Está vendo todos esses idiomas acima? Nós traduzimos os artigos do Global Voices para tornar a mídia cidadã acessível para várias partes do mundo.

Saiba mais sobre Tradução do projeto Língua  »

Costa Rica: Rompendo Relações com Taiwan e Começando com a China.

No dia 8 de junho o presidente da Costa Rica, Oscar Arias, anunciou que as relações diplomáticas com Taiwan foram rompidas, e que laços estão sendo estabelecidos com a China. Deixar para trás 60 anos de relações diplomáticas gerou uma grande quantidade de críticas, assim como manifestações de apoio. Legisladores, blogues, imprensa, etc. todos deram suas opiniões.

O que a Costa Rica ganhou ao reconhecer Taiwan? Alguns dizem que a resposta é dinheiro. Durante muitos anos, Taiwan manteve laços estreitos com países latino-americanos e deu presentes, empréstimos benéficos, doações, etc. Não podemos afirmar que nós ou qualquer um dos outros 24 países estavam nesta relação por razões morais. Não se pode dizer também que um país é ingrato por manter uma relação dessas por interesse e não por convicção.

Alguns blogues nacionais deram sua opinião e a maioria era contra esta decisão, como o blogue La Suiza Centroamericana[ES]:

“Y nos ha confirmado sin ambages que hemos entrado de manera decidida y definitiva en la era de la prostitución diplomática…Nuestra relación con Taiwán no estaba bien planteada porque se basaba en las dádivas y no en los principios fundamentales compartidos.”

“E então foi confirmado, sem ambiguidades, que entramos de uma forma decidida e definitiva na era da prostituição diplomática… Nossa relação com Taiwan não era bem estabelecida porque era baseada em favorecimentos e não na partilha de princípios fundamentais.”

Pode-se perguntar se a relação de Costa Rica com Taiwan era saudável ou se era apenas uma relação de interesses. Mesmo que os países partilhem princípios como a democracia, a liberdade de expressão, se eles realmente importaram.

Juan Carlos Hidalgo[ES] escreve:

“Considero totalmente imprudente y bastante perjudicial la decisión del gobierno de cortar relaciones diplomáticas…Costa Rica siempre ha ‘rajado’ de ser un país promotor de los derechos humanos y la libertad. ¿Cómo se justifica romper relaciones con una de las pocas democracias consolidadas del Este Asiático a cambio de un régimen represivo y violador de las libertades civiles más básicas como lo es China?”

“Considero totalmente imprudente e bastante prejudicial a decisão do governo de cortar relações diplomáticas… a Costa Rica sempre ‘se esforçou’ para ser um país que promove os direitos humanos e a liberdade. Como se pode explicar o rompimento de relações com uma das poucas democracias consolidadas do Leste Asiático em troca de um regime repressivo e violador das liberdades civis mais básicas, como é a China?”

Há outros blogues que apóiam completamente a decisão, como escreve o Fusil de Chispas [ES]:

“El comercio y las puertas que se abren con la voraz economía China, se me hacen mucho más beneficiosas potencialmente, que el costo afectivo que parece tener el a otra cosa mariposa, en este momento específico.”

“O comércio e as portas que se abrem com a voraz economia chinesa me parecem muito mais potencialmente benéficos do que o custo afetivo que parece ter a decisão. ‘fora com o velho, e que venha o novo’.”

“Uma decisão desta transcendência requer uma diplomacia discreta. Nós estamos sendo tão transparentes quanto a circunstância permite”, explicou o presidente Oscar Arias, quando perguntando a respeito do motivo das negociações serem sigilosas. Agora o país pode estar aberto para um mercado que contém 20% da população mundial (1.3 bilhões de pessoas), o que é algo imenso e que pode beneficiar o país.

(Texto original em inglês por Roy Rojas)

Inicie uma conversa

Colaboradores, favor realizar Entrar »

Por uma boa conversa...

  • Por favor, trate as outras pessoas com respeito. Trate como deseja ser tratado. Comentários que contenham mensagens de ódio, linguagem inadequada ou ataques pessoais não serão aprovados. Seja razoável.