Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Guatemala: Campanhas eleitorais a todo o vapor

Setembro é um mês cinzento e chuvoso na Guatemala. É também o mês em que as celebrações do Dia da Independência acontecem em todo o país com paradas e desfiles cívicos. Nesse ano, o mês será especialmente importante porque em 9 de setembro Guatemala estará elegendo um novo presidente, assim como outras autoridades nacionais e locais. Representando diferentes pontos de vista, vários blogueiros expressam suas perspectivas em antecipação ao evento tanto expressando seus pontos de vista sobre os candidatos ou sobre a campanha.

Observadores de outros países podem apresentar uma forma de análise diferentes da eleição. O blogue Gringologue fornece uma análise na entrada chamada CON MANO DURA (The Guatemalan Elections p1) [En]:

“As the elections creep closer with each passing day, these issues are becoming more and more exaggerated. Every day there are more signs, more campaign songs, and more political ugliness. As with any election, scandals big and small have emerged, and more may be revealed as the campaigning gets even more competitive.”

“À medida que as eleições se aproximam, esses problemas estão sendo cada vez mais exagerados. A cada dia aparecem mais placas, mais músicas de campanha, e mais feiura política. Como qualquer eleição, escândalos de todos os tamanhos surgiram, e mais devem ser revelados enquanto a campanha se torna ainda mais competitiva”

Os referidos escândalos partem de problemas sérios diferentes, de impunidade a conexões com traficantes de drogas e com o crime organizado. E na maioria dos casos, o lado negro de um candidato emerge, alimentando uma polêmica a mais. O termo “mano dura” [mão dura], em referência a uma abordagem da resolução de problemas de segurança, tem sido polêmico. Isso se deve não apenas à mensagem, mas ao mensageiro, que é um ex-oficial militar em serviço durante o conflito armado, quando os piores massacres ocorreram.

Isso é expressado pelo blogue Huhnapu E Ixbalanque [ES], em sua entrada “Hands Clean“, onde ele disse:

“La premisa de que nadie es culpable hasta que no se pruebe lo contrario es aceptable en las cortes, pero no es suficiente para no escrutinar el pasado de alguien que pretende ser el compás moral de un pueblo.”

“A premissa de que ninguém é culpado até que se prove o contrário é aceitável nos tribunais, mas não é suficiente para não se escrutinar o passado de alguém que pretende ser o compasso moral de um povo.”

As campanhas políticas estão gerando não apenas controvérsias, mas campanhas cívicas prometendo votos estão também levantando suspeitas, como uma que que alega “Se você votar em criminais, você é criminoso” [Es], como discutida pelo blogueiro Carpe Diem [ES]. Ele descreve a campanha como:

“Un intento por evitar que personajes oscuros vinculados al crimen organizado y al narcotráfico lleguen al poder por medio de los comicios del 9 de septiembre.”

“Com a intenção de evitar que personagens obscuros vinculados ao crime organizado e ao narcotráfico cheguem ao poder através das eleições de 9 de setembro.”

Blog Ordinaria Locura [ES] destaca o conteúdo de mensagens políticas em sua entrada MACHISTAS Y MIEDOSOS [Machistas e Medrosos] critica fortemente o uso de comentários sexistas atacando as esposas dos candidatos a presidente ou candidatas.

“Desde que la campaña electoral empezó también comenzaron las campañas negras, que a mi en lo personal, ni van ni vienen, pero que de pronto hartan, no sólo por la basura que contienen, sino por la excesiva carga de machismo que conllevan….Se han burlado de todas y cada una de las mujeres que osan ocupar un espacio en la política guatemalteca.”

“Desde que a campanha eleitoral começou, também começaram as campanhas negras, que eu pessoalmente acho que não são relevantes, mas que em breve serão demais não apenas pelo lixo que contêm, mas também pela carga de machismo que carregam… Têm-se feito piada de todas e cada uma das mulheres que ousam ocupar um espaço na política de Guatemala”

E a idéia de que falta informação necessária para votar é discutida por Un chapín desde el Japón [ES], em sua entrada Elecciones en Guatemala:

“Me hubiera gustado ver paginas de internet con perfiles de los grupos de trabajo de los partidos políticos (no solo de sus candidatos); planes de trabajo, en español y la mayoría de lenguas del país. No lo digo pensando en que todos tienen acceso a una computadora e internet, sino mas bien para poderlo obtener y distribuir (bajarlo e imprimir), haciendo llegar esta información a la mayor cantidad de personas posibles. Pareciera ser que mientras menos sabemos, mejor; lo cual es muy peligroso en cualquier democracia”.

“Gostaria de ver páginas na internet com os perfis dos grupos de trabalho dos partidos políticos (não apenas de seus candidatos); planos de trabalho, em espanhol e na maioria das línguas do país. Não digo isso achando que todos tenham acesso a computador e internet, mas para que fosse possível obter e distribuir (baixar e imprimir) fazendo essa informação chegar a maior quantidade de pessoas possível. Parece que o quanto menos sabemos, melhor, o que é muito perigoso em qualquer democracia”.

As cidades estão cobertas com centenas de pôsteres e slogans, mas alguns blogueiros acham que é muito difícil encontrar informações exatas e precisas sobre os candidatos.

A campanha fraca foi descrita pelo blogueiro Herbert Toaspern, que concluiu em Ahh… los diputados [ES]!

“Esta elección será recordada como que si fuera un Reality Show, en el que individualmente todos nos dicen con sendas vallas y muchas canciones: “voten por mí”

“Essas eleições serão lembradas como se fossem um “Reality Show”, em que individualmente todos nos dizem com pôsteres um monte de canções: “votem em mim”.

O povo da Guatemala está esperando as eleições com expectativa. Será um dia complexo para um país de passado complicado. Além disso, existe a preocupação em relação a segurança e estão previstas péssimas condições climáticas. Chuva não será nada boa para um país onde o índice de abstenções sempre foi alto. Mas vamos esperar que possamos mostrar ao mundo e dar boas notícias em nossos blogues em 10 de setembro.

(Texto original por Renata Avila)

 

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.