Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

China: Policiais virtuais patrulham sites da web

Beijing Virtual Cops
Imagem liberada na terça-feira, 28 de agosto de 2007, pelo Public Security Bureau de Pequim.

Seguindo o exemplo da Polícia Virtual de Shenzhen, a polícia de Pequim, capital da China, vai começar a patrulhar websites registrados nos servidores de Pequim usando agentes de polícia animados que surgem repentinamente no navegador do internauta. A partir de 1º de setembro, os novos policiais virtuais de Pequim estarão em atividade em 13 portais da China, inclusive nos maiores serviços de hospedagem de blogues, Sohu.com [zn] e Sina.com [en]. Espera-se que até o final do ano, os patrulheiros virtuais estejam cobrindo todos os sites registrados nos servidores de Pequim. Segundo a agência de notícias Associated Press, os policiais animados “andam, dirigem motocicleta ou carro através da tela” a cada 30 minutos, alertando os internautas para que evitem “conteúdos ilegais na internet” e “sites ruins”.

Continuaremos a criar novas imagens da polícia virtual e a atualizar nossas dicas de segurança na internet num esforço para tornar a imagem da polícia virtual mais fácil de ser usada e mais em sintonia com o modo que os usuários usam a internet”, o Departamento de Segurança Pública de Pequim disse numa declaração emitida antes de ontem.

Segundo a declaração, esses agentes virtuais irão oferecer ajuda policial aos internautas. Ao clicar nos ícones dos agentes os usuários serão redirecionados para o site das autoridades policiais. Mas será que esse é o objetivo principal dos novos “Big Brother” e “Big Sister” da China?

No ano passado, em 17 de janeiro de 2006, a co-fundadora do Global-voices, Rebecca MacKinnon, relatou uma história parecida através do China Digital Times [en], apresentando os dois agentes virtuais “Jingjing” e “Chacha” que estão patrulhando sites da cidade de Shenzhen, no sul da China desde o ano passado:

jingcha

“These cartoon web cops named “JIngjing” and “Chacha” (the word “jing cha” means “police” in Chinese) will apparently be patrolling websites originating in the southern Chinese city of Shenzhen. (…) According to the Public Security official interviewed by the Beijing Youth Daily, their real function is to remind internet users that the Chinese police are watching people online no differently than offline. In other words: don’t do anything online that you wouldn’t do in a physical public place in China!”

“Esses agentes virtuais de cartum chamados “JIngjing” e “Chacha” (a palavra “jing cha” significa “polícia” em chinês) irão aparentemente patrulhar sites originados na cidade de Shenzhen [en], no sul da China (…) Segundo o funcionário de Segurança Pública entrevistado pelo Beijing Youth Daily, a verdadeira função deles é lembrar os internautas que a polícia chinesa está observando as pessoas quando estão on-line, da mesma maneira que as observam quando estão off-line. Em outras palavras: não faça nada on-line que você não faria num lugar público físico na China!”

O blogueiro South Puget Sound Libertarian [en] compartilha suas idéias e esta imagen do agente virtual de Shenzhen, JingJing:

jingjing

“Notice that JingJing is cute. The face that the Chinese government has decided to put on its repression is not that of the Orwellian jackboot stamping on a human face forever. No, totalitarianism comes wrapped in cuteness these days. So how could you really object? After all, it’s just the government trying to protect you from evil doers on the internet.”

“Note que JingJing é engraçadinho. A imagem que o governo chinês resolveu dar à sua repressão não é aquela da ‘bota de cano alto pisando num rosto humano para sempre’ de George Orwell. Não, o totalitarismo vem envolto em graciosidade nos dias de hoje. Então como você poderia realmente se opor? Afinal, é só o governo tentando lhe proteger de malfeitores na internet.”

Além dessa nova técnica de monitoração da web, a polícia de Pequim está também fixando cartazes na entrada de cybercafés, com o claro objetivo de intimidar usuários da Internet (veja a imagem abaixo):

Poster

Não divulgue material anti-social na Internet” em cima, e “Por favor venha comigo porque você publicou material para prejudicar a unidade da nação” embaixo. Crédito da Foto: Elizabeth Dalziel/AP via freemedia.at.

Sohu.com e Sina.com, os dois maiores portais chineses que serão patrulhados pelos virtuais e “engraçadinhos” agentes, já estão censurando o conteúdo de seus usuários muito agressivamente. O blogueiro de Pequim Liu Xiaoyuan está processando o Sohu.com por censurar alguns de seus posts em blogues. E quatro advogados chineses protestaram contra “a falta de transparência, arbitrariedade e irresponsabilidade com que Sina.com tem censurado posts escritos por blogueiros em seu sistema”, escreveu Rebecca MacKinnon.

(texto original de Sami Ben Gharbia)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

3 comentários

  • REIS

    Era bom que isso acontecesse era em todo o mundo, porque já fui enganado por uma fraude vinda da Malaysia, e não sei como a avisar as autoridades da internet, porque eu até assinei documentos referentes a uma herança, e esta mesma herança é real, e o fraudulento agora vai escapar com ele, e eu fico a ver navios, tenho documentos a comprovar a origem disto tudo.
    se souberem de alguém que me possa ajudar me mandem um email por favor, porque esta herança, só quase 7 milhões de dollars.

    • REIS

      isto tudo aconteceu á 3 semanas, é que se ouvesse autoridade ainda apanhavam o fraudulento, porque tenho documentos importantes e contactos para dar ás autoridades.

    • WELINGTON LACERDA

      REIS, apesar de já ter se passado mais de anos que você postou essa noticia espero que você receba e responda em meu e-mail acima, pois há dias venho procurando ajuda de algum internauta, pois como você, tambem recebí há menos de 2 meses informações de uma herança para receber na Malasia, inclusive com testatamento e tudo mais, onde me pedem para preencher formularios para enviar para o banco federal da Malasia.
      Segundo o advogado de lá, há em torno de 4 milhões de dolares depositados em meu nome nesse banco.
      Diante disso gostaria de me comunicar com você para ver se as pessoas são as mesmas.
      Sem mais para o momento fico no aguardo de suas noticias.
      Grato,
      Welington.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.