo necessidade de aliviar pro lado dela. Para muitas pessoas, especialmente estrangeiras, o conflito na Colômbia é uma chance de participar de um exercício intelectual abstrato bem com a vida”, mas para muitos de nós trata-se de uma experiência pessoal amarga.

Parece que Tanja não é a única estrangeira recrutada pelas FARC [ES], e ainda há de se esperar para ver o que acontecerá com ela, se as FARC irão sequestrar, torturar ou matar Eillen por seu lapso de julgamento ou se eles a deixarão livre para que os governos holandeses e colombianos cuidem do caso.

(Foto: cortesia de geenstijl)

(texto original de Juliana Rincón Parra)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

 

2 comentários

  • […] FARC, socialismo real, teoria dos jogos trackback Quer saber mais sobre as FARC? Que tal um pouco de realidade? O diário desta holandesa, para mim, diz mais do que estas informações oficiosas que circulam […]

  • YO ME DIRIJO AL JEFE DE LA FARC. PARA DECIRLE QUE SI NO ENTREGA A INGRED BENTANCURT, ES LAMENTABLE NO SOLO A ELLA MAS A TODOS LOS QUE ESTAN DE REEN PRICIONERO DE SU LIVERTAD. POR QUE YO DIGO ESTO? POR QUE POR PRIMERA VEZ LE ESTAN DANDO UNA OPORTUNIDAD A LA FARC. PARA SER LIVRE Y TERMINAR CON ESTE PROBLEMA DE TERRORISMO. SI ENTREGAR A INGRED TODOS SERA GANADORE MAS SI ELLA MORIR. LA ESTERMINACION DE LA FARC SERA SIERTA SERAN ADUBO DE LA TIERRA DONDE ESTEM EN ESTWE MOMENTO.PIENSE ESTAN A TIEPO.A UN FINALO FELIZ O IN FELIZ.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.