Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Paquistão: Blogueiros discutem a explosão de bomba em Islamabad

Em Islamabad, uma explosão detonada por um homem-bomba matou pelo menos dez pessoas [EN] em um comício de apoio ao ex-presidente da Suprema Corte paquistanesa, que foi destituído. Seguindo o clima tenso no Paquistão com a operação Lal Masjid (Mesquita Vermelha) enquanto o Exército do Paquistão atacava mesquita [EN], os blogues do país têm acompanhado de perto o desenrolar político. Metroblogging Islamabad [EN] publicou um post segundos após a explosão:

“… one is forced to wonder whether this is another in a long chain of violent reactions that people suspected may come to fore in the aftermath of the Lal Masjid incidents last week.”

“… é de se ficar imaginando se não se trata da outra longa cadeia de reações violentas que as pessoas suspeitam que deva acontecer como conseqüências dos incidentes de Lal Masjid na semana passada.”

All Things Paquistão [EN] traz fotos (advertência: as imagens são do local da explosão da bomba). Enquanto o post por si só tem poucas explicações, os comentários discutem a explosão e o governo de Musharraf.

“The said suicide bombing has occurred right underneath where my office is in F-8 Markaz. The blast was so powerful that it has broken all the balcony side windows of my office and has literally cracked the plaster and the blew the wooden doors from its locked bolts! The blast was potent because the wave front was in between two buildings or plazas which had lead to the Islamabad Courts. So far 20 people are reported dead and equal number injured.”

“Aquele ataque suicida aconteceu logo abaixo do local onde meu escritório está localizado, em F-8 Markaz. A explosão foi tão forte que quebrou todas as janelas do lado do balcão do meu escritório, e literalmente rachou o reboco e levou aos ares as portas de madeira que estavam trancadas com ferrolhos! A explosão foi ainda mais potente porque aconteceu entre dois prédios e praças no caminho dos Tribunais de Islamabad. Até agora, 20 pessoas foram relatadas na lista de mortos, com número igual de feridos.”

Os comentários seguem discutindo se Musharraf teria sido o motivo de tal tragédia, já que as pessoas não estão satisfeitas com o governo, enquanto outros não concordam com esse ponto de vista. Entre os comentários, alguém explica o porquê desse não ser apenas um problema interno.

“These folks are terrorists with no regard for the affairs of this world. They don’t have a purpose in mind; conflict itself is their purpose. There is an entire generation of brain-dead people who have been breeding in the border madrassahs for years; at first their modus operandi was armed conflict but given the perceived success of the tactics of their brethren in Iraq via suicide bombings, a bomb vest is their new weapon of choice. They have no demands except to be left alone to plan more conflict and to conquer the world for their faith.”

“Esses caras são terroristas em relação aos interesses desse mundo. Eles não têm um motivo em mente; conflito em si é a motivação deles. São gerações inteiras de pessoas acerebradas, que têm se reproduzido nas bordas das “madrassahs” (escolas religiosas islâmicas) por anos; num primeiro momento, o modus operandi delas era o conflito armado, mas devido ao sucesso percebido das táticas de seus irmãos e irmãs bombas-suicidas no Iraque, um colete de bombas se tornou o predileto. Eles não querem mais nada além de serem deixados em paz para planejar mais conflitos e conquistar o mundo para a crença deles.”

The Paquistãoi Spectator [EN] escreve sobre os cidadãos comuns do Paquistão, e da falha do governo em protegê-los. O autor alerta para o fato de que a única saída é ter representantes do povo governando o país.

The Canvas [EN] fala das imagens mostradas na televisão do local da explosão da bomba, e sugere formas como violências do gênero poderiam ser contidas. O autor diz:

“In such circumstances the local police authorities should disallow people from holding public processions like these for a few days, as the chance of becoming a target of these suicidal terrorists is quite eminent. Thats common sense. The Chief Justice supporters should realize on their part that the country is undergoing a tumultuous period and facing a grave threat from the Waziristan region who have declared they will target prominent leaders and politicians with suicide bombers. For all that has been going on with the Lal Masjid, Islamabad is the last place to be found at.”

“Em situações como essas as autoridades policiais locais deveriam proibir as pessoas de organizarem comícios públicos como esse por algum tempo, como as probabilidades de que eles se tornem alvo de terroristas suicidas são bem eminentes. Trata-se de senso comum. Do lado dos defensores ex-presidente da Suprema Corte paquistanesa, eles deveriam ter se dado conta de que o está passando por um período tumultuado e enfrentando uma ameaça grave da região de Waziristão do Norte, que declarou que vão tomar como alvo de homens-bomba líderes e políticos que se sobressaiam. Por tudo o que está acontecendo em Lal Masjid, Islamabad é o último lugar para esse tipo de manifestação.”

Rockestani [EN], que trabalha na área de mídia, fala do estado em que os veículos de comunicação do país se encontram e dos quatro ataques suicida da última semana que passou. O autor oferece um interessante vislumbre do ponto de vista interno em relação à atenção que Lal Masjid ganhou da mídia internacional.

“The Red Mosque caught the world’s attention primarily cos of scenes of Burka clad women wielding batons. Is the only way for your average women to gain power throuh radicalism. It seems to me that radicalism has empowered the women of a section of society here. It kinda makes sense doesnt it. When the position and status of most women here is so marginalised, suddenly they have been able to commander the attention of the gov’t and authorities. Well wouldn’t you?”

“A Mesquita Vermelha chamou a atenção do mundo primariamente por causa da cena de mulheres cobertas de véu de bastão em punho. A única forma com que as mulheres medianas ganham o poder é através do radicalismo. Parece que esse radicalismo tem fortalecido as mulheres de um certo setor da sociedade daqui. Faz sentido, não? Do jeito com que a posição e o status das mulheres daqui são tão marginalizados, de repente, elas conseguem chamar a atenção do governo e das autoridades. E quem não conseguiria?”

The Mermaid Tavern [EN] partilha lembranças de visitas a uma certa videoteca que ela costumava ir quando criança. Ela fala sobre a grande ansiedade que tinha ao passar na casa dos avós, que viviam perto de Markaz.

“Who did this and why? What drives a person to be willing to take human lives in order to achieve a political objective? What kind of statement needs to be written with the blood of others? How can the sanctity of life mean nothing to these people? I can’t understand it. I don’t want to understand it.

Not here. Not in my hometown.

I wonder how many people in how many towns of the world have whispered those words.”

“Quem fez isso e por quais motivos? O que faz com que uma pessoa queira tirar a própria vida para alcançar um objetivo político? Que tipo de declaração necessita ser escrita com o sangue dos outros? Como pode que vidas sagradas não signifiquem nada para essas pessoas? Eu não consigo entender isso. Eu não quero nem entender.

Não aqui. Não em minha cidade.

Eu fico imaginando quantas pessoas, em quantas cidades no mundo, sussurraram essas palavras.”

MicroPaquistão [EN] fala sobre a repercussão das políticas de Musharraf, e da frieza com que os veículos de televisão exibiram cenas do local da tragédia.

“GEO, in its crude fashion, allowed the nation to experience and relive the horror again and again as the cameras ruthlessly rolled while bodies bathed in blood-and in some cases only upper torsos-trembled their last breaths.”

“GEO (um canal de televisão privado do Paquistão), com seu jeito grosseiro, permitiu que a nação experienciasse e revivesse o horror continuamente, enquanto suas câmeras cruelmente passavam por corpos cobertos de sangue e, em alguns casos, apenas torsos mutilados dando seus últimos suspiros”.

Peace Like A River [EN] discute as complexidades políticas da diversidade cultural e regional do Paquistão, os partidos políticos e o aumento do número de ataques suicidas no país.

(texto original de Neha Viswanathan)

 

O artigo acima é uma tradução de um artigo original publicado no Global Voices Online. Esta tradução foi feita por um dos voluntários da equipe de tradução do Global Voices em Português, com o objetivo de divulgar diferentes vozes, diferentes pontos de vista. Se você quiser ser um voluntário traduzindo textos para o GV em Português, clique aqui. Se quiser participar traduzindo textos para outras línguas, clique aqui.

1 comentário

Junte-se à conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.