Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Rússia: Novas filmagens de Beslan e YouTube

Em 1° de Setembro fará três anos desde o começo do cerco a escola de Beslan em 2004[EN] – que terminou com a morte de 331 pessoas, 186 delas crianças.

E em 23 de Outubro, fará cinco anos desde o começo do cerco do teatro Dubrovka/Nord-Ost de 2006[EN] em Moscou. Pelo menos 129 reféns perderam suas vidas lá.

Em um comentário a um post recente de Marina Litvinovich (nome de usuária do LJ,
abstract2001, fundadora da compreensiva fonte em língua russa sobre qualquer coisa relacionada a Beslan, PravdaBeslana.ru/A Verdade sobre Beslan), uma leitora baseada nos E.U.A perguntou [RUS] sobre a responsabilidade do presidente Vladimir Putin nas tragédias:

“san_diegan:

[…] Reading your notes and other people’s opinions, I sometimes find myself a bit perplexed. Why is it that Nord-Ost and Beslan are treated as “the crimes of the regime”? I’ve encountered this view often and not just in your journal. I don’t see it this way. The Nord-Ost hostage rescue headquarters had to bear responsibility – or, yes, there was a total mess in Beslan. But the desperate words “the criminal regime” conceal something worse – an unwitting exoneration of those who had actually made Nord-Ost and Beslan happen. The terrorists… It starts to feel as if the terrorists are not guilty at all. And when the two planes were blown up that same year [August 24, 2004]? It’s obvious that a [bribe-taking] cop who allows just about anyone onto the plane is guilty of criminal negligence. But is this cop the regime? But those who blew up the plane are immeasurably worse. They are the obvious evil. I understand that analogies [don’t work well in this context] and I don’t know exactly what the the left-wing U.S. journalists are writing about 9/11. Or are they also putting the blame for the instant killing of 3,000 compatriots and destruction of the country’s symbol not on the terrorists, but on the FBI and the CIA – which have incredible material resources at their disposal, unlike those half-literate cops from Beslan?”

san_diegan:

[…] Lendo suas notas e as opiniões de outras pessoas, às vezes me encontro um pouco perplexa. Por que Nord-Ost e Beslan são tratados como “os crimes do regime”? Tenho me deparado com tal visão frequentemente e não só no seu blogue. Não vejo as coisas assim. O comando do resgate dos reféns de Nord-Ost tinham que ter responsabilidade – ou, sim, havia uma imensa bagunça em Beslan. Mas as palavras desesperadas “o regime criminoso” esconde algo pior – uma exoneração inconsciente daqueles que realmente fizeram Nord-Ost e Beslan acontecer. Os terroristas… Está começando a parecer que os terroristas não foram culpados. E quando dois aviões explodiram no mesmo ano [24 de Agosto, 2004[EN]]? É óbvio que um policial [corrupto] que deixa qualquer um entrar em um avião é culpado por negligência criminosa. Mas é esse policial o regime? Aqueles que explodiram o avião são imensuravelmente piores. Eles são a maldade óbvia. Entendo que as analogias não funcionam bem no contexto e não sei exatamente o que os jornalistas esquerdistas americanos estão escrevendo sobre o Onze de Setembro. Mas será que eles estão colocando a culpa da morte instantânea de 3000 compatriotas e a destruição de um símbolo nacional não nos terroristas, mas no FBI e na CIA – que possuem muitos recursos ao seu dispor ao contrários dos policiais iletrados de Beslan?”

Marina Litvinovich respondeu [RUS]:

“You are right: with Nord-Ost and Beslan, there’re crimes committed at the operations headquarters. Very often we speak of “the regime’s crimes” because I (as well as many others) know how decisions are being made in emergency situations. Putin makes the key (political) decisions. Other decisions are taken by the head of the FSB [Federal Security Service), head of the MVD (Ministry of Internal Affairs) and their subordinates. In the case of Beslan, it was Putin (along with [FSB head Nikolay Patrushev and MVD head Rashid Nurgaliyev]) who decided there’d be “no negotiations” and [ordered] “to prepare for the storming.” And it was Putin who [ran] things during Nord-Ost (I saw it myself). [Litvinovich used to head the Internet Department of Gleb Pavlovsky’s Foundation for Effective Politics and, among other things, worked on Putin’s 2000 presidential election campaign.]

As for the terrorists and their guilt – they’ve been punished. Well, thank God for that.

What we’re talking about here is that not a single public official who made criminal, wrong decisions in Beslan and [Nord-Ost] has been punished.

During 9/11, the government was trying to save people, and, as far as I know, firefighters and rescuers were acting professionally.

In the case of [Nord-Ost], 130 people died, and of this number the terrorists killed three, if I’m not mistaken. Who is to blame for the deaths of 127 people?

In the case of Beslan: 330 people died, and the terrorists killed approximately 40 of them. Who should bear responsibility for the deaths of the rest of them?”

“Você está certa: com Nord-Ost e Beslan, há crimes cometidos nos quartéis generais de operações. Frequentemente dizemos “os crimes do regime” porque eu (como muitos outros) sei como as decisões estão sendo tomadas em situações de emergência. Putin toma as decisões (políticas) chaves. Outras decisões são tomadas pelo chefe do FSB (Serviço de Segurança Nacional), chefe do MVD (Ministério das Relações Internas) e seus subordinados. No caso de Beslan, foi Putin (junto ao chefe do FSB Nikolay Patrushev[EN] e chefe do MVD Rashid Nurgaliyev[EN]) quem decidiu que “não haveria negociações” e [ordenou] “que se preparassem para a invasão.” E foi Putin quem dirigiu as operações durante Nord-Ost (eu mesma vi). [Litvinovich costumava ser chefe do Departamento de Internet da Fundação Gleb Pavlovsky para Políticas Efetivas[EN] e, dentre outras coisas, trabalhou na campanha presidencial de Putin nas eleições de 2000.]

Em relação aos terroristas e sua culpa – eles foram punidos. Bem, graças a Deus por isso.

O que estamos falando aqui é que nenhum oficial que tomou decisões erradas e criminosas durante Beslan e Nord-Ost foi punido.

Durante o 11/9, o governo estava tentando salvar as pessoas e, até onde eu sei, bombeiros e a equipe de resgate estavam agindo profissionalmente.

No caso de Nord-Ost, 130 pessoas morreram, e desse número, apenas três foram mortas pelos terroristas, se não estou enganada. Quem deveria ser culpado pela morte das outra 127 pessoas?

No caso de Beslan: 330 pessoas morreram, e os terroristas mataram aproximadamente 40. Quem deve ser responsável pelas outras mortes?”

Apesar de anos de investigações oficiais, essas e outras questões cruciais sobre as tragédias de Dubrovka/Nord-Ost e Beslan continuam sem resposta.

Um dos mistérios chave no caso Beslan é a causa das duas explosões que, por volta de uma da tarde, no dia 3 de Setembro, abalou o ginásio onde mais de mil reféns estavam presos. Autoridades russas insitem que foram os terroristas que armaram as bombas caseiras dentro do ginásio. Recentemente, entretanto,  apareceu um vídeo [EN], em que dois russos experts em bombas dizem que, julgando pela natureza do estrago, não é possível que as explosões tenham acontecido dentro do ginásio – e isso parece apoiar alegações de que forças especiais foram responsáveis pelas explosões iniciais.

Em 30 de Julho, Marina Litvinovich postou a nova filmagem no YouTube, aqui. Ela ficou feliz [RUS] por ter atingido tantas pessoas em um período tão curto de tempo:

I’ve been making the clips till 6 A.M. today and was uploading the Beslan video of Sept. 3-4, 2004, footage of the prosecutor’s office. While I was making them, I really felt like getting drunk – quickly and with vodka, because it is simply impossible to watch all this ;((

[…]

To save space, I’ve uploaded [the video] on YouTube (pravdabeslana). And it turns out it was the right thing to do. YouTube rules! The clips have already been watched by hundreds and hundreds of people – even though there’ve only been links from my LJ [blog] and today from Kasparov.ru [opposition site].
“Estou fazendo esses clipes desde as seis da manhã de hoje e estava fazendo o upload do video de Set. 3-4, 2004, de Beslan[RU], que são filmagens da promotoria pública. Enquanto eu os estava fazendo, me senti como se estivesse ficando bastante bêbada – rapidamente e com vodka, porque é simplesmente impossível de se assistir isso tudo ;((

[…]

Para economizar espaço, fiz o upload (do vídeo) no YouTube (pravdabeslana). E acabou que foi a coisa certa a se fazer. YouTube é muito bom! Os clipes já foram vistos por centenas de pessoas- mesmo sendo apenas links para meu LJ [blogue] e hoje para o Kasparov.ru [site da oposição].”

Mas em 31 de Julho, dois clipes – partes 6 e 8 do exame feito pelos experts da promotoria da cena de 4 de Setembro – foram apagados. Litvinovich escreveu [RUS]:

“[…] On the one hand, this is right, on the other – it’s wrong.

In part 6 – there’s the blown off head and legs of [a female suicide bomber]. In part 8 – a couple more corpses of the terrorists.

What can I say? This is what the examination was like – and I’ve uploaded it the way it was, facts remain facts, I haven’t edited anything out. I’ve written a warning everywhere, to save people’s nerves. Should I have edited the corpses out? I don’t think it would’ve been right.

I, of course, understand that YouTube has to be cheerful, but this footage is unique, it’s got to exist. Maybe not as accessible as it is on YouTube, but where should I put it then? I’ll solve this problem somehow, of course, and upload it all on PravdaBeslana.ru, but not everyone who’s interested in the subject (especially those who don’t speak Russian) will get there…

[…]”

“[…] Por um lado, está certo, por outro, errado.

Na parte 6 – há a cabeça estourada e as pernas da mulher bomba.

Na parte 8 – mais alguns corpos dos terroristas.

O que posso dizer? O exame foi assim – e eu o coloquei como foi,  fatos continuam sendo fatos, não editei nada. Escrevi avisos em todos os lugares, para poupar as pessoas. Eu deveria ter editado os corpos? Não acho que seria correto.

Claro que entendo que o YouTube tem que ser alegre e divertido, mas essa gravação é única, tem que existir. Talvez não devesse ser acessado via YouTube, mas onde mais eu colocaria? Resolverei esse problema de alguma forma, claro, e vou publicá-los inteiramente no PravdaBeslana.ru, mas nem todo mundo que está interessado no assunto (especialmente aqueles que não falam russo) os acessarão…

[…]”

Um leitor alegou que  Litvinovich estava “sofrendo interferências” e outro sugeriu apelar ao YouTube,  explicando que a filmagem era “significante politica e historicamente” e por isso deveria ser mantida on line, mas no final, nl, usuário do LJ, revelou uma explicação bastante óbvia[RU] para o que inicialmente pode ter parecido censura – as regras da comunidade YouTube:

“Graphic or gratuitous violence is not allowed. If your video shows someone getting hurt, attacked, or humiliated, don’t post it.

YouTube is not a shock site. Don’t post gross-out videos of accidents, dead bodies and stuff like that. This includes war footage if it’s intended to shock or disgust.

“Violência gráfica ou gratuita não é permitida. Se seu vídeo mostra alguém sendo ferido, atacado, ou humilhado, não o poste.

O YouTube não é um site com o intuito de chocar. Não poste vídeos repulsivos de acidentes, cadáveres e coisas parecidas. Isso inclui filmagens de guerras se é com a intenção de chocar ou enojar. “

Todas as doze partes do vídeo – e outras filmagesn relevantes – podem ser baixadas aqui, no PravdaBeslana.ru.  Há um aviso em letras vermelhas dizendo que crianças e pessoas “emocionalmente instáveis” não deveriam ver esse vídeo.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.