Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Chile: um acordo controverso com a Microsoft

Há uma sensação entre os blogueiros chilenos que o acordo assinado entre o Ministro da Economia, Alejandro Ferreiro e Craig Mundie, Chefe do Departamento de Pesquisa e Estratégia da Microsoft no dia 9 de maio não é bom para o Chile. O título do post escrito por Christian em elfrancotirador [ES] explica a situação de forma simples:

“Chicos, ¿qué me dirían si les cuento que desde hoy, los 15 millones de chilenos (todos) vamos a ser usuarios de Microsoft… lo queramos o no. Lo imaginé.

¿Y qué tal si agrego al paquete que, en adelante, realizar cualquier trámite estatal o municipal requerirá el uso de software do Microsoft? Pero no nos conformemos. Sumen que toda la educación chilena será ejecutada sobre plataformas Microsoft y que -no conforme con eso- cada estudiante matriculado de nuestro país se convertirá en “cliente preferencial” de la empresa.”

“Pessoas, o que vocês diriam se eu dissesse que a partir de hoje os 15 milhões de chilenos (todos) serão usuários da Microsoft… quer a gente queira ou não? Foi o que pensei.

E que tal se eu acrescentar que, de hoje em diante, para realizar qualquer trâmite estadual ou municipal será necessário ser usado o software Microsoft? Ainda é pouco. Além disso, toda a educação chilena será executada através das plataformas do Microsoft e – isso ainda não é tudo – cada estudante matriculado em nosso país será convertido em um ‘cliente preferencial’ da empresa.

Microsoft está comprando informações sobre cidadãos chilenos?

Carlos do diabloendetalles [ES] nos mostra algumas partes do acordo:

“The common creation of a “space” where the citizens have access to all the relevant notification information and interaction with the public institutions

Microsoft commits to supply 15 million users the platform Live (mail, Messenger, Spaces and mobile) for the mail service, instant communication, blogs and the access to them from mobiles for free. Microsoft agrees to assume the operational cost and administration of the infrastructure associated.”

“A criação de um “espaço” comum onde cidadãos terão acesso a todas as informações sobre notificações relevantes e interação com instituições públicas

Microsoft comprometer-se a equipar 15 milhões de usuários com a plataforma Live (E-mail, Messenger, Spaces e mobile) para os serviços de e-mail, comunicação instantânea, blogues e acesso gratuito a eles através de telefone celular. Microsoft concorda em arcar com os cursos operacionais e administrativos da infra-estrutura associada.”

Para muita gente, esse acordo vai de mal a pior. O Ministro da Economia também se compromete a fornecer informações da Receita Federal para que cobranças sejam feitas nas contas das pessoas. Como Fayerwayer [ES] explica, Microsoft também se compromete a ensinar os chilenos entre 18 e 35 anos a usar Windows, Word, Explorer o todo o resto da plataforma da Microsoft.

“No a usar un computador, no a usar un procesador de texto, no a navegar la web, sino más bien a utilizar sus productos y únicamente sus productos — ¡gracias Microsoft!”

“Não como usar um computador, não como usar um processador de texto ou como navegar na internet, mas como usar seus produtos, e exclusivamente seus produtos – Obrigado, Microsoft!

Outro ponto de vista do acordo é de Rodrigo Walker [ES], que diz que ele deveria ter sido feito através de licitação pública, e que o acordo descarta a possibilidade de uso de software livre.

Os blogueiros não perdem tempo, “The Front of Digital Liberation” [ES] é um movimento criado para alertar, informar e relatar em todas as decisões relacionadas ao desenvolvimento da mídia. Essa iniciativa foi posta em prática como uma reação ao acordo com Microsoft. Blogueiros podem apoiar essa iniciativa, que já coletou 738 assinaturas.

Para acompanhar as discussões em fóruns (todos em espanhol): Tarreo e Atina Chile

(texto original de Rosario Lizana)

 

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

 

7 comentários

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.