Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Japão: 62 anos depois, ainda na lembrança

No aniversário de 62 anos das bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki, muitos blogueiros se pegaram refletindo nessa semana sobre como a Segunda Guerra Mundial chegou ao fim, na forma como essa história é vista e ensinada no próprio país deles, e nas conexões entre essa história e os eventos atuais. Nos Estadis Unidos, uma um novo documentário sem censura da HBO, que mostra testemunhos de sobreviventes das bombas (hibakusha), promete reabrir o debate sobre as motivacões para o uso da bomba atômica; o aniversário foi o tópico de discussões em outros meios de comunicação em outras línguas além do inglês também. Enquanto isso, no Japão, a Companhia de Radiodifusão de Nagasaki colocou no ar entrevistas traduzidas para o inglês com sobreviventes das bombas atômicas, entrevistas nas quais, como um blogueiro observou, cada um deve a si mesmo a leitura.

Entrevista com o diretor Steven Okazaki sobre o seu documentário White light, black rain

A contínua relevância do bombardeio atômico de Hiroshima e Nagasaki nos relacionamentos políticos do Japão veio a tona apenas há algumas semanas, quando o ex- Ministro da Defesa Kyuma Fumio fez o seu famoso discurso que o bombardeamento “não poderiam ter sido evitadas”. O comentário causou um furor que acabou culminando na sua renúncia do cargo.

Nessa semana, blogueiros no Japão e ao redor do mundo discutiram as bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki. O blogueiro k2-s descreve a sua experiência enquanto criança ao ouvir a história do bombardeio:

先日の広島に続き今日は長崎の原爆の日ですね。あと数日後には終戦記念日です。

私が子供のころ、祖父や親戚の人からよく戦争のことを聞かされました。空襲で防空壕に逃げ込んだときの話や、機銃が自分の目の前で撃たれていったこと、自分の家が燃えてなくなってしまったこと、そして目の前で人が亡くなっていくこと。

街を歩くと南方から帰ってきたという人たち、手がなかったり足がなかったりする人たちが街行く人にしきりに何かを訴えかけていたり。

“Depois de Hiroshima há poucos dias, hoje é o dia em que a bomba atômica foi jogada em Nagasaki. Em poucos dias será as comemorações do aniversário do fim da guerra.

Quando eu era criança, eu ouvi falar muito da guerra pelo meu avô e outros parentes. Histórias sobre como, durante os ataques aéreos, eles encontrariam refúgio em abrigos para bombardeio estratégico; sobre as metralhadoras girando bem na frente de seus olhos; sobre suas próprias casas ardendo em chamas; e sobre a visão de outras pessoas morrendo bem na frente deles.

Andando na cidade, [você veria] pessoas que tinham voltado do sul — pessoas com braços faltando, pernas faltando — repetidamente implorando coisas às pessoas que iam à cidade”

ちょっと町外れに行くといたるところに防空壕のあとがあったり。

そして、この時期になると今よりももっともっと戦争について、平和についてみんなが考えていたように思います。戦争から時がたてば、それを体験した人も少なくなるのは当然でしょうし、人の記憶の中からも遠ざかっていくのは仕方のないことかもしれません。

でも今も地球のどこかでむごたらしいことが起きていることは事実ですし、絶対に忘れてはなりません。そのことをしっかり子供たちに伝えるのも大人の役目でしょう。

“Fora da cidade, tudo o que restou abrigos para bombardeio estratégico em cada esquina.

E além disso, quando o primeiro ano se aproximava, me parece que todo mundo pensava muito mais sobre a guerra, e sobre paz, do que o que eles pensam agora. Quanto mais o tempo desde a guerra passa, é normal que o número de pessoas que passaram por ela diminua, e que as lembranças das pessoas [sobre os eventos] fiquem cada vez mais longe, nada pode ser feito sobre isso.

Mas agora também, é fato que em algum lugar do mundo acontecem eventos sangrentos, de forma que a gente não deve esquecer. É papel dos adultos cuidar e transmitir às crianças a história do que aconteceu, não é?”

Aftermath of the atomic bombing of Hiroshima
O depois da bomba atômica de Hiroshima

Blogueiro sana, que acabou de se mudar para Hiroshima, explica que, no entanto, que contar essa história tem sido algo muito difícil no passado:

テレビでも、原爆記念日に合わせていろんなドキュメンタリーを放送しています。
私は今まで、被爆者の方こそが、原爆反対を積極的に働きかけたりしていると思っていました。
でも、それは違っていました。
原爆投下から60年経って、ようやく原爆について話すことができたと。
それまで、友人知人、家族にも誰にも話さず封印してきたと。
誰にも話さず、話せずにいた長い年月を知ったとき、本当の悲しみを垣間見た気がします。

“Na televisão, na ocasião do aniversário das bombas atômicas [de Hiroshima e Nagasaki], eles estão levando ao ar uma variedade de documentários.
Eu pensava que as vítimas das bombas atômicas tinham se envolvido ativamente em oposição às bombas atômicas.
Mas na verdade, esse não é bem o caso.
60 anos se passaram desde que as primeiras bombas foram jogadas e finalmente eles podem falar dos ataques atômicos.
Até agora, eles tinham guardado tudo para si, não falaram sobre isso nem para amigos, nem conhecidos, nem para familiares.
Por saberem mas nunca conseguirem conversar sobre isso por tantos anos, eu acho que eles devem ter vislumbrando a verdadeira tristeza”

でも、被爆者の方も平均年齢74歳になって、次の代に伝えることが難しくなっています。
だからこそ、自分が語らなければと、
封印していた気持ち、被爆当日の経験を涙ながらに話していました。
そんな方が少なくありません。

Ao passo que as vítimas das bombas alcançam uma idade média de 74 anos, transmitir suas mensagens para as futuras gerações tem se tornado algo cada vez mais difícil.
Por essa razão, sabendo que essas coisas devem ser ditas, com lágrimas nos olhos, [as vítimas] falaram sobre os sentimentos que eles tinham enterrado e suas experiências no dia do bombardeio.
Muitos fizeram dessa forma.

Atomic bombing of Nagasaki
Bomba atômica de Nagasaki

Uma dessas pessoas foi citada em uma postagem no blogue komonet descrevendo sua experiência:

「ある日突然一緒に遊んでいたクラスメート達が亡くなっていった。そして遊び場だった多くの川はあまりの喉の渇きに水を求める人で埋め尽くされた。
けれども自分は生き残ってしまった。その無念の思いと一緒に生きてこれなかった幼なじみへの申し訳ない気持ちは今でも心の中で整理できない。
そのことはとてもつらすぎて今まで話す勇気はなかった。しかし、未来を託すあなたたちには話さなければならない。」

“Colegas de classe com quem eu tinha brincado um dia de repente morreram. Os muitos rios que usávamos em nossas brincadeiras se tornaram cheios com [tos corpos] das pessoas que iam lá em busca de água para matar a sede.
Mas eu sobrevivi. Ainda agora, entretanto, ainda não consigo resolver dentro de mim todos os pensamentos tristes e o sentimento de lamentação pelo fato de que meus amigos de infância não puderam sobreviver para estarem aqui hoje.
Essas coisas foram tão horríveis que até agora eu não tive coragem de falar sobre essas. Mas eu preciso falar a todos vocês, a quem o futuro pertence”

Enquanto as citações acima têm foco na perspectiva japonesa, aqui estão outros blogueiros que questionaram a experiência dos americanos. Um blogueiro descreve a experiência de hospedar em casa um estudante dos EUA:

ちょうど今、我が家にはアメリカ人の男子高校生Charlieがホームステイをしています。6日の広島原爆記念日のニュースでは 「広島に原爆を落とし た」 アメリカの高校の教科書にはどのように記載されているか・・・などのトピックがありました。Charlieもついこの間、アメリカが広島と長崎に原 爆を投下した事実を習ったそうです。アメリカでは、今までは単に事実の羅列として原爆投下は扱われていたそうですが、9・11のテロ以降、なぜ原爆投下す る必要があったのか、という議論もするようになってきたそうです。

“Neste exato momento, um estudante americano chamado Charlie está hospedado aqui num programa de intercâmbio. Nas notícias no dia 6, aniversário da bomba atômica de Hiroshima, sob o título “A bomba atômica foi jogada em Hiroshima”, tópicos [levantados eram] do tipo: que tipo de informação sobre isso aparece nos livros escolares americanos? Eu descobri que apenas recentemente Charlie descobriu sobre o fato de que os Estados Unidos jogaram as bombas atômicas de Hiroshima e Nagasaki. Nos Estados Unidos, até agora, eles tratavam do assunto da bomba atômica apenas listando-o como um fato. No entanto, desde os ataques terroristas de 11 de setembro, eles estão agora debatendo o porquê da necessidade de se jogar as bombas”

とはいってもあくまでも、原爆投下によって広島や長崎で犠牲になった人以上の人を救うことができた、という見方が大半を占 めているそうですが。教育は誰にどうやって教わるかによって、こんなに違うんだと改めて感じました。原爆投下はアメリカにとって、英断だったと若者は教え られているいるんだ、と思うと恐ろしいです。もっと恐ろしいのは広島と長崎の原爆投下によってどれだけたくさんの命が瞬時に奪われ、今も心と体の傷跡や後 遺症に苦しめられている人がいることを教えられていないということです。しかしCharlieが原爆投下にも、今のイラク攻撃にも疑問を抱いていると聞い て、救われるような思いがしました。

No entanto, pelo que eu ouço, a maioria das opiniões pendem para o ponto de vista de que o bombardeio em Hiroshima e Nagasaki salvou ainda mais vidas do que fez vítimas. Eu também tive a impressão nesse caso de que educação, dependendo de quem está sendo ensinado e o que está sendo ensinado, pode ser muito diferente. “Quando eu penso que jovens estão sendo ensinados que, para os Estados Unidos, o bombardeio foi uma decisão corajosa, fico horrorizado. Mas o que é ainda mais chocante é que esses estudantes não estão sendo ensinados quantas pessoas perderam suas vidas como um resultado imediato do bombardeio de Hiroshima e Nagasaki, e que ainda tem gente hoje lutando contra cicatrizes físicas e psicológicas como efeito colateral. No entanto, quando ouço Charlie dizendo que ele tem suas dúvidas quanto ao bombardeio atômico, e também quanto à invasão do Iraque, eu sinto que ainda há esperança”

私がアメリカに留学していた時、大戦中に朝鮮半島や中国に日本が侵略して支配していた頃、日本人がどれほどひどいことをし ていたか、真実を初めて知りました。異国に行って初めて識る母国の影の部分というのは相当ショックなものです。きっとCharlieも今回同じような思い をしたのではないかと思います。

“Foi quando eu fui fazer o intercâmbio nos Estados Unidos que eu me dei conta, pela primeira vez, que os japoneses fizeram coisas horríveis durante o tempo de que o Japão invadiu e ocupou lugares como a península coreana e a China. É um choque considerável ir a um país no exterior para descobrir, pela primeira vez, o lado negro do seu próprio país. Eu tenho quase certeza de que Charlie teve o mesmo tipo de sensação dessa vez”

Finalmente, em uma postagem intitulada “Armas nucleares: a crise da idade moderna (核兵器—現代の危機)“, o blogueiro Niphonese relata o aniversário do bombardeio de Hiroshima e Nagasaki para falar dos Estados Unidos usando armas nucleares contra o Irã:

核兵器の違法性だとか,広島や長崎への原爆投下は正当だったか否かとか,そういう論議も大いに結構なのだが,もう少し現代のアクチュアルな問題に目を向けてもいいのではないだろうか。

“A ilegalidade das armas nucleares, seja o despejar de uma bombas atômicas em Hiroshima e Nagasaki justificável ou não, esse debate até que cai bem, mas não seria bom se a gente voltasse o nosso olhar um pouco mais para os problemas do momento atual?”

なによりも昨春,イラン”核開発”をめぐってアメリカとイランの緊張が高まる中,ブッシュ政権が先制核攻撃をちらつかせて イランを恫喝していたことが想起されなければならない。この狂気としか言いようのない戦争策動に対し,”唯一の被爆国”であるわが国において,一体どれだ けの人が危機意識を持っていたことか。一部の反核運動家などを除いて,ほとんど無関心に近い状態だったのではないだろうか。

“Acima de tudo, a medida em que a tensão entre Estados Unidos e Irã cresce sobre o “desenvolvimento nuclear” do Irã, precisamos lembrar que a administração de Bush tem considerado [a possibilidade de] um ataque nuclear preventivo e intimidação do Irã. Quantas pessoas nesse país, o “único país que foi vítima das bombas atômicas”, tem alguma noção da crise nesse esquema militar, esquema este que pode apenas ser chamado de loucura?”

(texto original de Chris Salzberg)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

2 comentários

  • “educação, dependendo de quem está sendo ensinado e o que está sendo ensinado, pode ser muito diferente”

    Nada mais verdadeiro. Aqui, na Grã-Bretanha, nada se fala do papel que eles tiveram durante os anos negros da escravidão, e como eles lucraram tanto com isso, como eles invadiram tribos africanas e destruíram gerações inteiras de pessoas vendendo-as para o trabalho escravo em outros países. Muita gente simplesmente não se dá conta e duvido que isso esteja nos livros de história. Para tentar conscientizar um pouco sobre o papel que a Inglaterra teve na escravidão, o Museu V&A abriu recentemente uma exposição comemorativa dos 200 anos do fim da escrevidão que se arrastou por 400 anos sob o domínio da Inglaterra. Chamada *Unconfortable Truths* (Verdades incômodas), a exposição rola até o fim do ano.

    Detalhe: quase ninguém participou da discussão aberta no fórum deles.

  • Ricardo Martins

    e realmente lamentavel ate que ponto o ser humano pode atinguir e forcar um objetivo matando e escravisando como pode haver gente assim? dizem que o ser humano esta em periodo de transicao isto e meio animal e meio racional talvez nosso lado animal seja os sentimentos ruins como inveja, infedelidade, raiva, ambicao etc. mas tem alguns que o lado animal prevalece
    como deveriamos trazer paz ? alegria, prosperidade, amor ao proximo como controlar os nossos sentimentos ruins? realmente gostaria muitissimo a paz da terra, como o amor entre nos seres humanos

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.