Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

África: Porque o digerati africano pode fazer a diferença

Um leitor do Whiteafrica.com deixa um comentário de se parar para pensar [EN] sobre o desenvolvimento da África: “… O propósito do White African … Não podemos mais ficar culpando o governo corrupto da África e as multinacionais “diabólicas” pelos infortúnios da África sem fazermos algo sobre isso.
Agora, em nível de indivíduo, somos nós quem temos o verdadeiro potencial de proporcionar mudanças sócio-econômicas positivas. A parte mais bonita disso tudo é que podemos alcançar isso sem ter que fazer sacrifícios pessoais monumentais”.

(texto original de Ndesanjo Macha)

3 comentários

  • É verdade. Não devemos continuar a culpar os governos corruptos africanos e as grandes Empresas multinacionais pelo não desenvolvimento dos países africanos,mas não nos devemos esquecer, que quer uns, quer outras, ainda se mantêm lá apanhar os poucos bocados de “carne” que ainda residem nos ossos.
    Por isso, para que ÁFRICA seja o continente que merece, ainda lhe falta limpar algumas “arestas”. Depois sim. Depois vamos para o desenvolvimento. Pois é isto que o povo africano merece. Não é estar a consumir tudo o que o Ocidente lhe vende, para aniquilar os meios de produção africanos e, desta forma, arruinar ainda mais os povos africanos.
    Vamos para o desenvolvimento, sim, mas sem a hipocrisia da Europa e da América do Norte.

    David Santos

  • David

    Concordo plenamente. Agora substitua *África* por *Brasil*, e diga se não poderiamos dizer a mesmíssima coisa? Quantas coisas estão ali, ao nosso alcance, e não damos o primeiro passo? Só para dar um exemplo prático, Outro dia estava conversando com uma tia, que reclamava do calor em Salvador, e culpava o governo federal pelo aquecimento global. Eu perguntei a ela, se em vez de esperar o governo ela fazia a parte dela, reciclando, por exemplo. Ela disse que não porque a prefeitura não vinha buscar na porta. Mas é engraçado, eu disse, por que você não enche a mala de seu carro de garrafa plástica, papel e lata de alumínio e leva no ponto de coleta uma vez por semana? Certamente porque culpar os outros é mais fácil, pensei.

  • Concordo com seu ponto, Paula. Culpar os outros é sempre mais fácil. Apontar problemas e reclamar é sempre mais fácil do que buscar soluções e tentar resolver a demanda, mesmo que seja só fazendo a sua parte.

    Esta cultura chorona não é coisa do Brasil ou da África. É coisa de gente amansada, desinstrumentalizada, paralizada pela falta de imaginação, fé ou disposição. Em alguns é uma forma de desonestidade, mas na maioria é apenas uma falta de noção de que cada um deve fazer sua parte.

    Logo, por vezes, a nossa parte pode ser — além de outras coisas — apontar para aqueles que não “notam” que há uma “parte” a ser desempenhada por eles na solução dos problemas que trombeteiam por aĩ.

    Eu só reconheço um problema quando presumo que a questão poderia ser diferente, e se pode ser diferente é uma questão de descobrir como, e fazer o que precisa ser feito. Problemas sem solução não são problemas, são fatalidades da vida. Reclamar de fatalidades da vida é chover no molhado. Logo, se vale a pena reclamar, vale a pena tentar resolver.

    Abraços do Verde.

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.