Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Projetos do Rising Voices estendidos às comunidades sub-representadas (Rising Voices Outreach Projects) começa a trabalhar

Foi a menos de um mês que anunciamos a primeira rodada dos projetos do Rising Voices estendidos às comunidades subrepresentadas mas aqueles cinco primeiros projetos já fizeram um maravilhoso progresso. Vamos dar uma olhadinha rápida ao redor do mundo para ver o que um pouco de esforço e muita colaboração pode conquistar.

HiperBarrio, Colombia

Primeira parada, Colombia. Álvaro Ramirez[ES], Jorge Montoya[ES], e Juliana Rincón[ES] originalmente inscreveram duas propostas numa organização chamada HiperBarrio com o lema “Historias Locais, Audiência Global”. Eles já registraram um domínio e o website está atualmente em construção[ES].

Apenas uma semana depois de receber a confirmação de suas gratificações vindas do Rising Voices, Álvaro Ramirez e Mauricio Múnera organizaram uma oficina de videoblogue na biblioteca pública do pobre e muitas vezes violento bairro de La Loma San Javier. Álvaro documentou suas três primeiras oficinas com uma série de fotografias tiradas pelos próprios jovens participantes[ES]. Aqui vai uma descrição da primeira experiência deles com videoblogagem:

“Luego subimos a la sala de computadores y lectura de la Biblioteca del barrio y en grupitos de dos y tres se sentaron a aprender a manejar el Movie Maker, a crear un juguete audiovisal de 30 segundos de duración con fotos tomadas de internet para luego subirlas a YouTube.

Trabajaron con rapidez y mucho entusiasmo asistidos en la parte técnica por Juan Diego, Mauricio, Diego y mi persona. En la parte estética y de contenido no necesitaron mayor ayuda. La creatividad demostrada fue impresionante y fácilmente se ponían de acuerdo en la forma como querían armar sus pequeñas experimentos.”

“Depois subimos para o laboratório de computação da biblioteca pública e em pequenos grupos de dois ou três nos sentamos para aprender como usar o Windows Movie Maker para criar um curto exemplo audiovisual de 30 segundos feito de fotos tiradas da internet.Eles trabalharam rápido e com muito entusiasmo e foram assistidos com uma ajudinha técninca por Juan Diego, Mauricio, Diego, e eu. Em relação à estética e conteúdo, eles não precisaram de nenhuma ajuda. A criatividade que demonstraram foi impressionante e eles facilmente descobriram como queriam fazer seus pequenos projetos.”

juan-diego-demuestra-algo.jpg

Juan Diego mostrando aos participantes do HiperBarrio como usar o Windows Movie Maker.

Você pode ver todos os vídeos que os estudantes fizeram até agora no YouTube. Aqui vai um exemplo que foi produzido por Sebastian, Jessica, e Susana. Foi entitulado “Susana’s Super Skates.”(Os Super Patins de Susana)

Clique aqui para ver o vídeo no YouTube.

O texto diz:

Os novos patins.
São práticos e confortáveis.
E por um preço baixo.
Experimente-os.
Patins da Barbie.

Como vocês viram, esses três já têm um futuro brilhante no marketing. Aqui vai outro vídeo, dessa vez produzido por Guillermo Alvarez e Ivan Dario Merchan. É chamado “Colombia, Land of Scenery and Contrasts.” (Colombia, Terra de Cenários e Contrastes).

Clique aqui para ver o vídeo no YouTube

O texto diz:

Colombia, terra das imagens.
Há muitas conversas sobre guerra na Colombia
Vida e cenário Dança, alegria e entretenimento … cultura, fé,e esperança … Também somos

Nari Jibon, Bangladesh

Você ouvirá muito mais sobre o projeto HiperBarrio na Colombia no podcast introdutório da semana que vem. Mas agora vamos continuar nossa viagem rumando para Bangladesh e o projeto Nari Jibon[EN]. Mais ou menos ao mesmo tempo em que o HiperBarrio estava começando a dar oficinas de videoblogagem em Medellín, Nari Jibon organizou sua primeira oficina de blogagem com o blogueiro profissional de Bangladesh Razib Ahmed[EN] que encabeça tanto o SouthAsiaBiz.com quanto o IndiaRaj.com.

Apparentemente a oficina foi inspiradora já que os blogueiros do Nari Jibon vêm publicando posts numa freuência prolífica. Digno de nota é história em cinco partes[EN] de uma jovem garota de Bangladesh[EN] que foi forçada à prostituição. Tanto Taslima Akter[EN] quanto Animesh Chandra Bain[EN] têm sido de grande importância integrando a blogagem nas classes para jovens mulheres de Dakha.

Bolivia, Kolkata, Serra Leoa

Os próximos três projetos ainda estão na fase d eplanejamento, mas mesmo seus planejamentos têm sidos impressionantes. Da Bolívia, Hugo Miranda descreveu as dificuldades que ele, Mario e Eduardo estão tendo em achar o cyber café ideal para fazer suas oficinas [ES] em El Alto:

“Esta situación se repite en la mayoría de los Cafés Internet, ahora si bien se encuentran también cafés Internets de entre 40 y 50 maquinas, el estado en que las maquinas se encuentran es también es lamentable, me encontré hasta con equipos Pentium I y Pentium II que utilizaban XP FENIX (Sistema liviano de XP para equipos de 300 Mhz con 64 MB en RAM ), que obviamente no permitiran un buen desarrollo del Taller.”

“A mesma situação (pobre) é repetida na maioria dos cafés com internet. Mesmo se conseguimos achar cafés com 40 a 50 computadores, o estados dessas máquinas são terríveis. Eu já vi computadores com processadores Pentium I e II que usam XP FENIX (uma sistema operacional pirata para que o XP rode em computadores com apenas 300 Mhz e 64 megabytes de RAM), que obviamente não nos permitiriam fazer uma boa oficina.”

De Kolkata, India, Bishan Samaddar descreveu eloquentemente os objetivos dos Diários da Vizinhança que começará em Outubro[EN]. Da mesma forma, Vickie Remoe-Doherty está trabalhando muito em, Serra Leoa apesar da loucura [EN] da época de eleições[EN] e da saúde de sua avó, estar deteriorando-se[EN].

Se ainda não ouviu, não se esqueçam de ouvir o podcast introdutório do projeto Nari Jibon. No começo d apróxima semana traremos a vocês a primeira parte do podcast introdutório do HiperBarrio na Colombia.

(Texto original de David Sasaki)

 

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.